segunda-feira, 23 de novembro de 2009

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Valorizar o "Passe"...

Esses homens são divertidíssimos!!

Estava eu, outro dia, conversando com um amigo que me disse:

" ...Aí, eu chamei ela para vir aqui em casa, conversamos, ficamos, mas deu uma certa hora ela pegou e foi embora. Achei ótimo por um certo lado, pois eu tentei fazer com que ela ficasse, para dormir comigo, mas ela foi embora. Por outro lado, é sinal que vou ter mais trabalho para conseguir o que eu quero e não sei se vale a pena, mas não posso negar que ela valorizou o passe!"


Bom, é verdade que os homens andam desconfiados. Também não é para menos. A mulherada se igualou e agora eles não sabem o que fazer. Antes de eles decidirem namorar com alguém, fazem praticamente uma prova de concurso público. Ganha o coração deles quem se sair melhor. Ou seja, antes era a mulher que escolhia com quem iria ficar, quem seria o melhor para namorá-la, hoje são os homens que testam as mulheres...Algo mudou....

Creio que seja pelo fato da grande oferta e da pouca qualidade oferecida pelo mercado. A verdade é que ninguém quer nada mesmo e o que a gente mais encontra são histórias e possíveis candidatos a possíveis encontros e só. Tudo vem num pacote com prazo de validade e ninguém tem mais paciência para conhecer o outro, o que acaba em relacionamentos frustrados e relâmpagos.

Prestar atenção aos nossos reais desejos e verbalizá-los, ajuda a não perder tempo e a facilitar a convivência à dois!

Beijos

Lud Figueira

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Dramas..

Ah! Como és fácil enganar-me!
Enganas meu pobre coração...
Tal, cheio de esperanças, sonhos e encantos;
Como podes agir de maneira tão vil, tão cruel?
Por acaso pensas que não tens coração?
Pensas que jamais sofrerá por amor?

Sempre me encontro a esperar-te...
O tempo para quem ama, não passa; caminha lentamente,
Castiga, féri, o sentimento de quem somente espera por um outro amanhã;

Sinto como se cada sorriso arrancado de mim pelas suas palavras,
fossem enganos de um coração que não se cansa de errar;

O medo se faz presente, a tristeza me abraça,
O frio me invade e o sol troca de lugar com a lua,
deixando tudo escuro, deixando tudo indeciso, deixando um coração instável...

A dor atribuida a esse pobre coração, será mais um obstáculo a vencer, será mais uma luta a ganhar...

Ah! Meu pobre coração!


Beijos

Lud Figueira

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

A história de nós dois

Amigos,

Fui assistir essa peça que é sem dúvida, uma ótima pedida: A História de Nós 2, no shopping da Gávea, teatro Vannucci.

Não Percam!

Beijos
Lud Figueira

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Nas "alturas"

Passei boa parte da minha vida tentando me encontrar. Ás vezes me procurava em rostos que passavam por mim nas ruas, em olhares ou em palavras onde me forçava a acreditar, dando crédito a bocas que acabara de conhecer. Logo percebi, que jamais me encontraria nos outros e sim, em mim mesma. Sabia que teria um árduo trabalho pela frente, teria que me desconstruir, me virar do avesso, para depois, aos poucos, me construir novamente.

Pois bem. Coloquei a mão na massa e comecei essa auto terapia. Só longe de tudo que me era familiar, longe de todos, que consegui alguns resultados dessa nova empreitada. Afinal, se reconstruir não é nada fácil. Requer disciplina, determinação e o mais importante: Foco.

Com o tempo, a escuridão se foi, a ansiedade tirou férias, o medo foi assombrar outras mentes. O tal do auto controle que há tempos havia sumido, enfim, estava voltando. Mais confiante, comecei a me aventurar em uma mudança maior na minha reconstrução, me propus um novo mundo, uma nova idéia, uma nova vida.

Muito cansaço mental, esforço físico e pronto: Meta alcançada. Mas, não contei com o fator surpresa, com o inesperado, com a prova final.

Quando tudo parecia resolvido, nas "alturas" encontrei o fator surpresa que depois de uma luta interior, resolvir parar e pensar. Foi quando tudo que parecia certo ficou incerto e o incerto começou a parecer certo.

Não sei por quanto tempo a dúvida me fará refém. Mas, sei que quando ela aparece é sinal para pensar e não fazer nada, não tomar nenhuma atitude, simplesmente pensar muito bem sobre as escolhas que faremos a seguir.

Corri bastante. Mas na reta final, antes da linha de chegada fui parada por algo que não esperava. Pega de surpresa, me dei um tempo, afim de analisar questões que havia passado por mim despercebidas.

Não sei quanto tempo será preciso para entender o novo, o inesperado, esse fator surpresa. Também não sei se é algo que tenha que ser entendido ou de repente vivido.

Vamos aguardar...

Beijos

Lud Figueira

domingo, 13 de setembro de 2009

Agora é o meu momento!

O blog nunca ficou tão solitário como agora. Peço desculpas, mas estou numa super correria!
Juro que depois explico!

Dica de hoje: Agora é o seu momento!A fase de agora chama-se: Determinação! REALIZAÇÃO dos objetivos! Tirar as metas do papel e colocá-las em prática! Tire o dia de hoje para cuidar de você! Mudanças já!

Beijos saudosos!

Lud Figueira

sábado, 1 de agosto de 2009

Todos iguais..


Roubei essa foto no facebook de uma amiga espanhola. No site dela, cada pintinho desse vinha marcado com o nome de uma amiga.
Traduzindo para o meu blog, pensei bem e achei perfeito para se enquadrar ao tema de hoje: A única coisa que diferencia esses pintinhos são as cores, por que "pintos" todos são! ehheheheh
O mesmo acontecem com os homens... Podem ter outra nacionalidade, serem brancos, pretos, amarelos, vermelhos, mas são homens...E são todos iguais!!!! Todos iguais!!!
Amam, odeiam, gostam, falam verdades e mentiras, são fiés e infiés.. Assim como nós mulheres...
E o grande interessante disso tudo, é que ambos vivem buscando o mesmo, mas sempre em sentidos diferentes...Por isso, sempre caimos na mesmice dos mesmos questionamentos, sempre tentando entender o que talvez não seja para entender, seja apenas para viver...
Porque sempre fazemos tantas perguntas? Que necessidade é essa que temos de sempre ter que entender tudo? Ás vezes me sinto uma criança na fase do Por que... Que fase chatinha, hein?
É isso. Não temos que procurar respostas, temos que deixar elas nos encontrarem... Assim como o amor. Deixemos que "ele" nos encontre, nos dê um sinal de vida, nos chamem para sair....
Vamos nos dar uma férias. Vamos ser livres de perguntas e respostas. Vamos nos libertar do mal dos questionamentos da nossa vida sentimental!!!
Abram a janela, a porta e vivam livres e lindas sem tantos porques...
Beijos
Lud Figueira

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Instablidades oculares

Eu já havia visto seus olhos circulando pelos mesmos ambientes que os meus. Mas, eram olhares que me deixavam nervosa e ansiosa, talvez por certo medo que, não sei como explicar, me paralisava e não me deixava falar ou tomar nenhuma atitude, nada...

Os dias se passaram e quando me dei conta, seus olhos não me assustavam mais. Ao contrário, eu me via em seus olhos e nas suas palavras. O tempo passou, e me acostumei com uma amizade quase impossível de se imaginar, pois enormes eram minhas confusões sentimentais. Mas, ela, essa estranha amizade, veio, se instalou e aqueles problemas todos sumiram e deram lugar a um novo sentimento, a uma paz estranha, a uma calma inimaginável.

Mas, tudo isso tinha um fim. Estamos falando de uma diferença geográfica, de alguns milhões e incalculáveis quilômetros de distância, separando pessoas que se consideram complicadas e diferentes habitantes de um mundo tão complexo e individualista. Onde vemos todos os dias pessoas recolhendo os pedaços dos corações partidos e esquecidos em alguma rua, em algum lugar.

Os momentos vividos sobre forte ansiedade acabaram-se. O passar dos dias foram estranhos, sozinhos... Sentia-me como se tivesse perdido alguma coisa, sem saber ao certo o que, o que eu havia perdido e não me lembrava...

Depois de um tempo, percebi que no auge da emoção, me deixei levar por olhos que mudam de acordo com o ambiente, de acordo com a companhia, de acordo com o tempo... Vejo agora, que meu medo de antes não era uma besteira e sim, um aviso.

Agora estou perto de rever tais olhos. E, confesso que não sei o que esperar.
O pós foi tão estranho, o silêncio dominou nossas bocas de uma forma que nunca poderia prever. Não sei se esses olhos ainda são os mesmo que me fizeram mudar toda uma forma de pensar em poucos dias... Não sei.

Apesar de ter dado umas férias para a impulsividade e a ansiedade, confesso que por mais que os olhos que eu esteja procurando tenham desaparecido nesse mundo mundano e instável, ainda quero encontrá-los mais uma vez.

Não falo de esperanças, e nem de sonhos. Mas a clareza das palavras e de sentimentos tão raros que pude ver naqueles olhos, até hoje acompanham meu sono, meu caminhar, meus dias solitários.


Beijos

Lud Figueira

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Amar, apenas amar....

Estava eu, bisbilhotanto o blog de uma amigo querido, quando vi esse texto!
Muito bom, vocês vão gostar!

http://socialhumanculture.blogspot.com

Beijos
Lud Figueira
-----------------------------------------------------



Mario Quintana falou, Mario Quintana avisou....
O amor só é lindo, quando encontramos alguém que nos transforme no melhor que podemos ser. A dor de um coração partido é inevitável, mas o sofrimento é opcional! E lembre-se: é melhor ver alguém que você ama feliz com outra pessoa, do que vê-la infeliz ao seu lado.Eterno, é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma força jamais o resgata...Um dia descobrimos que beijar uma pessoa para esquecer outra, é bobagem.Você não só não esquece a outra pessoa como pensa muito mais nela...Um dia descobrimos que se apaixonar é inevitável...Um dia percebemos que as melhores provas de amor são as mais simples...Um dia percebemos que o comum não nos atrai...Um dia saberemos que ser classificado como o "bonzinho" não é bom...Um dia perceberemos que a pessoa que nunca te liga é a que mais pensa em você...Um dia percebemos que somos muito importante para alguém, mas não damos valor a isso...Um dia percebemos como aquele amigo faz falta, mas ai já é tarde demais...Enfim...Um dia descobrimos que apesar de viver quase um século esse tempo todo não é suficiente para realizarmos todos os nossos sonhos, para dizer tudo o que tem que ser dito...O jeito é: ou nos conformamos com a falta de algumas coisas na nossa vida ou lutar para realizar todas as nossas loucuras... Quem não compreende um olhar tampouco compreenderá uma longa explicação.Não ame pela beleza, pois um dia ela acaba. Não ame por admiração, pois um dia você se decepciona...Ame apenas, pois o tempo nunca pode apagar um amor sem explicação".(Mario Quintana)

domingo, 26 de julho de 2009

Esse seu olhar...

Ah... Depois que esse olhar cruzou meu caminho eu nunca mais fui a mesma. Na verdade eu demorei a vê-lo, demorei a deixá-lo entrar, talvez por receio, talvez por saber do estrago que ele provacaria em mim. Ah! Esse olhar...

Passei na prova de resistência. Resistir a todas tentações, claro que, confesso que por muitas vezes pensei que não iria resistir... Quando me sentia segura, vinha seu cheiro me invadindo sem pedir licença, tomando conta dos meus sentidos, me tirando o chão, percorrendo meu corpo, me fazendo pensar se valia a pena mesmo resistir tanto....

Porque não eu?

As palavras que sairam da sua boca, me fizeram pensar. Mas, do que adiantava, todos nós sabíamos a verdade, aquela verdade que talvez, se fosse "revelada", não teríamos vivido tantas coisas, tantos momentos e poucos silêncios... Muitas palavras, muitos olhares e uma boca vermelha.

Os cigarros não seriam os mesmos. O tempo não teria a mesma graça. O consultorio sentimental teria fechado as portas ou caído na mesmice dos textos clichês.

O coração não teria enxergado uma luz no fim do túnel, a conquista não teria ficado tão excitante, o acordar na manhã seguinte não seriam de "sol" e jamais teria enxergado que nem todo momento perfeito precisa de algo mais... E saber que esse algo mais é um suspense delicioso de se degustar...

"A mi tan poco importa" y si, todo es possible...TODO...

Besos
Lud Figueira

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Direto da terra das trevas....

Amigos,

Esses meses eu andei meio ausente, mas por um bom motivo: Estudar inglês.

Vim parar aqui na Irlanda, em Dublin, um lugarzinho que só faz chover e frio.

Longe das praias cariocas, da família e dos amigos queridos, aprendi muitas coisas. O primeiro esse lance de lidar com a saudade, depois a difícil tarefa de aprender uma língua que não me atrai, que acho fria, sem emoção e o mais complicado: Morar com pessoas que nunca havia visto na vida e aprender a conviver com defeitos e diferenças.

Agora que faltam 35 dias para voltar, posso fazer um saldo do que foram esses seis meses longe de casa e logo adianto que foi uma experiência essencial para meu desenvolvimento e para meu amadurecimento.

Posso dizer que estou concluindo uma etapa que achei por muitas vezes que não conseguiria. É muito difícil, ainda mais uma mulher, sozinha, sem conhecer ninguém em um lugar muito, muito diferente de tudo e distante de todos.

Mas, como o blog é sobre relacionamentos, não vou me demorar mais falando sobre minhas aventuras e desventuras em terras dublinas e vou direto ao assunto:



Homens e Mulheres


Na Europa, no Brasil, não importa é tudo igual. Nos meus dois meses na casa de uma família Irish, lembro que por muitas vezes minha host vinha falar sobre os dilemas amorosos dela, tentando saber porque os homens são tão egoístas e tão indiferentes ao amor. Depois me vejo morando com quatro homens e todos me perguntando porque as mulheres são todas iguais, porque elas nunca sabem o que querem e porque são tão complicadas e sempre estam vendo problemas em tudo.

Ou seja, homens e mulheres são iguais. Por isso que um precisa do outro, pois no final, se completam.

Mas a grande arte disso tudo, é tentar entender porque ambos agem completamente diferentes para atingir o mesmo objetivo: Ficar junto.

OK. Não vamos falar no tal joguinho que homens e mulheres fazem o tempo todo. Vamos falar em porque para se proteger a gente age assim? Se proteger? Ah.. para não sofrer...Ué, então porque mesmo assim estamos sempre em crise, estamos sempre sofrendo... De repente está na hora de mudar essa estratégia de jogo, porque acho que no final das contas a gente está na mesma.

