quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Conheça algumas regras típicas dos homens que movimentam a night.

1- Geralmente estão usando a famosa "coleira"- Um cordão de prata/ Alguns possuem anéis no dedo indicador ou no polegar/ pulseiras também estão valendo...

2- São adeptos ao esporte: Musculação, futebol...

3- Nunca estão sozinhos/ Eles vivem em bando / Geralmente há um líder- O conhecedor da night e seus discípulos

4- Nunca estão de mãos vazias numa noitada: Ao menos com um copo de vodka com Red Bull / A pré geralmente é realizada em algum Bar badalado do momento

5- Alguns exibem tatuagem no Braço, onde também exibem seus músculos.

6- São galanteadores, não incomodam as mulheres, focam no alvo e se dão bem

7-Adoram uma dificuldade. Mulheres muito assediadas e cobiçadas se tornam o foco central da noite

8- Possuem estilo próprio e muita auto-confiança

9- São práticos e racionais

10- Cabeça erguida, postura confiante e um sorriso sarcástico no rosto

11- Possuem muitas "amigas"

12- Costumam dar mais atenção ao corpo

13- São rápidos na finalização

14- Não costumam pegar telefone / São objetivos nesse quesito - Mas quando pegam fazem a famosa "manutenção" (nunca se sabe....) / Também rola um "a gente se fala" assim fica no ar e ninguém se compromete.

15- São simpáticos e possuem boa argumentação

terça-feira, 26 de agosto de 2008

Me falta disposição...

Confesso que estou cansada. Sei que muitos de vocês estão, de repente, na melhor fase da vida de solteiro; mas para mim está cada vez mais complicado.
Estou perdendo a mão, desistindo do jogo, abandonando o barco, deixando espaço para concorrentes dispostas a participar dessa guerra de sexos. Não que o discurso seja encontrar um namorado, não é isso! Mas está tudo muito descartável, muito rápido, muito superficial. Seja para beijar na boca, seja para fazer sexo, seja para um segundo encontro.

Outro dia, fui almoçar com meu primo e seus amigos que têm idades entre 17 e 19 anos, e o papo na mesa era sobre as mulheres. A filosofia deles é "comer" o máximo de mulheres possíveis, ir para night, expor muitas garrafas de Absolut e Red Bull e pensar em um namoro lá pelos 30 anos. Logo depois, fui encontrar uma turma de amigos com idades entre 26 e 33 anos, e o papo era, adivinhem? Sobre a pré da semana passada, sobre a night onde as mulheres estavam "perdendo" para eles, sobre a viagem que vai rolar no reveillon, sobre a pegação no carnaval, sobre a bunda da mulher do lado ...

Notaram diferenças?

Desesperador. É o que eu tenho a dizer. Infelizmente, mulheres que me desculpem, mas grande parcela dessa situação de total descomprometimento dos homens se deve a nós. Estamos tentando competir de igual para igual com eles, tentamos ser independentes, fingimos uma fortaleza que, sejamos sinceras: Não existe!

Escondemos que nos apaixonamos, escondemos que somos sonhadoras, que adoramos estar junto, que queremos algo sincero, que andamos por aí sem rumo na esperança de esbarrar com aquele que vai se dar e nos dar uma chance de provar que a vida à dois é bem mais interessante.

Mas, voltando ao mundo real, ao momento de egoísmo brutal que vivemos, essa vontade de sair do estado civil de solteira, permanece cada vez mais longe. É mais fácil uma vaca voar do que você saber que uma das suas amigas está namorando.

Quando o discurso dos homens não é falando mal sobre as mulheres, colocam a culpa nos amigos: Seja porque alguns terminaram o namoro agora, seja porque tem um amigo que não pode sair sozinho, seja porque a night não é a mesma coisa sem todos juntos... Ou seja, você ainda tem que encarar uma disputa com os amigos. Que fase...

Sejamos sinceros, ainda compartilho da opinião que quando se quer realmente ficar junto, não importa amigos, não importa se a mulher é de night, não importa se transou de primeira ou de segunda, não importa nada, só importa o que os dois estão sentindo, que por sinal é o que basta.

Eu ainda não cheguei a nenhuma conclusão sobre o que podemos fazer para modificar essa imagem "caída" da mulher de hoje e esse pensamento "cafona" dos homens.

Mas, aqui vai uma dica: Seja você. Faça o que quiser sempre sendo bastante responsável e criativa. Deixe que "ele" (a) conheça você como é realmente, sem máscaras, de cara limpa.

Beijos

Lud Figueira

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

A Época da Intensidade

Culpa da carência solta pelas ruas? De repente por causa da demora em achar alguém que quando acha... Tudo bem. Cada um tem lá a sua explicação. A pergunta é: Quando será que seremos mais racionais e deixaremos esse emocional enlouquecido longe de nós?

É tão complicado encontrar alguém com quem possamos trocar uma idéia, ter uma química legal, um sexo gostoso, alguém que dê aquela balançada em nossas pernas, que quando isso acontece saímos que nem loucos, atropelando tudo pela frente e, na maioria das vezes acabamos batendo com a cara na parede! Pois, perdemos a direção, acabamos com o “pote”, fumamos tudo até a última ponta, fazemos tudo com aquela paixão, com aquela intensidade! Exato: Intensidade. Como equilibrar essa intensidade?

Início de qualquer relacionamento em nossa vida é marcado pela a euforia do momento. A ansiedade é uma que inferniza a vida de qualquer apaixonado (a). Palavras como calma, deixar rolar e relaxar, num começo marcado pela intensidade é completamente impossível. É tudo tão rápido, é tudo tão excitante, que qualquer uma dessas palavras que poderia se referir a um possível equilíbrio numa relação passa bem longe dos amantes.

