domingo, 19 de abril de 2009

Miss Independent

"Tem alguma coisa no jeito que ela anda,
Não consigo adivinhar, alguma coisa nela. (alguma coisa nela)
Digo ooh tem algo,
Nesse tipo de mulher que te quer mas não te precisa
Hey, não consigo adivinhar, tem algo nela.
Porque ela anda como uma chefe, fala como uma chefe
Unhas de manicure, acabou de mandar a pedicure embora
Ela é estilosa sem esforço
Porque ela anda como uma chefe, faz o que uma chefe
Faz, ela me fez pensar em me deixar envolver
Esse é o tipo de garota que eu quero"

Traducao da Miss Independent- Ne-yo
---------------------------------
Talvez por fora consigamos ser essa mulher, essa mulher sonhada, essa mulher que corre atrás do que quer, dessa mulher que é racional e deixa as emoções econdidas no quarto escuro e tranca a porta.

Mas, essa mulher perde a coroa quando se encontra apaixonada. Essa mulher se descobre humana, capaz de falhas e capaz de sofrer por um amor, capaz de amar...

Essa mulher descobre as alegrias e as aflições do amor, se descontrola, se desconstrói, vira do avesso, não se conhece mais...

Mas ela reconhece e para. Pede para sair do jogo quando não consegue mais se machucar com esse tal jogo perverso do amor... Ela se rende. Ela sai e enxuga as lagrimas e levanta para um novo dia, um novo momento, um novo amor...

O sorriso é seu cartão postal. Os cabelos a moldura do rosto que só tem olhos e bocas, sedentos por mais uma troca de olhares, por beijos sem fim, por momentos de arte, suor, por prazeres desconhecidos do amor...

Ela não pára de acreditar, ela não se entrega a solidão, ela resiste e não para de caminhar na longa estrada que vai ao caminho do amor, do sonho, da realização...

Ela é independente, ela sabe o que quer e ela vai atrás, ah vai....


Beijos

Lud Figueira

sábado, 18 de abril de 2009

Pensamentos Soltos / Ideias Jogadas...

Esperar, ter esperança, querer que aconteça, querer que chegue logo a hora, aquela hora que o amor vem sem bater, se instala, deita, dorme, acorda, vive em você, em mim, em nós...

Será o maior, o melhor presente dessa vida, amar e ser amado? Será uma difícil tarefa,eu sei... Será um árduo caminho a percorrer, mas quem disse que seria fácil? Quem já o sentiu, quem já o viveu, conhece as ilusões, as maravilhas de estar apaixonado, de estar inebriado pelo vírus do amor e feliz pela sorte de tê-lo encontrado...

Ah! Amor... Onde foi se esconder? Onde se perdeu? Me diz, pois não medirei esforços para encontrá-lo, não haverá sede ou fome, não haverá obstáculos que me façam desanimar, que me façam desistir de encontrá-lo, de sentir a alegria que é estar inebriado por esse perfume chamado amor, chamado felicidade, chamado paz.

Paz que se torna oscilante na carona das emoções do amor, da instabilidade da falsa segurança do coração do outro... Paz, sentida ao encontrar aquela metade perdida no olhar do outro, no aperto das mãos, naquele simples e inesquecível abraço, no beijo que não tem fim...

Desconstruindo a arte do amor, reinventando-o, tirando-o da rotina das definições impostas...

Apenas, sinta-o.. Quem? O amor...

Ah! O amor....


Beijos

Lud Figueira

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Nao precisa mudar...

"Se eu sei que no final fica tudo bem
A gente se ajeita numa cama pequena
Te faço um poema e te cubro de amor"

Nao precisa Mudar- Ivete Sangalo e Saulo.

Que final? Quando acontece esse final?! Para que brigar, chorar, sofrer, se no final, depois de tudo, vem o sol e fica tudo bem... A tempestade passa, o frio da lugar ao calor, as lágrimas são trocadas pelo sorriso, aquele que ilumina o céu escuro, que rejuvenesce as pessoas, que coloca vida e emoção nas palavras ditas.