Por exemplo. Conheci umas espanholas. Elas não ficam com qualquer um, não beijam qualquer um, mas também, quando beijam vão diretamente para o sexo. Ou seja, elas valorizam o beijo na boca, mas também quando beijam vão até o final (claro que, estou generalizando). Nós não; a gente beija todo mundo e "valorizamos" o sexo... Quer dizer, algumas... Porque hoje em dia, a situação está cada vez mais favorável para o mundo masculino...

O que será que passa na cabeça desses homens? E os espanhóis o que pensam sobre isso? Acho que enquanto para uns isso pode ser estranho, para outros isso é normal...Vai entender...

Conheci também, um menino difrente. Digo menino, porque com 20 anos uma menina já é uma mulher, mas um menino de 20 anos creio que ainda não é um homem. Pois bem, ele me ensinou que nem sempre um momento perfeito precisa de um beijo no final, que às vezes driblar a ansiedade e viver sem esperar é o melhor, e conhecer uma pessoa, muitas vezes, é melhor do que apenas trocar salivas...

São coisas que no "calor" do momento não prestamos atenção, ligamos o botão: Sexo, drogas e rock'n Roll e relaxamos. Mas, ser menos ansiosa às vezes é a melhor opção.

O que mais me chamou atenção foi a vida dupla dos homens. Tudo bem que eu sei, que nós mulheres não somos santa, mas homem também não é fácil....

Os piores foram os que tinham namorada. Um tal de "Oi, amor tô morrendo de saudades!" e depois, ligavam para as outras e combinavam a noite....Nossa! É tão cafona pensar que nos dias de hoje, dias tão liberais, a galera ainda continua tendo essa vida dupla e esse comportamento desnecessário... Enfim, isso vem de muitas décadas, difícil é mudar todo um pensamento e sociedade machista.... Agora mulher fazer isso é vista como "Piranha"... Agora Homem fazer isso é visto como o "Bom", o "pegador"... Fazer o que?



Bom, de tudo isso, posso dizer... "Se chorei ou se sofrir, o importante são as emoções que vivi.... Já diria o Rei...



Beijos
Lud Figueira

sábado, 4 de julho de 2009

Apenas mais um romance...

Posso falar? Não, não se preocupe. Minha conversa é de outra forma, é seu coração quem vai ouvir. Serei breve, eu prometo.

Como o ser humano consegue coisas incríveis. Me diga a mágica que tal consegue fazer uma pessoa desaparecer sem deixar rastros, sem deixar lembranças, sem deixar cheiro, um fio de cabelo?

Qual foi o ponto de partida? Da onde saiu essa força de pensamento, essa atitude fria, essas palavras silenciosas?

Desculpa. Já estou aqui denovo, falando sem parar, fazendo mil perguntas... Mal o deixando respirar... Ok. Vou começar denovo.

Se lembra do seu primeiro sorriso para mim? Aquele, em frente ao mar, o primeiro ao me conhecer, o culpado por todos os acontecimentos que se seguiram, o irresponsável e criativo escritor de toda uma história...Áquele que eu vi muitas vezes sendo dado para outros rostos, conquistando novos corações, roubando inocentes sentimentos, tirando a paz de vidas sonhadoras...

Ah... Momentos, risadas, lágrimas, abraços, emoções para tão pouco tempo. Intensidade e ansiedade, unidas por um só desejo, uma só fome, uma só vontade, um só gostar...

Todo carnaval tem seu fim. Toda ilusão acaba. Nem todo romance tem seu final feliz...

Me pergunto quando que a música parou de tocar. Em qual estação nos perdemos. Onde foi que erramos o caminho...

Mas sempre acabo sozinha num quarto escuro rodeada por achismos, idéias perturbadoras, fantasmas cabulosos que não me deixam em paz, que me sugam e me levam para escuridão do silêncio de olhar, do olhar gélido e sombrio, que me rouba a alegria, a esperança em dias melhores...

Me perdi no tempo, me permitir pensamentos ilusórios e vontades ofegantes. Confesso toda minha culpa, toda a minha grande culpa no mundo preto e branco.

Noites perdidas em idéias desconectadas. Corpo incansável, mente em movimento, sem tréguas, à espera de um novo amanhecer, de um beijo roubado.

Me despeço de um início que não chegou, mas de um fim esperado.

Sem mais palavras,

Lud Figueira

terça-feira, 30 de junho de 2009

Muito Romântica

"Não tenho nada com isso nem vem falar
Eu não consigo entender sua lógica
Minha palavra cantada pode espantar
E aos seus ouvidos parecer exótica
Mas acontece que eu não posso me deixar
Levar por um papo que já não deu, já não deu
Acho que nada restou pra guardar ou lembrar
Do muito ou pouco que houve entre você e eu"


O Círculo - Muito Romântico

É isso. Minhas palavras escondi dentro de mim e para você eu não as procuro mais. Uma vez que se perde o respeito, se perde todo um sentimento, se perde tudo, nós mesmos nos perdemos. Seja qualquer tipo de relacionamento, sem respeito, dificilmente terá um amanhã.

Fico tentando encontrar respostas para tamanha indiferença, para tanto pouco caso por alguém que o único erro foi se apaixonar por um coração que ainda não aprendeu a amar.

Sinto um grande desconforto, pois para manter a palavra dada, preciso me livrar de qualquer resíduo que a sua passagem pela minha vida possa ter deixado. É nessa parte que vou precisar da força que não sei se tenho, da força que toda mulher apaixonada esquece e se sujeita a situações cliches de falta de amor próprio e depois não encontra o caminho de volta e se perde na identidade do outro, na cegueira por um sentimento que tal não sente o mesmo.

Admiráveis os amantes que conseguem passar por cima do sofrimento, das lágrimas e se impõem diante das situações desfavoráveis do mundo dos relacionamentos. Esses descobrem o caminho para a felicidade mais cedo, pois valorizam seu amor, seu coração e sabem a hora certa de ir embora, de sair de cena, de abandonar o barco.

Por causa da minha falta de palavra, do meu "mole" coração, deixei você fazer tudo, me destruir ao máximo, e só depois de chegar ao fundo do poço, ao pior nível, eu ao menos consegui susurrar- " Não quero mais. Estou pedindo para sair..."

Agora estou passando pela pior parte. Agora estou dependendo da ajuda do passar das horas, nada como o tempo para aliviar tensões e mostrar novas perspectivas do amanhã tão esperado... Depois da tempestade sempre aparece o sol, o difícil é esperar...

Beijos

Lud Figueira

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Momentos

Estou com saudades das caminhadas por calçadas que em minha memória permanecerão para sempre. Dos momentos encantados vividos sem esperar por um amanhã. Das gargalhadas as altas horas da manhã. Dos flertes pelas ruas ensolaradas. Dos pés cansados de tanto procurar belezas inesquecíveis. Das noites quentes tão esperadas.

Saudade que tenho a impressão de sempre ter sentido. Olhares que capturaram imagens de dias que não voltarão, de sentimentos intensos. Lembranças que jamais serão esquecidas, lágrimas de desabafos, conversas intermináveis, parceria inimaginável, amizade selada.

Assim se construiu a viagem dos sonhos. Cheia de incríveis paisagens, filme com todos os personagens, cenas de aventura, ação, terror, comédia e muito romance.

