terça-feira, 29 de setembro de 2009

Dramas..

Ah! Como és fácil enganar-me!
Enganas meu pobre coração...
Tal, cheio de esperanças, sonhos e encantos;
Como podes agir de maneira tão vil, tão cruel?
Por acaso pensas que não tens coração?
Pensas que jamais sofrerá por amor?

Sempre me encontro a esperar-te...
O tempo para quem ama, não passa; caminha lentamente,
Castiga, féri, o sentimento de quem somente espera por um outro amanhã;

Sinto como se cada sorriso arrancado de mim pelas suas palavras,
fossem enganos de um coração que não se cansa de errar;

O medo se faz presente, a tristeza me abraça,
O frio me invade e o sol troca de lugar com a lua,
deixando tudo escuro, deixando tudo indeciso, deixando um coração instável...

A dor atribuida a esse pobre coração, será mais um obstáculo a vencer, será mais uma luta a ganhar...

Ah! Meu pobre coração!


Beijos

Lud Figueira

Nenhum comentário: