quarta-feira, 8 de março de 2017

Londres

Como vim parar em Londres

Bem vindo a vida adulta. Aquela onde você se depara no início, meio e fim do mês com contas, problemas e prazos. Dar conta de tudo isso e ainda se feliz!? Sim, eu entendo bem esse "drama". Vamos sendo empurrados pelas horas dos dias, pelas pessoas, pelo tempo e esquecemos do principal: Esquecemos de cuidar da gente!

Em maio de 2016 eu vim morar em Londres. Tinha uns 5 meses que eu havia voltado com meu namorado, e estávamos buscando um novo rumo para as nossas vidas. Ele, mais novo do que eu, vislumbrava o sonho de "morar fora", aprender outro idioma, conhecer outras culturas. Eu, tentando me encontrar, pois, me perdi há alguns anos e não mais me encontrei. Conclusão: Conversamos com algumas pessoas, juntamos grana, consegui uma pessoa bem "doida" como eu para cuidar dos meus filhos caninos e embarcamos na cara e na coragem. 
 Preciso confessar: Odeio falar inglês. Quando eu era pequena, uns 10 anos de idade (porque nunca fui "pequena"), minha mãe me colocou no curso de inglês. Até ai, tudo bem. Mas, chegando na sala, fui parar numa turma que já estava junta desde do inicio e eu era a "novata". Conclusão: Era zoada constantemente. Voltava para casa chorando, detestava. Nessa época, criança é muito cruel e não existia "bullying". Não tinha muito o que fazer. E, nessa momento, as novelas mexicanas começaram a fazer parte da minha vida e minha paixão por (não me JUGUEM!!!) Marimar, Maria Mercedes e Maria do Bairro tomaram conta de mim e a cantora Shakira com "Estoy aqui" mudou minha vida. Então, eu e a diretora do curso convencemos a minha mãe de me colocar no espanhol e depois eu voltaria para o inglês. Pronto! Minha paixão pela língua espanhola era evidente! Fiz meu vestibular em espanhol, tudo era espanhol. Mas, escolhi estudar jornalismo....E como assim você é jornalista e não fala inglês? Entao, frequentei muitos cursos de inglês, mas o que me ajudou mesmo foi quando em 2009, fui estudar inglês por 6 meses em Dublin, na Irlanda. Mas, voltei ao Brasil e como não falava, ficou adormecido em algum lugar.... Já o espanhol posso ficar sem falar anos, nunca esqueço. Pois falar espanhol é um prazer, falar inglês é um terror.
Bom, voltando para a grande "aventura" de morar fora, viemos para Londres. "Ah, Ludmila, porque você escolheu Londres já que você odeia inglês?" Porque eu sou maluca! Nãoooo! ok. Talvez eu não seja muito normal, mas escolhemos Londres por ser um país economicamente melhor, por ter mais chances de emprego e também, para melhorar o inglês. Pois, uma verdade é: Nós brasileiros somos muito preconceituosos. Aqui fora se você falar errado, ninguém fica rindo de você ou te "zoando por isso ou aquilo", eles te ajudam. 
Chegamos em Londres, achando que tínhamos tudo certo: Alguns conhecidos para ajudar, emprego em vista, lugar para ficar...Não. Nada disso. Chegamos aqui e descobrimos que estávamos mais sozinhos de quando saímos do Brasil. Mas, como "coisas boas acontecem com pessoas boas" e temos passaporte europeu, com ajuda de um casal de amigos conseguimos as informações necessárias para começar a vida aqui, procurar emprego e tentar se estabilizar. Passado o momento da crise, o momento de "quebrar num país estranho", veio o momento de: Trabalhar em outro páis, em outro idioma.
Como conseguir meu emprego:
Assim que eu cheguei, fui numa casa de câmbio brasileira e lá disse que estava procurando emprego. Esse foi meu grande erro e grande acerto: A maioria dos brasileiros que vem para Londres, chegam no país ilegal. Passam o "pão que o diabo amassou" e se tornam pessoas piores.E, ao melhorar de vida, começam a explorar seus próprios conterrâneos. Claro que não são todos. Conheci muito brasileiro honesto e do bem.Trabalhei dois finais de semana num café brasileiro (logo eu, que nunca precisei lavar um prato) e conheci uma brasileira que me viu duas vezes e morava no mesmo prédio que eu e tinha começado nesse café junto comigo, mas nunca trabalhamos no mesmo turno. Na terceira semana, eu encontrei essa brasileira voltando para casa, conversamos e ela disse: "Eu estou saindo do café e do meu emprego no hotel porque arranjei algo melhor, gostei de você e vou te indicar lá no hotel. Você pode ir lá amanhã?" Claroooo. E, foi nesse momento que começamos a "respirar" em Londres. E, coincidentemente, o hugo, meu namorado, saiu do Pub e conseguiu um emprego na cozinha de um restarante japonês. Ou seja, vimos uma luz no fim do túnel! E, minha querida mãe também!(Família, por mais problemas que vocês tenham, é quem vai lhe ajudar quando a "casa cair"!)
Respiramos e veio a outra questão: Trabalhar em outro país, em outra língua...
A vaga no hotel era para o turno da noite. Mas, quem está precisando, não escolhe, aceita. Fui trabalhar com um inglês e uma Búlgara, que são do time da noite. A Búlgara passou um mês e meio me chamando de "idiot" e "stupid" e eu chorava todas as noites. Já quando eu trabalhava com o Inglês, eu aprendia mais, era divertido e, como temos quase a mesma idade, sempre conversávamos sobre vários assuntos em comum e a hora passava rápido. Ele, com a maior paciência do mundo, foi me mostrando o que fazer, como mexer nos programas, me corrigia quando eu falava errado e, as poucos, fui melhorando e, depois que assinei o contrato permanente, me senti mais forte e aprendi a lidar com a "búlgara" e, até posso dizer que temos um bom convívio. Agora imagina passar por isso, estando num país estranho, longe da sua família, dos seus filhos caninos que são tratados como humanos, longe de tudo que lhe causa conforto? Sim, foi nesse momento que meu relacionamento  até então "frágil", mudou para "forte". Mas, isso é assunto para outro texto! Até amanhã!