O coração ficou apertado ao se despedir. Mas a partida já estava marcada, um momento com hora e dia para começar e terminar. Metade de mim ficou gravada nas ruelas, praças e becos espalhados pela terra prometida, pelo sonho realizado, pela dor da partida.

Madri. Guardada com carinho no coração de uma sonhadora.

Beijos

Lud Figueira

domingo, 31 de maio de 2009

Another lonely day...

"wish there was something
I could say or do
see cause I can resist anything
but the temptation from you
but I'd rather walk alone
than chase you around
I would rather fall myself
than let you drag me on down"

Another Lonely Day- Ben Harper

Acordei procurando algo, olhando para o lado da cama, olhando debaixo do edredom... Não achei você em lugar nenhum. Meu coração disparou, minha respiração parou, meu estômago revirou... Eu sempre soube que um dia você me deixaria, que um dia você volatria para os braços dela, da preferida, da numero um, da dona do seu coração, da sua pequena.

Vai. Me deixa só. Perdida. Abandonada em cima da cama, enrolada nos lençóis da nossa noite, inebriada pelo seu cheiro na minha pele, lembrando das suas mãos perdidas em meu corpo, seus olhos de encontro ao meu, cantando meu coração...

De repente, eu lembro, dos nossos corpos virando apenas um, nossas mãos caminhando juntas, encontrando a arte dos corpos dançantes, da arte, do suor....

Ainda sinto você. Posso vê-lo, mesmo longe de mim, ainda posso tocá-lo. Ainda há lágrimas, há saudade do tempo que se foi, dos poucos momentos juntos, daquele sorriso atrevido, daquele gingado, com aquele olhar de mistério, ah! Aquele olhar...Me tira do sério, que me deixa louca dentro da roupa, que me alucina, que me devora, me bagunça, me cega.


Ás vezes parece que você ainda está aqui...Vejo você saindo do banho, enrolado na toalha, passando seu perfume e eu te agarrando, te jogando na cama, dando beijos no seu pescoço, invadindo seu espaço, sua vida...

Agora fico só com lembranças, fico aqui esperando você sair da minha vida, desocupar meu coração, me libertar desse sentimento contraditório, dessa oscilação de humor, dessa confusão interior....

Preciso me reconstruir, fazer uma faxina, mudar, me recuperar....

Preciso do meu eu que foi embora com você.


Beijos

Lud Figueira

domingo, 17 de maio de 2009

Estado Sublime




Preciso de alguém que me anime
Que não apenas de mim se aproxime
Que através de acertos me ensine
Que olhando nos meus olhos me fascine
E me mostre o que é o estado sublime

Preciso de alguém que me alucine
Que ande comigo e nunca desanime
Que na corrida dos ratos seja a Minnie
Que venha de bike e não de limusine
E com você meu estado que é sublime

Preciso de alguém em que confie
Que não me julgue e nem me subestime
Que seja o atacante do meu time
Que marque comigo em frente ao Belline
E ali ficamos em estado sublime

Preciso de alguém que hipnotize
Que meu ambiente interno harmonize
Que ature quase todos meus deslizes
Que fique comigo não importa a crise
Que o nosso estado sublime priorize

Preciso de alguém que me balize
Que fuja comigo sempre da mesmice
Que goste das minhas esquisitices
Que jamais erga o seu dedo em riste
Que ao meu lado nunca fique triste
E viva sempre em estado sublime

Preciso de alguém que se aventure
Que faça por onde o inicio dure
Que com meus beijos nunca se acostume
Que ouça os meus versos e ame os vaga-lumes
Que de tanto amor nunca haja ciúmes

Preciso de alguém que seja imune
Que não se mostre uma pessoa rude
Só não me engane e não se iluda
Que se faltar paixão a gente muda
Posso até levar um pé na bunda
Mas é sublime o estado quando a gente gruda





Preciso de alguém que me ajude
Que leve a vida cheia de atitude
Que seja minha fonte da juventude
Que do meu corpo hoje e sempre abuse
Que saiba qual é minha maior virtude
Subliminar o estado quando estivermos juntos



POSTADO POR #SHC#/ Pedro Laviaguerre

beijos
Lud Figueira

Conflitos Interiores/ Se Redescobrindo...

Sabe, não sei o que fazer. Tento manter uma única só postura, tento driblar minhas ansiedades e minhas emoções, pois por vários momentos penso que vou desabar, penso que não vou agüentar, penso em desistir. Mas insisto, persisto, pois me vejo em você, e hoje sei como é horrível viver ao lado de alguém que muda constantemente de humor, que numa hora te abraça e na outra lhe dá um tapa.

Fico a pensar que tudo não passa de conflitos interiores, de confusões sentimentais, de uma tática frustrada para não gostar, para me afastar, provar para si mesmo que pode dominar seus sentimentos... Que maneira estranha.

Sinto uma grande dor, pois não aprendi a lidar com grosseria, pois não sei pagar na mesma moeda, não sei ferir alguém que para mim é especial, tenho carinho... Algo que poderia se transformar numa amizade, hoje derrama lágrimas, pois nem isso terá.

Os outros precisaram me lembrar de procurar meu amor próprio, perdido na cegueira por amor sentido pelo outro, perdido em poucos sorrisos, em poucos abraços, perdido em algumas migalhas de carinho e atenção...

Chega de situações constrangedoras, chega de encontrar portas fechadas, chega... 

Beijos

Lud Figueira

 

sábado, 16 de maio de 2009

Desejos Proibidos....

Sujo. Acho que é um tipo de gosto que não se entende, que não se define... fico olhando, fico apenas observando...Estranho. Sinto uma sensação que não sei identificar.... Tenho vontade de tirar sua roupa, sentir seu cheiro, seu suor, beijar sua boca e transar, trepar, fuder...Seja o nome que for....

Seu silêncio me ataca, seu mistério me confunde... Sinto um arrepio, um medo... Ás vezes culpa, estranhos sentimentos, confusos, loucos...

Acho que talvez isso que faz a diferença.... talvez esse tempero proibido seja o responsável por esse toque especial...

Tem alguma coisa no seu jeito de falar, no seu olhar, que me tira do sério, que faz o não parecer sim, que me arrepia dos pés a cabeca, que invade meus pensamentos, me desconstrói, me vira do avesso...

Tenho vontades censuradas, tenho desejos reprimidos, porque o "não" me tira as forças, porque a frieza me espanta, porque o mal humor me joga no vazio da escuridão...

Ainda vou descobrir.... ainda vou descobrir qual é o segredo dessa beleza bruta, desse charme de menino abandonado, desse ar de moleque rebelde, dessa boca de onde sai palavras bonitas e sentimentais, palavras que acertam em cheio qualquer coração a procura do amor....

Me faz misturar estações, me faz oscilar de humor, me faz amar e odiar, me intriga, me persegue, mesmo de olhos fechados consigo vê-lo, consigo pegá-lo, consigo senti-lo.... Pois seu cheiro me toma, me devora, me ataca, me assalta, me rouba os sentidos...

"Não tenho nada com isso, não vem falar...Eu não consigo entender sua lógica...."