É verdade que esses relacionamentos intensos, são marcados pela rapidez com que começam e a mesma rapidez com que terminam. Por outro lado, muitos deles se tornam inesquecíveis. Mas vai um conselho: Nada como algo mais tranqüilo.

Um pouquinho de intensidade, insanidade, não faz mal. Mas, saber dar um freio sem precisar magoar o outro é importante para a duração desse relacionamento.

Costumo reclamar de pessoas muito racionais. Mas infelizmente preciso concordar que na maioria das vezes essas pessoas estão certas. Deixar essa explosão de sentimentos de lado, e focar no que realmente deseja é o caminho certo para o sucesso de um relacionamento.

Beijos

Lud Figueira

sobre o blog

Amigos,

Alguns textos vão para o blog muito rápido e sem revisão. Desculpem qualquer erro que vocês encontrarem.

Beijos

Lud Figueira

terça-feira, 19 de agosto de 2008

A primeira impressão é a que fica?

Está mais do que provado que quando você não está a fim de sair e acaba saindo, acontecem as melhores noitadas, onde rendem as melhores histórias, mesmo que venham acompanhadas do prazo de validade.

São as noites que começam com um simples beijo, e terminam com uma luta intensa de travesseiros e edredons. Ali, naquele cenário com cheiro de arte, suor e medo do desconhecido, se cria uma intimidade momentânea, um desejo avassalador, uma fome que não tem fim, uma sede que não acaba e uma troca de olhares que escondem muitas palavras.

Certas noites como essas, geralmente não ganham mudanças no roteiro. Pois são marcadas pela intensidade, pelo calor do momento, pela paixão dos corpos. Mas, ás vezes, ganha outra forma de pensamento: O sexo faz com que dois desconhecidos se conheçam melhor. Estranho? É o que mais acontece: O sexo aproximando as pessoas.

Mas, será que uma noite cheia de arte, temperos e muito calor, pode causar uma impressão errada?

Acho que uma noite como essa, pode causar novos pensamentos, novas reflexões, mas nada que seja negativo. Acredito que possamos mudar nossos conceitos, aliás, devemos dar uma chance ao novo e deixar conceitos antigos para traz. Ou seja, até a primeira impressão sobre alguém, pode mudar, sem dúvidas.

Essa tensão de nos sentir testados o tempo todo é absurdamente irritante. Cansa essa mania de deixar a espontaneidade de lado. A boa é deixar o sorriso sair na hora em que quiser, deixar as palavras em seu percurso normal, deixar o controle ir embora e agir naturalmente.

Não viva seguindo uma única direção a vida toda, experimente virar à esquerda ou á direita, e ás vezes pare. É sempre bom conhecer outros caminhos, novas direções.


Beijos

Lud Figueira

segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Relacionamento... Quem disse que seria fácil?

Um assunto que rendeu muito nessas férias foi sobre o egoísmo e a individualidade do outro na relação. Como por exemplo, a falta de consideração com o outro, o não pensar no bem estar do outro, o não saber ceder, ou seja, apenas um manda e o outro obedece.

Claro que no começo, você não percebe esse egoísmo, porque nos primeiros meses tudo são flores. Mas, com o tempo, sua percepção sobre determinadas coisas mudam, e você começa a sentir falta de coisas que gosta, de coisas que sente falta, de fazer um pouco das suas vontades.

E aí? Começam as primeiras discussões, desentedimentos. Vocês conversam, conversam, conversam, o outro diz que não vai mais fazer. Teoricamente fica tudo bem. Os próximos dias correm com sol forte e sem previsão de chuva. Mas, não demora muito para a chuva aparecer e logo estão os dois discutindo novamente sobre o mesmo problema.

Relacionamento não é fácil, se fosse fácil ninguém iria querer ter um. Quem gosta de coisa fácil? O legal é vencer desafios, lidar com leões, quebrar regras, conquistar e nunca se sentir totalmente seguro numa relação, se não você acaba se sentindo superior e aquele friozinho na barriga some, aquela vontade de estar com o outro diminui, o encanto acaba.

Saber ceder é um dos primeiro mandamentos que os dois devem saber ao começar um relacionamento. Nem tudo para um, nem tudo para o outro. O pensamento é sempre em conjunto: Tudo para os dois. Pensar no bem estar de ambos, tentar fazer coisas que agradam a um e coisas que agradam ao outro. Quando se quer de verdade permanecer dentro de uma relação, é interessante saber pensar no outro.

Mas a falta de comunicação, a falta da fala do outro, a falta do outro saber se impor, faz com que o outro não perceba seus erros. Conversas para a evolução de uma relação são sempre bem vindas.
Não venha precisar perder o outro para se dá conta de como Ele (a) era importante em sua vida.
Precisar perder para dar valor, já está ultrapassado. Inteligente é saber valorizar o outro sem precisar perdê-lo.

Prestar atenção ao ser amado é um ato de amor e dedicação. Se está num momento onde não há espaço para o outro, repense se vale a pena continuar na relação. Mesmo que o outro não reclame de nada, não consiga falar o que o incomoda, nós sabemos quando não estamos fazendo o outro feliz.

Relacionamento é: Se entregar de corpo e alma, confiar, respeitar e se doar.


Beijos
Lud Figueira

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Sobre o Blog...

Amigos,

Desculpem pela ausência. Mas o blog precisou sair de férias. Estou me recuperando de uma tristeza que tomou conta de mim e levou embora minha alma alegre e sonhadora, crédula e romântica.

Dia 18/08, o blog voltará com seus textos diários e sua mania de não desistir de encontrar um equilíbrio entre o amor e a felicidade.

Beijos

Lud Figueira