Beijos
@ludfigueira





terça-feira, 26 de agosto de 2014

DAR OU NÃO DAR? Eis a questão.

Caro leitor,

Tentarei ao máximo não ser tão malévola nas palavras. Mas, está difícil.

Me expliquem uma coisa: Você conhece um cara numa noitada qualquer ou num bar, trocam meia dúzias de palavras e "ficam". Isso já é um sinal de "vamos transar"? Eu não vou vir aqui falar de magia ou romance. Tão pouco falarei de amor. Mas, então é só uma vontade fisiológica e depois "bata a porta antes de sair"? Ou é só aquela vontade de aumentar os números de telefone (Whatsapp)? Ou aumentar a "dispensa" para os dias de "vacas magras"? Ou, mostrar para os amigos que você é um "comedor nato" (caiu na rede é gol), ou outra: Estamos na geração da mulher moderna que não liga para o que os outros pensam (mentira)?

Então vamos começar.

Não sei o porque tanta enganação. Não entendo a necessidade de se alimentar algo que não se deseja. Não compreendo essa postura de se falar por mensagem ao invés de se fazer um telefonema. Regredimos. E, se reclamamos logo dizem que estamos fazendo "drama". É verdade. Esse momento que estamos vivendo é um grande drama. Porque ambos os lados alimentam esse ciclo vicioso no intuito de mandar melhor nesse "joguinho cansativo".

Cara leitor, porque precisamos tratar um relacionamento como uma partida de futebol?

Eu estou aqui falando para as paredes, eu sei. Porque só conseguiríamos mudar isso se as pessoas começassem a falar "não" para um sexo casual e "sim" para conhecer o outro. Mas, conhecer o outro dá trabalho. Porque não pular umas etapas? Bem vindos a facilidade dos dias de hoje. Onde não são só pizzas que se entregam em casa, mulheres também são "delivery". Aliás, a rede social "Tinder" (Cardápio Humano) pode falar melhor sobre isso.

Homens meus parabéns! Vocês chegaram ao paraíso: Escolhem quem vão "comer" e quando vão "comer". Esse quando "vão comer" é o que acho o melhor de tudo: A gatinha fica esperando até o dito cujo se pronunciar. E outra: Fazem uma manutenção"linda" para não magoar a "gatinha", pois não se sabe o dia de amanhã. Maravilhoso. Sem contar na comunicação incrível pelo Whatsapp: A gatinha manda uma mensagem e horas depois o gatinho responde ou, o gato fica online e decide responder dias depois. Sensacional.

Bom, mas agora todas as mulheres vão me odiar. Mas, preciso defender esses nossos "amigos".

Amadas, eles só nos tratam assim, porque permitimos.
Exemplo:
Você ficou com um cara que acabou de conhecer numa noitada qualquer. Rola uns beijos e o cara manda:
---Vamos para minha casa, linda? Dormir juntinho... Sei fazer um café da manhã excelente (porque não podemos negar que a arte do convencimento é para "profissionais")....

Agora lhe desafio a falar isso:

---Lindinho, eu acabei de conhecer você. Apenas demos uns beijinhos. Que tal a gente se conhecer para depois você me levar para cama? Ou melhor: Eu sou assim. se você não está afim de me conhecer e só quer me "comer" cai fora agora, vou lhe agradecer....

O que acontece é isso: Ou a mulher cede aos encantos do gato ou a mulher faz um jogo para tentar se valorizar e o gato pega outra para não sair sozinho. Mas, a real ninguém manda. Porque se não vão nos achar malucas, doidas varridas. Por isso fazemos esse jogo indecente. Mas que dá vontade de falar isso, dá. Porque esse negócio de dar um beijo e o cara já querer te levar para a cama é tão cansativo... Perde-se todo o clima...É um saco.

Mas a função do "macho" é tentar.

Agora, uma vez que você "deu" amada, para que perder tempo jogando? Deu está dado. Ou ele vai ser seu (sexo casual) ou, por algum milagre divino (coloca milagre nisso) podem a vir ter alguma coisa...

Talvez se eu escrevesse isso há cinco anos atrás, me acharia antiquada. Até porque sempre preguei a liberdade de fazer o que se quer. Mas com 30 anos de idade? Podemos usar essa "liberdade" melhor, não?Acho que já sabemos distinguir "gato de lebre"... Ou não? Continuar a cometer velhos erros? Ah não, gente! Não dá...

Para quê colocar na "carteirinha" mais uma "transa"? O que vai lhe acrescentar? Novas posições, um corpo diferente, saciar a vontade de "dar" para um completo estranho? Vamos envelhecendo e a busca por qualidade aumenta. Não nos encantam quantidade...

Depois de três anos de relacionamento, confesso: Não sei mais como agir. Não tenho mais paciência para esse jogo mental, para essas manutenções baratas, para essa enrolação e mentiras descabíveis. Já que não é para ter romance, sejamos objetivos e ponto. Adoro pessoas que dizem a que vieram, sem rodeios. Adoro pessoas que sabem o que querem.

Prefiro muito mais um romance sem compromisso do que aquele "papinho mole" que não leva a nada.

Não é preciso namorar para se "dar". Mas é preciso algo a mais que um simples beijo....

Dar ou não dar, é só mais uma  daquelas perguntas clichês que nos fazemos 1 minuto antes de entrar no carro do gato. Porque aquele beijo vai terminar nessa questão. Não tem para onde fugir. É o mata mata.

Estamos na geração Instagram. Onde cada flash vai dizer quantas curtidas você merece e o quanto de sucesso ou rejeição você fará em cada publicação. O difícil, é sair do virtual e conhecer de fato o que é REAL.

Levar para cama é mole, quero ver se entregar!

Beijos
@ludfigueira











quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Primeira Opção

Caro leitor,

Dois meses se passaram desde meu último post. Peço desculpas, mas definitivamente esse ano está muito complicado. Aos pouquinhos vou tentando organizar a vida e alimentando meu tão faminto blog.

Vamos ao texto de hoje.

Você já foi a primeira opção de alguém? Da pessoa lhe colocar como prioridade, estar disponível para você, fazer de tudo para lhe agradar, cuidar de você, querer seu bem-estar, deixar até de fazer alguma coisa só para estar com você?

Bom, digo isso porque na minha última sessão de terapia, percebi que nunca havia sido a primeira opção de ninguém. Chegar a essa conclusão não foi fácil. Se foram caixas e caixas de lenço até cair na real. E posso dizer que doeu. Fiquei durante dias com essas palavras vagando pela minha cabeça. Até porque levei pessoas a serem minhas primeiras opções e nesse momento vi o porque da quantidade de "desencontros" que tive pela vida.

Claro que, para você se tornar a primeira opção de alguém não é do dia para noite. Há que se conquistar isso. E, prefiro pensar que não consegui conquistar à pensar que não tive chance. Porque com certeza, na minha cegueira achei que estava com super chances.

Ai você vai me perguntar como fazer para ser a primeira opção nos dias de hoje de alguém. E vou lhe responder: Caro leitor, acredito ser mais fácil tirar água de pedra do que isso acontecer. Mas, meu lado "conto de fadas" irá brigar comigo e dizer que não devemos perder a esperança e que logo seremos a primeira opção de alguém e ela a nossa.

Como é importante encontrar alguém. Já repararam como baseamos nossa vida em encontrar um amor? Acho que é ai que mora nosso grande erro: Fazer com que a nossa completa felicidade dependa de alguém. Porque não pode depender só da gente e o que vier depois, encaramos como bônus?

Eu não tenho uma fórmula para encontrar um amor. Na verdade, ultimamente vejo minhas amigas lindas, bem sucedidas, simpáticas e cada vez mais sozinhas. E não entendo o porquê. Se somos bacanas com os caras, eles não dão valor. Se não damos de primeira eles arranjam outra. Se damos de primeira e não nos importamos com o que vão pensar, eles nos rotulam. Se procuramos, somos encaradas como carentes e chatas. Se não procuramos, é sinal que estamos jogando. Eu acho isso tudo muito doido. Por  outro lado, escuto dos homens que as mulheres estão fáceis demais, que elas jogam sem parar, que quando eles dão uma afastada aí que elas dão valor, que mulher precisa se sentir insegura, que mulheres independentes assustam... Ou seja, está difícil sair alguma opção dessa brincadeira entre homens e mulheres.

Acredito que para se iniciar uma relação precisa haver vontade dos dois. Precisa haver um encontro de agendas, flexibilidade e interesse. Porque hoje em dia não tem mais enrolação: Quando se quer realmente fazemos acontecer: O sono espera, esticamos mais uma hora no trabalho para compensar o dia anterior, vamos para lugares que não conhecíamos, ligamos, mandamos mensagem e tem alguns que usam e abusam da telepatia e do sinal de fumaça. Fazemos dar certo.

Levanta a mão quem está disposto a fazer isso por alguém?

Eu vi que ninguém levantou a mão. Na verdade está todo mundo desconfiado, no seu mundo com medo de abrir a guarda e sofrer. Ás vezes não é nem a questão "sofrer" e sim o trabalho que vai ter. Porque dá trabalho: Você  se abre para o outro, corre riscos, precisa começar a pensar em dois, outros programas, você começa uma história, terá momentos maravilhosos mas também terão brigas...Se relacionar dá trabalho.

Outro dia vi um perfil no facebook de um cara que não precisava nem conhecer para saber que é o "Rei da noite". Fiquei pensando se esse cara não se sente vazio depois de um dia de academia e uma noite de farra. Mas, assim como esse cara, temos mulheres exatamente assim. Fico pensando se daqui a alguns anos nossas mulheres frutas e homens sarados estarão vivendo ainda só para o corpo e menos para a mente. Sou super a favor de se levar uma vida saudável. Mas, precisar ter um corpo sarado, uma bunda dura e um abdômen de tanquinho para se conseguir alguém, então aos 30 anos digo que ficarei para a titia. Porque para se ter alguém isso ser fator determinante, então tenho certeza que ficar sozinha é a melhor opção.

Os valores estão muito invertidos. Vivemos num mundo onde aparência é tudo. Não concordo com nada disso e acredito que precisamos fazer algo para mudar. Porque só falar não adianta, é preciso atitude.

Quero acreditar que se fizermos nossa parte atrairemos pessoas que pensem como nós. E assim, os desencontros acabarão e encontraremos nossa primeira opção.

A primeira mudança acontece com a gente.

beijos

@ludfigueira







sexta-feira, 13 de junho de 2014

A Última Romântica

Caro Leitor,

Ontem todas as atenções estavam voltadas para a abertura da Copa do Mundo. Copa em casa e jogo do Brasil. Mas, ontem foi o dia dos namorados. Apesar de todo dia ser o dia da pessoa amada, acho que nesta data comercial, não podemos deixar passar em branco. Espero que todos tenham tido um bom dia.

Fiquei pensando no que escrever para hoje. E lembrei que nada como expor casos que andam acontecendo no cenário de pouco amor e muita maldade. Sim, meu leitor. Casos de maldade. Por que o ser humano pode ser vingativo e cruel quando quer.