Beijos

Lud Figueira

domingo, 19 de abril de 2009

Miss Independent

"Tem alguma coisa no jeito que ela anda,
Não consigo adivinhar, alguma coisa nela. (alguma coisa nela)
Digo ooh tem algo,
Nesse tipo de mulher que te quer mas não te precisa
Hey, não consigo adivinhar, tem algo nela.
Porque ela anda como uma chefe, fala como uma chefe
Unhas de manicure, acabou de mandar a pedicure embora
Ela é estilosa sem esforço
Porque ela anda como uma chefe, faz o que uma chefe
Faz, ela me fez pensar em me deixar envolver
Esse é o tipo de garota que eu quero"

Traducao da Miss Independent- Ne-yo
---------------------------------
Talvez por fora consigamos ser essa mulher, essa mulher sonhada, essa mulher que corre atrás do que quer, dessa mulher que é racional e deixa as emoções econdidas no quarto escuro e tranca a porta.

Mas, essa mulher perde a coroa quando se encontra apaixonada. Essa mulher se descobre humana, capaz de falhas e capaz de sofrer por um amor, capaz de amar...

Essa mulher descobre as alegrias e as aflições do amor, se descontrola, se desconstrói, vira do avesso, não se conhece mais...

Mas ela reconhece e para. Pede para sair do jogo quando não consegue mais se machucar com esse tal jogo perverso do amor... Ela se rende. Ela sai e enxuga as lagrimas e levanta para um novo dia, um novo momento, um novo amor...

O sorriso é seu cartão postal. Os cabelos a moldura do rosto que só tem olhos e bocas, sedentos por mais uma troca de olhares, por beijos sem fim, por momentos de arte, suor, por prazeres desconhecidos do amor...

Ela não pára de acreditar, ela não se entrega a solidão, ela resiste e não para de caminhar na longa estrada que vai ao caminho do amor, do sonho, da realização...

Ela é independente, ela sabe o que quer e ela vai atrás, ah vai....


Beijos

Lud Figueira

sábado, 18 de abril de 2009

Pensamentos Soltos / Ideias Jogadas...

Esperar, ter esperança, querer que aconteça, querer que chegue logo a hora, aquela hora que o amor vem sem bater, se instala, deita, dorme, acorda, vive em você, em mim, em nós...

Será o maior, o melhor presente dessa vida, amar e ser amado? Será uma difícil tarefa,eu sei... Será um árduo caminho a percorrer, mas quem disse que seria fácil? Quem já o sentiu, quem já o viveu, conhece as ilusões, as maravilhas de estar apaixonado, de estar inebriado pelo vírus do amor e feliz pela sorte de tê-lo encontrado...

Ah! Amor... Onde foi se esconder? Onde se perdeu? Me diz, pois não medirei esforços para encontrá-lo, não haverá sede ou fome, não haverá obstáculos que me façam desanimar, que me façam desistir de encontrá-lo, de sentir a alegria que é estar inebriado por esse perfume chamado amor, chamado felicidade, chamado paz.

Paz que se torna oscilante na carona das emoções do amor, da instabilidade da falsa segurança do coração do outro... Paz, sentida ao encontrar aquela metade perdida no olhar do outro, no aperto das mãos, naquele simples e inesquecível abraço, no beijo que não tem fim...

Desconstruindo a arte do amor, reinventando-o, tirando-o da rotina das definições impostas...

Apenas, sinta-o.. Quem? O amor...

Ah! O amor....


Beijos

Lud Figueira

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Nao precisa mudar...

"Se eu sei que no final fica tudo bem
A gente se ajeita numa cama pequena
Te faço um poema e te cubro de amor"

Nao precisa Mudar- Ivete Sangalo e Saulo.

Que final? Quando acontece esse final?! Para que brigar, chorar, sofrer, se no final, depois de tudo, vem o sol e fica tudo bem... A tempestade passa, o frio da lugar ao calor, as lágrimas são trocadas pelo sorriso, aquele que ilumina o céu escuro, que rejuvenesce as pessoas, que coloca vida e emoção nas palavras ditas.

Final?! Nao, meu amigo. É só o começo, é só o início de uma longa história que jamais será esquecida, nem que seja para ser guardada como um segredo, guardada no coração, guardada com carinho para ser lembrada sempre que se quiser um pouco de sol, sempre que se quiser sorrir, sempre que se quiser ver o coração dando pulos de alegria, por ter vivido tal aventura, por ter experimentado sentimentos que só quem possui coração dançante pode entender, pode sentir, pode sentir saudades de uma deliciosa época que só existirá em nossos corações.

Ah..Final, aquele que termina uma história e aperta o start da outra, da outra história que ainda está por vir, que tem sede e fome de começar a viver aquelas aflições, aquela agonia de sentir algo que nem se sabe ao certo o que, que vem de nao sei de onde, e vem nem sei porque, mas dilacera, bagunça tudo, revira pensamentos escondidos e muda, muda tudo de lugar, causa estragos e ilumina de alegria e lágrimas por onde passa, mostrando um descompasso de sentimento, uma oscilação de humor, uma dualidade estranha...

Não mude, não perca esse tempero que lhe é tão peculiar...continue assim, vivo na memória daquele que por você lhe tem amor...

Beijos

Lud Figueira

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Declarações Silenciosas

Quando eu ouvi a música dos Los Hermanos (Último Romance) eu percebi a imensidade do sentimento pelo ser amado, eu senti nas palavras cantadas, na tristeza do olhar, no silêncio das atitudes. Sim, eu vi, eu enxerguei o amor, eu pude ver o ser amado lendo jornal na fila do pão e vi que tal não estava perdido e que já havia encontrado seu amor, separado por alguns milhões de quilômetros, mas, perto do coração....

Sim, de repente foi isso que me matou, que me tirou a razão, que me fez conhecer a alegria e a dor ao mesmo tempo. Sim, foi isso que me desestruturou, que me abalou, que me levou embora o juízo, que me fez me comportar diferente, que me fez perder, me perder no mar do silêncio, das palavras inventadas, das palavras perdidas e jamais faladas, da espera incansável, da mudança sonhada...

Eu vi, a espera sofrida pelo ser amado;

Eu senti o que e estar com alguém e pensar no outro;

Eu senti o acordar do dia seguinte ao lado de outro e o olhar do arrependimento;

Eu adiei o fim por medo da verdade;

Mas houve um calor, houve uma ligação, houve um sentimento descompensado, incompreendido, que se instalou momentaneamente nos corações confusos, perto das emoções intensas e inexplicáveis , mas sentidas..

Estou aprendendo a entender o silêncio das palavras, estou aprendendo a viver sem explicações, estou aprendendo a ultrapassar obstáculos de olhos vendados;

Estou crescendo ao levantar de mais um mal passo dado, estou crescendo ao enxergar um sorriso atrás de uma armadura, uma tristeza cantada, uma dor velada;

A força vem incrivelmente desses momentos que dilaceram nossos corações, que confundem nossos sentimentos, que nos tira a razão, logo ela; a razão, tão importante e tão ausente nos últimos tempos...

A rapidez com que veio foi a mesma com que foi embora. Com pressa, com fome, atingir novos corações, novos desavisados, novos sonhadores...

Aberta as inscrições para novas desventuras do amor. Aberta as inscrições para os corajosos, que caem e levantam sem medo de errar, sem medo de sofrer, sem medo de amar....