Final?! Nao, meu amigo. É só o começo, é só o início de uma longa história que jamais será esquecida, nem que seja para ser guardada como um segredo, guardada no coração, guardada com carinho para ser lembrada sempre que se quiser um pouco de sol, sempre que se quiser sorrir, sempre que se quiser ver o coração dando pulos de alegria, por ter vivido tal aventura, por ter experimentado sentimentos que só quem possui coração dançante pode entender, pode sentir, pode sentir saudades de uma deliciosa época que só existirá em nossos corações.

Ah..Final, aquele que termina uma história e aperta o start da outra, da outra história que ainda está por vir, que tem sede e fome de começar a viver aquelas aflições, aquela agonia de sentir algo que nem se sabe ao certo o que, que vem de nao sei de onde, e vem nem sei porque, mas dilacera, bagunça tudo, revira pensamentos escondidos e muda, muda tudo de lugar, causa estragos e ilumina de alegria e lágrimas por onde passa, mostrando um descompasso de sentimento, uma oscilação de humor, uma dualidade estranha...

Não mude, não perca esse tempero que lhe é tão peculiar...continue assim, vivo na memória daquele que por você lhe tem amor...

Beijos

Lud Figueira

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Declarações Silenciosas

Quando eu ouvi a música dos Los Hermanos (Último Romance) eu percebi a imensidade do sentimento pelo ser amado, eu senti nas palavras cantadas, na tristeza do olhar, no silêncio das atitudes. Sim, eu vi, eu enxerguei o amor, eu pude ver o ser amado lendo jornal na fila do pão e vi que tal não estava perdido e que já havia encontrado seu amor, separado por alguns milhões de quilômetros, mas, perto do coração....

Sim, de repente foi isso que me matou, que me tirou a razão, que me fez conhecer a alegria e a dor ao mesmo tempo. Sim, foi isso que me desestruturou, que me abalou, que me levou embora o juízo, que me fez me comportar diferente, que me fez perder, me perder no mar do silêncio, das palavras inventadas, das palavras perdidas e jamais faladas, da espera incansável, da mudança sonhada...

Eu vi, a espera sofrida pelo ser amado;

Eu senti o que e estar com alguém e pensar no outro;

Eu senti o acordar do dia seguinte ao lado de outro e o olhar do arrependimento;

Eu adiei o fim por medo da verdade;

Mas houve um calor, houve uma ligação, houve um sentimento descompensado, incompreendido, que se instalou momentaneamente nos corações confusos, perto das emoções intensas e inexplicáveis , mas sentidas..

Estou aprendendo a entender o silêncio das palavras, estou aprendendo a viver sem explicações, estou aprendendo a ultrapassar obstáculos de olhos vendados;

Estou crescendo ao levantar de mais um mal passo dado, estou crescendo ao enxergar um sorriso atrás de uma armadura, uma tristeza cantada, uma dor velada;

A força vem incrivelmente desses momentos que dilaceram nossos corações, que confundem nossos sentimentos, que nos tira a razão, logo ela; a razão, tão importante e tão ausente nos últimos tempos...

A rapidez com que veio foi a mesma com que foi embora. Com pressa, com fome, atingir novos corações, novos desavisados, novos sonhadores...

Aberta as inscrições para novas desventuras do amor. Aberta as inscrições para os corajosos, que caem e levantam sem medo de errar, sem medo de sofrer, sem medo de amar....

Beijos

Lud Figueira

domingo, 12 de abril de 2009

Ultimo Romance

Eu encontrei-a quando não quis
mais procurar o meu amor
e o quanto levou foi pra eu merecer
antes de um mês e eu já não sei
e até quem me vê lendo jornal
na fila do pão sabe que eu te encontrei
e ninguém dirá que é tarde demais
que é tão diferente assim
do nosso amor
a gente é quem sabe pequena
ah vai me diz o que é o sufoco que eu te mostro alguém
a fim de te acompanhar
e se o caso for de ir a praia
eu levo essa casa numa sacola..
eu encontrei-a e quis duvidar
tanto clichê
deve não ser
você me falou
pra eu não me preocupar
ter fé e ver coragem no amor
e só de te ver
eu penso em trocar
a minha tv num jeito de te levar
a qualquer lugar
que você queira
e ir onde o vento for
que pra nós dois
sair de casa já é
se aventurar
ah vai me diz o que é o sossego que eu te mostro alguém afim de te acompanhar
e se o tempo for te levar eu sigo essa hora eu pego carona
pra te acompanhar

Los Hermanos

Beijos
Lud Figueira