As pessoas jogam todos os dias jogos sádicos. Homens e mulheres compactuam com essa manipulação louca. Onde vamos parar? Tinder? Facebook? Pelo amor de Deus.

Sim, é verdade que o meu tom está de "poucos amigos". Mas a verdade é que estou bastante aborrecida com o mundo dos relacionamentos que compactuamos. Chego a acreditar que os consultórios psiquiátricos estão lotados e que as sessões de terapias aumentam de valor a cada dia. E, que os remédios "tarja preta" estão com uma saída enorme.

Para quê tanta loucura? Ontem e hoje foram várias. O que é amor para vocês? O que significa o sexo para vocês? O que é respeito para vocês? Qual o valor de um beijo? Tenho certeza que vocês não sabem responder.

Há pessoas que passam a vida em busca de um relacionamento "Walt Disney" até se depararem com o mundo real. É depressivo mas, é algo que não podemos fugir. Percebo que princesas e príncipes funcionam melhor nos filmes. Que seus problemas interiores se não resolvidos acabam com o outro. Que relação de verdade possuem problemas de verdade e pouco amor não basta para ir a frente e que só o amor também não adianta. Que é preciso entrega, flexibilidade,amor próprio e cuidado. E, o mais importante: Não é só de dias felizes que se vive um relacionamento. Geralmente são nas dificuldades que vemos com quem estamos.

Mas, também sei de histórias de amor maravilhosas e casamentos que possuem problemas e que descobrem soluções porque se amam e são cúmplices. Sei que também não vejo mais casamentos como o dos meus avós que estão juntos ha quase 70 anos. Ora, porque não pode mais existir amor assim? Porque?

Sei que vivemos preocupados em nos estabelecer financeiramente e que temos pânico de não aguentar a rotina de um compromisso. Mas, quem disse que relacionar-se é fácil? Com nossos pais, irmãos, com a nossa família ás vezes fica difícil... Imagina com alguém que não foi criado com você? Relacionar-se requer dia a dia, requer superar problemas, requer amor e o mais difícil: Requer Paciência.

Acredito que depois de muitas topadas pelo caminho a gente vai aprendendo; ou não. Muitos precisam cometer os mesmos erros para um dia aprender que assim não funciona.

Novas paixões surgem a cada dia. Mas e ai? Ninguém quer conhecer o outro. Ninguém quer ter tempo para isso. Mal sabem que os melhores momentos surgem quando você se deixa conhecer e o outro também. Porque é na intimidade que você sente os melhores prazeres a dois.

Hoje, acho que não há mais aquele pavor de envelhecer sozinha. Aquele medo que cercava as mulheres assim que elas faziam 30 anos e ficavam a beira da loucura comprando gato por lebre. As mulheres hoje aprenderam a jogar esse jogo sádico. Não sei se ficamos vazias, decepcionadas com tanta superficialidade, com tanta falta de noção dos outros. Acho que o mundo está mais exigente. E o mercado oferece tanta porcaria que tudo não passa de apenas uma noite, de apenas um momento incrível.

Sim, estou pessimista hoje. E não estou afim de falar com Santo Antônio.

Vejo amigas reclamando todo os dias das pessoas vazias e loucas com quem elas se relacionam. Com a falta de compromisso e com o medo de se envolver dos outros. Vejo também homens reclamando das mulheres interesseiras, das mulheres vazias e superficiais ou das loucas que os perseguem a todo instante. Vejo a falta de magia que existia no início do flerte. Vejo falta de comunicação e cuidado com o outro. vejo o pior: A falta de verdade nas pessoas.

Concordam que não há porque mentir ou enganar o outro? Concordam que não estar afim do outro faz parte e é preciso aceitar? Concordam que não há necessidade de usar as pessoas? Por mais que sejamos adultos a postura está pior do que uma criança de 5 anos.

Vejo as pessoas fazerem de tudo por uma transa: A manutenções baratas, papinho mole e  até ligações prometendo casamentos e filhos. Vejo pessoas "fora da casinha" todos os dias. Vejo pessoas que ligam de madrugada mas na verdade não sabem o porque ligou. Vejo pessoas que dizem eu te amo, mas na verdade não aceitam o outro como ele é, vejo pessoas que passam o final de semana sem ligar e aparecem do nada para te levar para a cama. Essas pessoas não sabem gostar, não sabem o que é respeito. Essas pessoas são vazias em busca de algo que as preencham no momento e nada mais.

Sabe o que todos nós precisamos? Precisamos de Paz. Porque essas relações de uma noite, ou até mesmo essas relações capengas não nos acrescentam em nada. Não nos alimentam, não nos tornam pessoas melhores, não agregam. Precisamos de pessoas que nos enxerguem como somos, que sejam reais, verdadeiras.

Precisamos aprender a tratar as pessoas com respeito e consideração. Isso não tem preço. Precisamos parar de achar que tudo é descartável e sem valor. Porque não é assim.

Parem com a indiferença para com o ser humano.
Aprendam a lidar com a verdade.
Sejam melhores. O amor vem com a calma.

Façam mais AMOR.

Beijos
@ludfigueira





segunda-feira, 9 de junho de 2014

Os loucos também Amam

Caro Leitor,

Estou gravando um programa e a correria está intensa. Me desculpem a ausência.

Vamos ao tema de hoje.

É preciso muita luz, muita paciência e disposição para entender o coração de um louco. Então hoje vamos refletir sobre os pensamentos do outro em mais uma crônica de amor.