Beijos

Lud Figueira

domingo, 12 de abril de 2009

Ultimo Romance

Eu encontrei-a quando não quis
mais procurar o meu amor
e o quanto levou foi pra eu merecer
antes de um mês e eu já não sei
e até quem me vê lendo jornal
na fila do pão sabe que eu te encontrei
e ninguém dirá que é tarde demais
que é tão diferente assim
do nosso amor
a gente é quem sabe pequena
ah vai me diz o que é o sufoco que eu te mostro alguém
a fim de te acompanhar
e se o caso for de ir a praia
eu levo essa casa numa sacola..
eu encontrei-a e quis duvidar
tanto clichê
deve não ser
você me falou
pra eu não me preocupar
ter fé e ver coragem no amor
e só de te ver
eu penso em trocar
a minha tv num jeito de te levar
a qualquer lugar
que você queira
e ir onde o vento for
que pra nós dois
sair de casa já é
se aventurar
ah vai me diz o que é o sossego que eu te mostro alguém afim de te acompanhar
e se o tempo for te levar eu sigo essa hora eu pego carona
pra te acompanhar

Los Hermanos

Beijos
Lud Figueira

quinta-feira, 26 de março de 2009

Amenidades

Leitores queridos,

Realmente comigo aqui na Irlanda o blog deu uma parada. Ate porque aqui é tudo muito diferente, cada dia uma emoção, uma sensação diferente, além do mais nem sempre estou perto de um computador. Isso providenciarei em breve, mas enquanto isso, fica difícil saber quando terei textos novos e interessantes.

Estou fazendo muitas anotações, pois aqui é tudo muito intenso, os relacionamentos terminam e começam de uma forma assustadora! As pessoas ficam muito carentes, acabam se entregando, criando uma intimidade de apenas horas!

Nao me esqueçam, mas estou passando por um periodo muito complicado de adaptação. Assim que passar esse periodo, prometo textos maravilhosos!!!!

Muitos beijos

Lud Figueira

quarta-feira, 11 de março de 2009

O silêncio das palavras

Algo que causa medo e impotência, causa ansiedade, causa frio e calor ao mesmo tempo, me refiro ao olhar, ao olhar que domina e manipula, ao olhar que vale mais do que mil palavras e deixa você sem fala, sem reação...

Diante desse fato, nos sentimos acuados. Pois qualquer movimento errado, qualquer passo errado, colocamos tudo a perder. O objetivo é o oposto; ganhar as palavras não ditas, os carinhos implícitos, viver as emoções contidas, se jogar, se aventurar nas desventuras que se desconhece.

Sentir o toque de cada palavra dita, sentir a emoção tomando conta do seu corpo, o início da faísca, o despertar do vulcão que dorme dentro de cada um, que dorme, que apenas dorme...

O olhar que percorre cada movimento, cada parte do corpo, o olhar que nos incomoda pela audácia, pela fúria, pelo jeito como nos desconstrói, como nos revela, como tira nossas máscaras e nos deixa nus, sem segredos, de cara a cara com o perigo.

A respiração fica ofegante, os batimentos aceleram, as mãos frias começam a transpirar, seu corpo rígido se entrega, o calor espanta o frio, a pele se conecta com a outra que pede mais, mais e mais e o olhar, ah! o olhar perde a fala, e se mistura na cena dos corpos dançantes, na orquestra dos beijos sincronizados, no toque forte das mãos...

Inebriada pelo momento, com sede do mais, com fome pelo o que ainda estar por vir.


Beijos

Lud Figueira

quarta-feira, 4 de março de 2009

Um Beijo e Tchau !

Ainda não caiu a ficha, mas o fato é que amanhã é meu último dia aqui no Brasil. Morar fora deve ser uma experiência alucinante, mas que dá um frio na barriga, isso dá. Ainda mais para alguém como eu, extremamente apegada aos amigos, aos meu avós, ao meu lugar...
Nunca achei que fosse fazer uma loucura dessas. Sempre achei que iria conhecer todos os lugares de repente numa trip com amigos ou com um amor, sei lá... Mas nunca sozinha. Cheguei a conclusão que agora era o momento de fazer essa viagem, uma vez que nada me prende ao Brasil; após me formar entrei forte nessa deliberação de fazer um curso fora. Agora, faltando um dia para eu ir embora, estou com medo e já estou com saudades daqui.

Janeiro, fevereiro e esse pequeno começo de março foram bem agitados. Fiz tudo que queria e não queria antes de viajar, encontrei quem eu queria e quem não queria, chorei, gritei, dançei, dei altas gargalhadas, gostei, detestei, vivi em constante turbilhão de emoções, sustos, surpresas, momentos que não voltarão, únicos, que não tem preço.

Quando achei que já havia passado por tudo, meu coração novamente foi surpreendido. Algumas olhadas, algumas palavras trocadas, beijos descompensados, calor, frio, um momento, um mistério, um desejo, e pronto: Lá estava eu, rendida, nos 42 minutos do segundo tempo, sem saber o que fazer. Mas fui lá, intensa, insana, ansiosa e teimosa. Paguei pra ver.

Logo percebi que dessa vez era diferente. Simplesmente alguém imprevisível, longe de se enquadrar em regras femininas ou em conselhos sentimentais. Alguém metade homem, metade animal. Encontros e desencontros típicos de uma colecionadora de momentos, de alguém que vive entre a sorte e o azar.

É isso. Malas prontas e vamos ver no que vai dar.

Beijos
Lud Figueira

obs: O blog vai continuar lá da Irlanda!

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Reencontros...

Lindo, perfeito, maravilhoso, tudo de bom e, e ponto final. Um beijo e tchau, até qualquer dia, a gente se esbarra por aí, beijo.

Sempre assim. Não adianta você dizer: " Acabou, nunca mais vou ficar com fulano! Chega! Não quero mais ver beltrano..." Mentira!!! Quando você esbarra com a pessoa, vem de não sei onde aquela tremedeira, aquele frio maldito no estômago, aquela falta de palavras, aquele silêncio terrível, aquele calor... Ah! Aquele calor que não se sabe aonde vai parar, quer dizer, bem que sabemos, mas não damos "o braço a torcer"...

Bom, esse negócio de bloquinho, está ficando complicado... Risos! O último final de semana foi marcado por fortes emoções e já estou ansiosa pelo fim dessas festas! Essas surpresas carnavalescas estão rendendoooooo.

Abaixo um desabafo:

"Foi uma demonstração de carinho. Realmente havia esquecido, havia arquivado tudo, mas não adianta, ver e não querer é impossível. Não sei da onde vem tal sentimento descompensado, acelerado, que me impulsiona, me comove, me manipula. Cada reencontro, marca uma fase, marca um momento, marca meu coração. Atuo, danço conforme a música, tiro-o da saia justa e aproveito cada minuto do momento. Sempre tenho vontade de abrir o jogo, colocar cartas na mesa, mas na vez em que fiz isso, fui muito infeliz. De repente seja melhor assim. De repente, é só assim que chegamos a um denominador comum, de repente é só assim que nos entendemos. De repente esse não falar é a chave dessa loucura, o tempero. É avassalador, sem explicação, uma irresistível tentação".

Beijos

Lud Figueira

sábado, 14 de fevereiro de 2009

Falando a língua universal

Ação. Emoção. Sedução. Adrenalina. Calor. Arte. Suor. Palavras que estão em falta no mercado. Está tudo muito morno, mais ou menos, sem aquele frio na barriga, sem aquela euforia que não se sabe de onde vem, sem aquela vontade que nos força a fazer as coisas mais insanas, mais loucas e mais deliciosas... Cadê essa sensação? Cadê essa energia? Essa paixão enlouquecida?

