quinta-feira, 26 de março de 2009

Amenidades

Leitores queridos,

Realmente comigo aqui na Irlanda o blog deu uma parada. Ate porque aqui é tudo muito diferente, cada dia uma emoção, uma sensação diferente, além do mais nem sempre estou perto de um computador. Isso providenciarei em breve, mas enquanto isso, fica difícil saber quando terei textos novos e interessantes.

Estou fazendo muitas anotações, pois aqui é tudo muito intenso, os relacionamentos terminam e começam de uma forma assustadora! As pessoas ficam muito carentes, acabam se entregando, criando uma intimidade de apenas horas!

Nao me esqueçam, mas estou passando por um periodo muito complicado de adaptação. Assim que passar esse periodo, prometo textos maravilhosos!!!!

Muitos beijos

Lud Figueira

quarta-feira, 11 de março de 2009

O silêncio das palavras

Algo que causa medo e impotência, causa ansiedade, causa frio e calor ao mesmo tempo, me refiro ao olhar, ao olhar que domina e manipula, ao olhar que vale mais do que mil palavras e deixa você sem fala, sem reação...

Diante desse fato, nos sentimos acuados. Pois qualquer movimento errado, qualquer passo errado, colocamos tudo a perder. O objetivo é o oposto; ganhar as palavras não ditas, os carinhos implícitos, viver as emoções contidas, se jogar, se aventurar nas desventuras que se desconhece.

Sentir o toque de cada palavra dita, sentir a emoção tomando conta do seu corpo, o início da faísca, o despertar do vulcão que dorme dentro de cada um, que dorme, que apenas dorme...

O olhar que percorre cada movimento, cada parte do corpo, o olhar que nos incomoda pela audácia, pela fúria, pelo jeito como nos desconstrói, como nos revela, como tira nossas máscaras e nos deixa nus, sem segredos, de cara a cara com o perigo.

A respiração fica ofegante, os batimentos aceleram, as mãos frias começam a transpirar, seu corpo rígido se entrega, o calor espanta o frio, a pele se conecta com a outra que pede mais, mais e mais e o olhar, ah! o olhar perde a fala, e se mistura na cena dos corpos dançantes, na orquestra dos beijos sincronizados, no toque forte das mãos...

Inebriada pelo momento, com sede do mais, com fome pelo o que ainda estar por vir.


Beijos

Lud Figueira

quarta-feira, 4 de março de 2009

Um Beijo e Tchau !

Ainda não caiu a ficha, mas o fato é que amanhã é meu último dia aqui no Brasil. Morar fora deve ser uma experiência alucinante, mas que dá um frio na barriga, isso dá. Ainda mais para alguém como eu, extremamente apegada aos amigos, aos meu avós, ao meu lugar...
Nunca achei que fosse fazer uma loucura dessas. Sempre achei que iria conhecer todos os lugares de repente numa trip com amigos ou com um amor, sei lá... Mas nunca sozinha. Cheguei a conclusão que agora era o momento de fazer essa viagem, uma vez que nada me prende ao Brasil; após me formar entrei forte nessa deliberação de fazer um curso fora. Agora, faltando um dia para eu ir embora, estou com medo e já estou com saudades daqui.

Janeiro, fevereiro e esse pequeno começo de março foram bem agitados. Fiz tudo que queria e não queria antes de viajar, encontrei quem eu queria e quem não queria, chorei, gritei, dançei, dei altas gargalhadas, gostei, detestei, vivi em constante turbilhão de emoções, sustos, surpresas, momentos que não voltarão, únicos, que não tem preço.

Quando achei que já havia passado por tudo, meu coração novamente foi surpreendido. Algumas olhadas, algumas palavras trocadas, beijos descompensados, calor, frio, um momento, um mistério, um desejo, e pronto: Lá estava eu, rendida, nos 42 minutos do segundo tempo, sem saber o que fazer. Mas fui lá, intensa, insana, ansiosa e teimosa. Paguei pra ver.

Logo percebi que dessa vez era diferente. Simplesmente alguém imprevisível, longe de se enquadrar em regras femininas ou em conselhos sentimentais. Alguém metade homem, metade animal. Encontros e desencontros típicos de uma colecionadora de momentos, de alguém que vive entre a sorte e o azar.

É isso. Malas prontas e vamos ver no que vai dar.

Beijos
Lud Figueira

obs: O blog vai continuar lá da Irlanda!