"Tão fácil me render aos seus encantos, que só um sorriso no rosto é pouco para demonstrar. Realmente entendo a sua singularidade, sua radicalidade extrema e seu ponto de vista enlouquecedor. Lhe julgo incansavelmente pela maneira de se portar porque eis ai a nossa maior diferença: Eu me jogo e você calcula os riscos de se jogar. Dentro da sua loucura intensa, você ousa a brincar com estratégias e cálculos que nenhum outro se arriscaria. Você manipula e se isola dos efeitos que causa. A sua noção sobre mim também não é a mais correta, mas não posso negar que muito ao meu respeito você conhece. Talvez seja isso que me torne vulnerável a essa desventura que me aventurei. Talvez seja a sua proteção não me deixar a par, ciente de tudo ao seu respeito. Existe um mistério em torno de você que me fascina tanto quanto me repele. Até onde irá essas manobras amorosas? Até onde irá essa mania de você? Não sei te responder. Mas sei que por mais espaços, por mais tempo que venha a ter, seu lugar foi conquistado. Não sei em quantas camas você dorme e nem em quantas bocas você se encontra. Mas sei que a ligação que temos é algo de muitas vidas. Confesso que no começo o desespero tomava conta, a insônia me assombrava e a falta de notícias me deixava louca dentro da roupa. Hoje lido melhor com essa relação, digamos assim, espiritual que possuímos. Aprendi a lidar com seu jeito de aparecer e desaparecer. Não que eu concorde muito com isso, mas acredito que cada um sabe o momento que precisa sair de cena para se reconectar consigo mesmo. A pressão aqui fora é grande e ás vezes a barra fica pesada demais e a gente surta. Acho que eu fico complacente em relação a esses momentos. Mas, seu charme nato e irresistível ainda me tira de orbita. Mas, nada como lidar de perto com a intensidade para aprender a domar essa fera interior. A vontade de ser possuída novamente aumenta com o mesmo medo de saber administrar o amanhã. Sim, eu trabalho com medos. Talvez você não conheça a palavra medo. É forte demais para isso. Eu lido com meu medo interior todos os dias. Lhe digo que não é fácil, mas cada vez que o consigo driblar, me sinto um pouco mais forte. O jeito como você me lê é tão arrebatador que chego a ficar sem palavras. Não há jogos e nem máscaras entre nós. Há somente vontades e desejos. A minha vontade de você se iguala ao medo de não saber lidar com você. É um impasse interno que vivo diariamente. Lido com achismos equivocados e silêncios arrasadores. É uma mistura de enigmas, de quebra cabeça e de palavras cruzadas. Mas, não me canso de sempre me apaixonar por você em cada momento vivido. A sua pessoa me confunde, suas palavras me enlouquecem e o conjunto da obra me encanta. Talvez eu seja tão louca quanto você. Talvez nosso entendimento se dê por esse jogo insano de palavras, Talvez você seja a peça que faltava. Quem saberá? Não preciso te cercar por todos os lados, não preciso ir a sua procura. você sabe até onde estou disposta a correr os riscos de tê-lo ao meu lado, você sabe todos os segredos, você conhece o limite e além das minhas vontades. A minha espera de hoje é leve. Porque sei que em algum momento desvendaremos juntos essa grande arte de gostar de alguém."

Nem tudo é o que parece.
Paciência é uma virtude. Cultive-a.

Beijos

@ludfigueira

terça-feira, 3 de junho de 2014

Um Romance? Que mal tem?

Caro Leitor,

Se não dá para termos um relacionamento, porque não alguém legal, que possamos sair, jantar, ir ao cinema, conversar, termos noites regada a beijos, arte e suor?

Sei que vocês vão me dizer que até para um simples romance sem compromisso, a maré anda em baixa. Mas, desistir jamais!

Aqui vai mais um texto para vocês se doarem mais, permitir momentos, permitir que entre novas pessoas em sua vida ou, que as velhas pessoas apareçam com momentos deslumbrantes....

"Aquela noitada não prometia muito. Apesar da música boa, de pessoas bonitas e de boas companhias, minha cabeça não estava ali pensando em conhecer alguém. É bom voltar a sair. Parece que você se sente viva outra vez. Você pára um pouco de pensar nos problemas do dia a dia e se rende ao balançar da música, ao cheiro da noite, ao brilho nos olhos. Depois de algumas horas de festa, meu corpo pediu casa. Para quem não saia há tempos, a duração na noite foi razoável. Me encaminhando para a saída, meu telefone toca. Pensei que talvez pudesse ser alguma amiga que já havia ido embora. Quando vejo, seu nome na chamada. Fiquei um tempo sem saber o que fazer, mas atendi. Fiquei um tempo muda e depois soltei um tímido "oi". Do outro lado da linha, escuto sua voz calma e serena me pedindo desculpas pelo horário da ligação e dizendo: "Eu preciso te ver. Apenas isso. Sei onde você está e estou aqui fora. Posso ver você?" De repente todo aquele sentimento que me esforcei duramente para esquecer, aos poucos foi reaparecendo dentro de mim. Me lembrei que ele ainda estava na ligação e respondi que estava saindo. Ao desligar o celular, cruzar a porta de saída, vejo-o ali, parado, com a cara mais linda do mundo, abrindo um sorriso tímido a minha espera. Não sabia se fazia uma cena de filme de romance e corria ao encontro dele; ou se mantinha a pose de que comigo não é bagunça e o horário não é apropriado. Mas, decidi andar em sua direção calmamente. Minhas pernas tremiam, meu estômago revirava, minhas mãos estavam muito geladas. Mas, mantive a pose e retribui o sorriso. Quando cheguei perto dele, parei em sua frente. Ficamos um tempo em silêncio nos olhando, tentando entender o outro. Até que ele deu o primeiro passo, chegou perto de mim, passou as mãos pelos meus cabelos e me abraçou. Apertou-me contra seu corpo e ali ficamos alguns minutos. Senti vontade de chorar. Ele é o dono do meu coração, meu segredo, minha inspiração mais doce e sincera. Aguentei aquela cena de reencontro firme e forte. Mas, quando nosso abraço acabou e nossos corpos ainda juntos, nossa boca bem perto da outra, seus braços pela minha cintura, foi impossível resistir. Nossas bocas se atracaram uma na outra e me esqueci de toda a saudade, de todas as noites que esperei uma ligação, uma mensagem. Me lembrei de apenas aproveitar esse momento, porque quando a gente gosta, é assim: Difícil dizer não, difícil resistir... A lua continuou nos olhando e nos brindou com mais uma noite para sempre.