Engraçado, nem começou o carnaval e já estou cansada. De repente por ter aproveitado ao máximo as férias de janeiro, e também por não ser muito amiga do carnaval, me sinto desanimada. Ainda mais por carnaval significar uma espécie de "micareta", talvez seja isso que não me atraia muito. Se tratando de carnaval no Rio, é mais ou menos uma noitada só que de manhã, depois da praia, sem desfile de roupas de marca, mas com bebidas e braços masculinos te puxando, beijos roubados, azaração momentânea, momentos sem continuidades, prazer X prazer. Tudo bem. Confesso estar sendo um "pouco" radical, mas é que não consigo esconder a minha falta de encanto, meu desapontamento com a falta de algo mais, com a superficialidade das pessoas, a falta de um amanhã...

São olhares, bocas, camas, tudo sem tesão: Não há verdade, não há tempero, não há coração.

Por exemplo: Ontem na rua eu vi um casal andando de mãos separadas, sem aparentar a menor relação a não ser uma relação de amizade. Pois bem, mas eles estavam tendo alguma coisa, pois na hora em que a menina se despediu dele, eles deram um beijo. Depois conversaram mais um pouquinho, e se despediram novamente, sem a menor intimidade. Fiquei pensando, cadê aquela empolgação? Aquela vontade de ficar junto da pessoa? Que "ficada" fria, sem graça, estranha.... Ninguém se abraça, são beijos de novela- Sem envolvimento, sem sentimento. Bom, depois pensei que cada um tem a relação que melhor lhe agrada, vai ver os dois se comunicam bem assim, cada um no seu quadrado, no seu espaço. De repente sou eu que tenho um tipo de visão diferente das coisas e espere sempre muita emoção, muito calor, muita animação e muita arte.

Não sei muito bem o que está acontecendo, mas acho que a comunicação entre as pessoas está complicada demais. Uns falam francês, outros falam português, outros falam espanhol, outros inglês, e vira tudo uma grande confusão. Mas, o que me anima é saber que no final, todos acabam falando a mesma língua.


Um super beijo,

Lud Figueira

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Portugal X Brasil

Um clássico, sem dúvida. Complicações, substituições, algumas faltas, cartão amarelo, vermelho, o jogo está tenso, nervoso, os torcedores cheios de expectativas, os jogadores com sede de gol, sede de vitória, mas o jogo termina empatado. Claro que, estamos apenas no começo do campeonato, muita bola ainda vai rolar....

Praticamente uma partida de futebol. Rola muito jogo, faltas, impedimentos, e, é claro, muita sede de gol. Talvez um lance, talvez um romance, talvez uma amizade, talvez um encontro.

De repente, essas diferenças entre Brasil e Portugal é o que mais atrai os torcedores: A diferença que atrai, que confunde, que provoca, que domina, que pede mais. Uma batida diferente, mas sempre atrás do mesmo objetivo: Ganhar um jogo, ganhar um momento, ganhar um coração, ganhar, lutar, conseguir...

Portugal é habilidoso, se defende e depois ataca; já o Brasil é ansioso, impulsivo, tem pressa, tem fome, tem sede. Brasil se controla para não fazer uma falta, para não entregar o jogo; Portugal espera, estuda o adversário e preparada a melhor jogada, o melhor ataque.

O Brasil pode entender de futebol, mas do coração, Portugal têm levado a melhor.

Beijos
Lud Figueira

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Visões Particulares

Já repararam como os portugueses exercitam a língua para falar? Pois é. Fiz esse comentário com um portuga que me respondeu: "Fazemos muita ginástica linguística".
Fiquei curiosa. Será que essa tal ginástica é usada também para, por exemplo, um beijo? Pois cheguei a conclusão que ginástica linguística é essencial para se obter sucesso num beijo. Enfim, um dia eu descubro...

Outro assunto é sobre a infidelidade que está dominando os relacionamentos. Realmente está difícil confiar em alguém; parece que todo mundo resolveu fazer um curso de teatro e se tornou expert em mentir para o parceiro, as relações seguem um caminho cheio de mentiras e falsidades, complicado...

Respeitar-se é a palavra - chave da mulher moderna. Mostrar amor próprio, se colocar em primeiro lugar, é o melhor conselho que alguém pode nos dar. Sem contar que ser boazinha na maioria das vezes é a maior bad. Ser boazinha não é a boa. Isso eu garanto.

OBS: O blog vai se mudar para a Irlanda. Por conta dos preparativos para a viagem, os textos estão sem uma regularidade. O blog pede paciencia e desculpas.

Beijos

Lud Figueira

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

O Rio ficou pequeno...

Mais que saudade!!! Essas férias me fizeram ver que não posso me ausentar tanto tempo assim do blog. Mas nada como tirar um tempinho para recarregar as energias, conhecer novas histórias, novas pessoas, passar por novas experiências, novos ou velhos erros. Bom, realmente foi super importante dar uma "sumida", em compensação, o Rio de Janeiro ficou tão pequeno, tão minúsculo que o blog resolveu alçar vôos maiores como, por exemplo, ir morar fora, mas depois eu falo sobre isso...Então, nessas férias o que não faltou foi romance! Realmente uma delícia! Praia o dia todo, muita festa, aquela azaração típica, ou seja, ficou pequeno, ficou mínimo. Risos.

Percebi que as mulheres estão passando por cima das "bads" com mais facilidade, também a gente passa por cada situação.... Isso foi algo que me chamou atenção: O cara deu uma surtada e parou de ligar? O sexo não foi bom? O beijo zero encaixou? O cara gato se mostrou um verdadeiro babaca? Não tem problema, qual é mesmo a programação de hoje???- Essa tem sido a frase da mulherada, fim das bads. Por outro lado, os homens estão cada vez mais assustados.

Eles sabem que estão perdendo , ainda que seja de leve, aquele poder de "macho" sobre as mulheres, ou seja, eles estão perdendo o controle, estão vendo que nós, estamos cada vez mais seguras, falando a real, fazendo a fila andar, estamos focadas e zero dispostas de ficar perdendo tempo com quem não está na mesma sintonia que a gente. Infelizmente ainda estamos "jogando", mas acho que estamos num jogo mais aberto, mais falado, mas fácil de lidar, um jogo light- o jogo que a gente sabe que faz parte, mas nada que leve a bads. Os caras bonitos me decepcionaram.

Na minha humilde visão, considero um homem bonito, aquele que só possui a beleza física e não faz questão de ser simpático. O homem lindo é aquele que possui aquela beleza física magnífica e ainda por cima conquista a todos com uma simpatia invejável, algo raro... Anda dando muito homem "estrela", metido mesmo, daquele que considera mulher um objeto e acha que todas são iguais. Só uma mulher muito paciente para aturar esses "pits" que o homem estrela dá. Falta de simpatia e mau- humor, tira a beleza de qualquer homem, de qualquer pessoa. Em compensação, têm muito cara charmoso, gente boa dando sopa por aí. A gente super se apaixona por uma boa conversa, por um olhar que diz mais do que qualquer coisa, ainda mais com esse clima de verão, romance, clima de calor, de sede, de arte, de suor.... Uma delícia! Mas tudo que é bom, dura pouco. Realmente essas férias foram maravilhosas e deixarão saudades.

Que bom que o CARNAVAL está pertinho....Os blocos ficarão pequenos, é muita pressão!!! risos...

Beijos
Lud Figueira

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Comunicado

amigos,

O blog está de férias. Nada de saudades, pois em fevereiro tudo voltará ao normal.