Não faça jogo, faça amor!

Beijos

@ludfigueira

segunda-feira, 2 de junho de 2014

Não Está Fácil Para Ninguém

Nossa! Confesso que ainda estou tentando me organizar... Quanta coisa aconteceu!

Vamos as manchetes do dia:

- Homem solteiro procura: Mulheres bonitas, que tenham cultura, sejam bem sucedida profissionalmente, resolvida pessoalmente, viajada, curta bons lugares e tenham uma boa conversa.

-Mulher solteira procura: Sinceridade nos homens, ligações objetivas (convites para sair), menos whatsaps e mais presença física, menos jogos e mais beijos e pedem o fim das micaretas nas nights.

-Amiga se utiliza das redes sociais para promover encontros entre amigos que buscam a mesma coisa: Conhecer alguém que valha a pena.

Enfim, menos drama e mais atitude!

Gente, cheguei a conclusão que realmente não está fácil para ninguém. Até quem está com a horta cheia, reclama da falta de conteúdo, de algo a mais. Vi corações partidos, vi homens que querem ter um relacionamento sério e vi outros querendo aproveitar tudo até as luzes se acenderem.

Percebo que há uma carência em conhecer pessoas que realmente nos balancem, sem nos desanimar no primeiro papo trocado pelo whatsapp ou pessoalmente. Acredito que, como o nível está baixo e o mercado está precisando de coisas novas, pessoas que realmente façam a diferença, há necessidade de igualar a vida amorosa à profissional. Explico: As pessoas precisam se destacar com cursos, pós graduação em como sobreviver na vida amorosa, como conhecer alguém sem queimar a largada, como se portar num primeiro encontro, como se "chegar" numa mulher, como fazer uma transa incrível ser merecedora de um segundo encontro e, milhões de outros assuntos que precisam de um estudo maior. Porque está muito difícil encontrar alguém. Está tudo um grande lixo e desanimador.

Está tudo muito previsível, sem magia. Homens, por favor! Vocês estão com a faca e o queijo na mão, mas não estão sabendo como agir.Vocês estão mandando muito mal! Vamos aos exemplos:

Ex1: Você passa a semana toda mandando mensagens para a gata: "Estou morrendo de saudades", "nao esquece que você é minha, viu?", "adorei a nossa noite".
Aí, rola o final de semana e a comunicação se encerra. Aí você esbarra com a gata na noitada. Dá um beijo nela e diz: Nós vemos por ai....
OI? COMO?

Amigos, não dá para fazer esse jogo. Além de imaturo e cruel, é bizarro! Até porque se é só sexo, não precisa desse marketing todo. Se a gata estiver afim, ela vai te "dar". Agora escrotidão, "brocha" qualquer mulher.

Ex2: Você conheceu a gata e teve uma noite maravilhosa com ela. Trocam telefones e outros meios de comunicação.  Primeiro: Só pegue o contato da gata se você realmente curtiu. Porque a gata vai esperar a sua comunicação. Só diga: " Vamos marcar algo", se você tem intenção de realmente chamá-la para sair e não diga isso só para alimentar uma falsa esperança e sair de "legal" da história. Porque você vai ficar mal na fita.

Ex 3:Não liga na madruga para falar do tempo, da vida, da saudade sem um lance objetivo. Ligar na madruga já é caído... E jogar conversa fora nessa altura do campeonato...Poupe os ouvidos da gata.

Ex4: Não combine de encontrar a gata na noitada e me chegar no final da festa completamente trêbado. Pega muito mal! A gata perde o tesão na hora. Tudo bem que ninguém vai esperar uma pessoa completamente sóbria. Mas, um "ser" chegar enlouquecido é complicado.

Ex:5: Não se pode querer todas. Pense bem se é a gata ou a amiga da gata que você quer. Assim como homem fecha com homem, apesar de toda a rivalidade, mulher também fecha com mulher. Chegar em uma e depois perceber que é a outra e a gata perceber seu arrependimento, queima super o filme.

Ex 6: Tem tanta "perereca" (desculpem o termo) assim que vocês não querem nem repetir uma transa boa? Caramba vocês estão bem mesmo! Vamos dar uma chance de conhecer a gata depois de uma noite de arte, suor e sexo!

Ex 7: Já basta a loucura da gata! Facilitem o meio de campo por favor! Indecisão, chove não molha é papel da gata e não seu!

Ex8: Se for necessário mentir, minta bem. Porque seus dias estarão contatos se a gata descobrir.

Ex 9: Online no Whatsapp e não responder a gata... Que bad hein? Um mínimo de gentileza cai bem. Não precisa ser na hora, mas um "oi" depois é válido.

Ex 10: Definitivamente: Aprendam a chegar numa mulher na noitada! Está terrível a abordagem! Melhorem isso!


Agora minha conversa é com a mulherada. Vocês não estão muito atrás. Cadê a auto estima? Vamos aprender a se impor?Esqueça o romance Walt Disney e seja mais racional! Porque você está dando bola para esse gato que só te enrola? Está em suas mãos dizer não a essa manutenção de quinta.... Seja mais você!

Ex 1: Você chama o gato para a sua casa. Ele vira para você e fala que está cansado, que vai ficar tranquilo. Você sai e da de cara com ele na noitada. E depois de todo o "papinho mole" se rende e fica com ele... Cara! Não dá para ser assim. Esse gato vai fazer pior! Porque você não está se valorizando. O cara mandou super mal. Podia ter dito que tinha um compromisso, qualquer coisa. O cara ás vezes precisa de uma sacudida para cair na real... Se você não se gostar, não é ele que vai gostar!