Beijos
Lud Figueira

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Ponto dos Mentirosos


Quanta historinha a gente escuta por aí. É um tal de: "Linda, eu só estou com você!", "Você é a mulher perfeita para mim!", " Amor, eu não saí com os parceiros ontem, fiquei dormindo em casa!", "A gente vai namorar!"...
Na maioria das vezes, acreditamos nessas "mentirinhas" por medo de perder esse "pouco" que temos, ou de repente de perder o que não temos. Louco, não?
Talvez a culpa dessa falta de amor, consideração entre as pessoas (Afinal, tudo está tão complicado) seja porque quando encontramos alguém, mesmo que não seja a perfeição que estávamos esperando, acabamos por aceitar palavras que, no fundo, duvidamos da sua verdade. Mas, aceitamos. Medo de continuar só? O que não sabemos é que ao aceitar essas migalhas continuamos só, vagando pelo mar da solidão.
Pequenas mentiras, futuras verdades. Até quando seremos coniventes com esse jogo duplo? Com essa ardilosa e traiçoeira tática para não magoar o outro e continuar mantendo o mesmo prisioneiro de uma relação que não há verdade, que é falsa?
De repente a comodidade de ter alguém para ligar todo dia ao chegar do trabalho, ou ter alguém com quem dividir domingos solitários, alguém para esquecer o vazio provocado pela noite anterior, ás vezes homens e mulheres mantêm seus parceiros por questões mesquinhas e egoístas, esquecendo de pensar por um momento como isso fará mal ao outro.
Como acreditar em seus parceiros? Como estabelecer uma relação de confiança e respeito? Acredito que começar um relacionamento baseado na verdade, é um bom começo. É válido lembrar que nem todo mundo sabe lidar com determinadas verdades e de repente ao ser sincero demais você acabe se expondo de uma forma com que as palavras ditas se voltem contra você mesmo. Todos possuem verdades secretas. É necessário saber respeitar isso no outro.
Um jeito de tentar não ser enganada é sem dúvida não se auto enganar- Nós mulheres temos um péssimo hábito de fechar os olhos para evitar brigas ou discussões- Algo que não é nada bom. Precisamos criar o hábito de falar, de não guardar sapos e soltá-los na hora errada.
Não duvidar da própria intuição é o primeiro passo. Tudo bem que ás vezes vemos um pouco demais, mas é difícil uma mulher desconfiar de algo e estar errada.
Não deposite sua felicidade no "amado", encontre-a sozinha e depois compartilhe-a com o próprio.
Beijos
Lud Figueira

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Uma Batida Diferente

Sempre existe um cara, em nossa vida, que por mais tempo que passe, o nosso coração sempre irá bater diferente ao encontrá-lo. Têm outros, que é como se não houvesse acontecido nada, não fez diferença, não acrescentou, na verdade; em nada mudou.

Esse cara que faz o nosso coração bater mesmo que não haja mais nada, mesmo que seja algo "superado", para sempre existirá em nossa vida. Seja em forma de lembrança, pensamento, de sonho, de música, não importa; sempre terá um lugarzinho para "ele" em nossas vidas.

Esse tal cara de quem eu falo, não é um casinho de dias, semanas ou meses. Não foi aquele sexo de uma noite, não foi um amor de verão, não foi o fortão da academia ou o intelectual da faculdade, foi o inesperado, foi um cruzar de olhos que não se encontra em qualquer esquina, em qualquer tribo.

Esse amor é intocável, é inesquecível, mas é superável. Colocamos um fim, mesmo que seja fictício, para nossa tranquilidade emocional precisamos de uma definição, mesmo que essa, ainda não tenha sido verbalizada.

Há orgulhosos que ousam em achar que outros possuem esse sentimento puro e maravilhoso que se chama amor por eles. Esses, são pobres homens inseguros que não foram capazes de amar, pois não conhecem a profundidade de tal sentimento.

Mas, existem os que amaram e não foram amados, que, ao invés de se fecharem para possíveis novos amores por caírem no abismo da desilusão, da rejeição, da solidão, souberam perder e acreditaram numa manhã melhor. Esses, puderam ser felizes e compartilhar essa felicidade com o ser amado, viveram sem rancores, sem inseguranças, começando do zero, começando mais um capítulo, sem transferir as feridas do antigo relacionamento, começando denovo.

Menos orgulho e mais sinceridade.


Beijos

Lud Figueira

domingo, 4 de janeiro de 2009

Clima de Romance



Calor humano, no verão, que delícia!

A dica para esse verão: Nada de brigas, de cara feia, mau-humor, "bads". A boa é beijar muitooooo, fazer muita arte, aproveitar ao máximo, encontrar as amigas, renovar as energias da noite anterior na praia, olhar para o sol e o mar e fazer um pedido(depois de agradecer por mais um dia lindo), rir, rir e rir, pois é sempre o melhor remédio!!!


Segue um poema do Domingos Oliveira:


"No verão

o corpo brinca de sol queimado,

exuberância de vegetação, onda de mar salgado,

trazem a inconsciência doce do amor

Melhor trepar do que pensar no verão

Melhor dizer sim que dizer não

Melhor que seja o que for


No verão

Soou a hora de ficar nu no paraíso

Beber água gelada porque é preciso

Sentimentos nascem melhor que pensamentos


No verão

Até as chuvas parecem paixões,

de tão violentas e passageiras


No verão

Quem já beijou sua amada sob a chuva torrencial?

Quantos amores nascem e morrem no verão?

O entardecer aplaudido como obra de pintor maior

abrindo a cortina para o espetáculo da noite

a Via láctea rasgando como açoite o céu

dominada pelo caçador que tem três marias no cinturão

É a vida, é o verão, amor meu

Tudo o que era morto renasceu

E ainda cabe a observação banal

quem é gerado em janeiro

nasce em setembro como eu

ligando assim a estação dos amores com aquela outra das flores

O verão toma conta do mundo

Imperativamente

Enquanto eu escrevo este poema vagabundo e torto

Excessivamente rimado em ÃO e ADO

Perdão e obrigado

é o VERÃO


Domingos Oliveira


----------------------------------------------------------------------------


Beijos


Lud Figueira

quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

Juntos em 2009!!!



Um ano se vai e um novo ano começa, inteirinho para acertar, errar, chorar, rir, ter momentos maravilhosos, alguns não tão bons, mais amizades, mais amores, menos despedidas, enfim: Mais uma chance de mudar, mais uma chance novinha de consertar as coisas, uma nova chance para você!
Mãos dadas. Sempre achei algo íntimo, carinhoso, significativo. Desejo para todos em 2009 uma intimidade dessas: Um amor calmo e companheiro, uma verdade, uma vida à dois.
Para o último texto do blog de 2008, não poderia faltar a participação de um trecho da crônica da Martha Medeiros de domingo passado, que se chama: Sem medo de perder.
"Adeus ano velho. Foi ótimo, foi péssimo, foi fácil, foi difícil, me dei bem, me machuquei, teve de tudo. As coisas boas naturalmente vão se acomodar na minha mochila e vir comigo, mas e tudo aquilo que não cabe mais na minha vida? Faço o que com o excesso de peso? Para que possamos receber o novo, é preciso deixar para trás desejos antigos. Isso não significa que a gente não deva guardar boas lembranças, mas não dá para se agarrar a isso como a uma âncora. A gente só pensa em ganhar, mas é preciso aprender a perder".
Novas vontades, novos planos, novas sensações!
Que venha um novo ano, que venha o novo!
Feliz 2009!
Beijos
Lud Figueira