Ex 2: Ficou com o cara e ele não entrou em contato com você: Esquece. Você não significou para ele o mesmo que ele significou para você. Não alimente ilusões.

Ex 3:Minha amiga, aprenda: O cara que está afim, não fica de papinho mole com você pelo whatsapp. Ele dá um jeito de ver você. Ele corre atras do real. Não fica só no virtual.

Ex4: Você saiu com o gato algumas vezes e ele sumiu. Reaparece semanas depois como se nada houvesse acontecido. Administre nesse cara doses homeopáticas de chá de cadeira. Porque se você sair com ele, a conduta do "aparece e some"continuará. Porque eles sempre aparecem...

Ex5: Defina o que você quer. Se o gato só te procura para te levar para a cama, não caia na besteira de misturar sexo com amor. Você vai ficar na pista. Raras são as exceções que o relacionamento muda.

Ex6: Não compactue com o joguinho do cara e depois venha reclamar. Seja franca e verdadeira. Evite problemas desnecessários.

Ex 7: Nada de cobrança com quem você não tem compromisso. Nada de surtar com o cara que você só está saindo. Poupe o gato da sua bipolaridade.

Ex8: Saiba que para alguns, "dar" de primeira é caído. Repense se vale a pena se arriscar...

Ex9: Nada de ficar no pé do cara, perseguindo-o em todo lugar. Entenda os sinais. Se ele lhe quisesse por perto, lhe chamaria para ir com ele. Sair de cena ás vezes cai bem.

Ex10: Melhore seus critérios, amplie seus horizontes e aceite que ás vezes é bom mudar o disco. Para de focar no cara errado.

Em resumo, sejamos mais sinceros uns com os outros!

beijos,

@ludfigueira


sexta-feira, 30 de maio de 2014

Ele não sai da sua cabeça

Calma, já sei o que aconteceu... Bebeu demais, não está acostumada e fez o que não devia fazer: 
Ligou para o gato sumido na madruga....

Atire a primeira pedra quem nunca fez isso. Tudo tem a sua primeira vez.

Vai um texto para você se inspirar..

"Fico me perguntando o porque você foi embora. Está tão difícil fingir que esta tudo bem. Fingir que não estou com saudades, fingir que não me importo... Já pensei em tantas coisas desde que você se foi... Seu coração ganhou uma dona? É um mês de retiro espiritual? Ou simplesmente sumir faz parte do jogo? Não tem como não lembrar de você... Como pude deixar isso acontecer outra vez?! Acho que não aproveitei quando estive por cima. Quando minhas ligações eram atendidas, quando lhe via online, quando te encontrar era um raro prazer. Posso dizer que o último momento aproveitei. Lhe tive por horas incalculáveis. Conversei com seus olhos e contei tudo a sua alma. Seu cheiro, mesmo após banhos, ainda permaneceu em minha pele, meu fechar de olhos me trazia seu rosto. Que complicado isso. Suas habilidosas mãos me levaram a lugares jamais conhecidos, seu corpo cheio de vida, histórias me levaram ao limite e além. Quebrei regras, códigos e não obedeci nada nem a ninguém. Fui lá, coloquei o dedo na tomada e levei um baita choque. Está pesado. Mil coisas acontecem, mas, meu coração encontra tempo para me lembrar de não esquecer você. Macumba séria que você andou fazendo...A falta de palavras me enlouquece mais que a falta de notícias. A sua ausência me intriga e sua indiferença me aprisiona. Não há para onde ir sem levar comigo sua presença não grata. Em determinado momento soltei um grito forte e me rendi ao mais novo amigo: álcool. Ele me fez flutuar, me deixou sem armadura e me levou a cometer um erro clássico: Discar um telefone morto. Tornar possível um ímpeto de coragem aos 42 minutos do segundo tempo. Mas, segundos depois minha consciência me castigou duramente. Mas já estava feito. E, a queda foi inevitável. Garçom, me traz mais um. Agora preciso continuar para esquecer, tentar me lembrar de não mais recair assim. Porque você foi embora. E, em terras morenas e compridas você nunca mais pisará. Aproveitarei esse gancho de estar longe de você para não me esquecer como é ruim ceder aos encantos de um Dom Juan. Foi apenas hoje, por hoje que vou me lembrar de nunca mais lembrar de você... Só por hoje..."

Caro leitor, Não se culpe. Todos já cometeram esse tipo de erro clássico.
Conselho: Ao beber, fique longe do seu celular!

Beijos,
@ludfigueira

quinta-feira, 29 de maio de 2014

O que você quer com ele?

Caro leitor,

Há uma necessidade de saber o que se deseja ou pretende com determinada pessoa. Não adianta vir aqui "chorar as pitangas" dizendo que não sabia que seria assim, que ele faria isso, que achava que seria diferente.

Todos temos um sexto sentido que sempre acaba nos avisando sobre o "ser" que estamos saindo. Claro, que a maioria das pessoas deseja um "felizes para sempre", mas aqui é vida real e vamos lidar com fatos e não "achismos".

Todos nós fazemos um pré julgamento da pessoa que estamos saindo. Claro que, ás vezes, nos enganamos. O galinha não é tão galinha e o santo, não é tão santo. Mas, em geral, as máscaras não demoram muito a cair. E geralmente a gente sabe direitinho aonde estamos nos metendo...

Vamos lá. Ter uma D.R saindo com o cara apenas 2 semanas, vamos combinar que é um pouco pesado. Aprendam uma coisa; quem gosta de conversar sobre a relação é a mulher. Claro que, toda regra tem sua exceção e tem homem que curte. Mas em geral, minha amiga, homem prefere ver o capeta do que ouvir você falar suas loucuras a respeito da relação dos dois. Agora você imagina saindo com um cara que você mal conhece? Medo.

Olha, se você está saindo com um cara, e percebeu que nada passará de noites de sexo ardente, mensagens no celular e alguns encontros e não é isso que você está buscando; saia de cena. Para quê gastar energia emocional, fazer joguinho ou ficar chateada?! Ou você vive o que no momento a relação te proporciona ou você simplesmente vai embora. Sem essa de ficar mal por um cara que saiu uma, ou duas vezes com você e sumiu. Isso faz parte da vida de solteiro. Nessa fase não tem compromisso, não tem D.R, não se tem nada. Se você for tirar satisfação com o cara,ele vai realmente lhe achar uma doida. Evite conversas desnecessárias. Seja mais leve.

Há algumas raridades que vão lhe ouvir falar e vão achar bacana você dizer que não quer mais sair com ele porque não é isso que você está buscando numa relação. Mas a maioria não terá maturidade para lhe entender. ou, talvez não queiram entender.

Diferente de você estar saindo com um cara há 2, 3 meses. Ai, as coisas parecem estar caminhando para outra direção. Aí, um papo sobre vocês, com muito jeitinho para não assustar o gato, talvez caia bem. Agora antes disso, acho muita maluquice desnecessária.

Você também pode estar saindo com esse cara e ver que há fortes chances de vir a se apaixonar. Ai você analisa o cara, ver qual é a dele, sente a "vibe". Depois disso você decide o que é melhor para você. Ou continua o casinho e paga para ver, ou sai antes de vir a se machucar. Acho que não há necessidade de ele ser notificado disso. Se ele sentir sua falta, cabe a ele procurar você ou não. Até porque não vai fazer mal algum ele lhe procurar um pouquinho... E se ele não lhe procurar, melhor que vá agora do que continue te enrolando.

Minha amiga, homens lidam com praticidade. Nós é que costumamos pensar e repensar tudo mil vezes. Vamos descomplicar a nossa vida. Sejamos mais leves, livres.

Relaxe e aproveite o momento. Se tiver mais, ótimo. Se não tiver foi bom enquanto durou.

Pensar assim faz bem a mente!

Beijos

@ludfigueira






quarta-feira, 28 de maio de 2014

Ousadia, ás vezes cai bem

Caro leitor, me responda essa pergunta:
Quem deve dar o primeiro passo: O homem ou a Mulher?

Há quem diga o homem (a maioria), a quem diga a mulher e há também quem diga os 2. É muita responsabilidade atribuir tudo ao homem. Acho sim, que há coisas que é legal o homem fazer antes que a mulher. Mas, por que sempre esperamos que o homem faça tudo? Ele precisa ligar primeiro, "chegar" primeiro, convidar primeiro... Preguiça dessa dependência arcaica.

Claro que, quando tomamos à frente temos que ter muito, mas muito cuidado. Porque vivemos numa sociedade mega ultra machista. Então qualquer "piso em falso" você é automaticamente rotulada com aqueles nomes nada agradáveis. Ousadia com moderação.

Mas, como fazer isso? Bom, parto do princípio que quem não arrisca não petisca. Depois de uma certa idade, você não lida mais com perda de tempo e energia. Exemplo: Você conheceu o cara na noite e trocaram telefone. Tiveram uma noite bacana. Passou uns dias o cara não apareceu. Aí, você pega o telefone e manda uma mensagem "tranquila" dizendo algum assunto sobre o qual vocês conversaram e puxa um papo. Se o cara responder prontamente e desenvolver uma conversa e claro, tocar no assunto de vocês saírem, ponto para você. Se ele não responder ou for frio (ser frio por mensagem é ótimo. Até porque você não está falando com a pessoa ao vivo. Mas, se ela não lhe mandar aquelas carinhas engraçadas ou ponto de exclamação), então minha amiga dê passagem a esse homem. Por um lado você ficará na "bad" pensando se o cara agiu assim porque você deu o primeiro passo e, por outro lado, você dará graças a Deus que não ficou naquela enrolação e naquela espera por algo a mais.

Sei que você lendo esse texto parece fácil fazer. Mas, a grande verdade é que é difícil dar o primeiro passo. Acho que é por isso que muitos tomam um álcool antes de "chegar" em alguém. Não é fácil puxar papo com quem você mal conhece, não tem intimidade. E como a chance de dar errado é grande, fica todo mundo em cima do muro.

Mas, alguém precisa dar o primeiro passo...

Já chegar num cara na noitada, acho pesado. Veja bem, não sou contra e nem a favor. Digamos que acredito que cada um deva fazer o que tem vontade com um certo bom senso. Puxar um papo na noitada sem se insinuar vulgarmente acho bacana. Agora é preciso moderação. Qualquer vírgula errada pode dar chance a má interpretação.

Acho que falar a que veio é sempre interessante. Evita mal entendidos e esperas intermináveis. Ficar de bem com a sua ansiedade faz bem a alma e a cabeça.

Claro que, é sempre mais fácil quando o homem dá o primeiro passo. Aí, a gente se sente confortável em dar corda ou não. Administramos melhor. Enchemos a boca e dizemos em alto e bom som: "Sabe o carinha da noite passada? Ele me mandou mensagem hoje!" Nossa, é incrível, mas soa como um troféu para a mulherada.

Ás vezes é necessário sairmos da nossa adorada zona de conforto. É bom também se sentir confiante, independente, sabe? A vida é você quem faz, é o aqui e agora. Já temos idade de sabermos o que queremos e irmos atrás. Ás vezes depende de você dar aquele empurrãozinho. Pense: Você não tem nada a perder, mas pode vir a ganhar, certo?

Pense nisso!

Beijos
@ludfigueira