segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Nada acontece por acaso

"Quando avistei os amigos, meu coração disparou. Será que seria uma noite de ação? Romance? Ou de decepção? Secretamente eu agradeci. Depois das "cartas na mesa", da falta de palavras, não sei se gostaria de vê-lo. Não sei se gostaria de encontrá-lo numa noite com riscos de vê-lo nos braços de outra ou se conseguiria apenas cumprimentá-lo e ir embora. Não sei o que aconteceria. Ainda mais quando essa pessoa consegue dizer as coisas mais inacreditáveis sorrindo... Nada acontece por acaso".

"Seu marido ia entrar, mas desistiu..." dou uma risadinha sem graça e entro na brincadeira: "Meu estado civil ainda é de solteira...". Mas tarde: "As histórias que ele te conta são as melhores, né? Ele é incrível! Naquele dia que eu liguei para ele as oito horas da manhã, ele disse que você queria matá-lo! hehehhehe ele é muito engraçado! Consegue contar uma mentira sorrindo!".


Por hoje é só. Aquele lugar estava lotado. Muita gente conhecida, muito calor e o show do Toni Garrido iria ficar para outro dia. Queria minha casa, minha cama e meu travesseiro. Queria entender o que eu estava sentindo, o que meu coração tentou me dizer e quais os estragos as palavras ouvidas me causaram.


Um vazio me atinge. Deixo para pensar depois. Quer dizer pensar em que? Talvez no lugar dele agisse da mesma forma. Qual o homem que não quer uma mulher bonita para encontrar às vezes e passar um bom momento? Pra que dia seguinte? Pra que dar continuidade, se a coisa mais fácil é encontrar pessoas dispostas a viver apenas uma noite? Porque se dar ao trabalho de gostar de alguém? Trabalho? É, virou um trabalho, uma missão, que nem James Bond conseguiria cumprir: Gostar de alguém.

Beijos

@ludfigueira

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Abra seu coração! Mas assuma as conseqüências!

“Como o medo de me declarar, dizer o que estava sentindo era impossível por causa de uma possível rejeição, usei e abusei do meio de comunicação que mais usávamos: mensagens pelo celular. E quando percebi, já estava falando, ou melhor, escrevendo, uma história de sete meses, resumida numa mensagem. Não foi a melhor maneira de se declarar, achei um tanto covarde, mas não tive outra saída. O outro ficou totalmente sem ação, mas me senti livre, mesmo sem uma resposta para meu coração. Terminei esse capítulo e passei a responsabilidade para o outro: Começar outro capítulo ou por um ponto final na história que eu comecei a contar.”

Arquivo pessoal (Lud Figueira)

Não é todo dia que um caso meramente sexual, evolui para um relacionamento sério. Ou seja, onde haja menos suor, conexão de corpos e joguinhos onde ganha quem é mais hábil nas palavras ou nas mentiras contadas e sim, a entrada de um companheirismo, dia a dia, superação de dificuldades em lidar com o outro, sentimentos nobres como amor, cuidado, respeito e confiança.

Muitas vezes perdemos o "time" de impor o que queremos, os limites para tal situação, e quando queremos parar o carro, já é tarde demais: O outro não te leva a sério, não entende sua mudança de comportamento e sai da sua vida, pois as mudanças que você está querendo por em prática não agradam e agora ele (a) já se acostumou ao tipo de relacionamento de antes.

O que acontece: Ele (a) vai embora da sua vida, não atende mais o telefone, some dos sites de relacionamento, e você se arrepende de ter tentado se impor e propor mudanças, pois como estava não era mais legal para você e agora está sofrendo por ter falado o que realmente sentia e de estar sem ele.

Não era o momento de você estar dando graças a Deus de ter se livrado de um ser que não iria te acrescentar mais nada, a não ser mais uns poucos momentos de cama ardente e só? Você se apaixonou, quis mais do outro, quis conhecê-lo, quis evoluir para algo maior do que uma luta de lençóis; mas para o outro, essa relação sem compromisso era o melhor, era a relação perfeita e suas propostas não foram aceitas e por isso ele (a) resolveu cair fora. Mas você pensa:

----Putz! Eu devia ter ficado calada e continuar com o que tínhamos. Por mais que não me fizesse bem, não me completasse, eu o tinha mesmo em migalhas, mesmo que fosse por uma noite e agora não o tenho mais!

Não é uma falta de amor próprio?! Mas chegamos a esse ponto por um desafio interno de querer mudar o que não quer ser mudado, de querer forçar o outro a nos amar, a nos querer. Pura ilusão.

Não compactua com sofrimentos e dramas! Abra o jogo, assuma os riscos de perder o que você não tem! Mas, depende de você: Parar com dramas e encarar que ele (a) não serve para você ou continuar numa vida de sofrimento, ilusão e mentiras.

Saiba seu valor!

Beijos

Lud Figueira

@ludfigueira

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Sou apaixonada por você! Mas quero aprender a viver sem você!

“Olhos risonhos, cabelos levemente grisalhos (apesar dos seus poucos 28 anos), uma boca que de olhar me arrepia, um cheiro inesquecível... Bastou um beijo, para meu mundo querer seguir o seu.”

(arquivo pessoal - Lud Figueira)

Quantas paixões por aí temos? Por quantos amores sentidos fomos correspondidos? Quantas vezes falamos que “ele” ou “ela” havia morrido e no dia seguinte lá estava a tal pessoa ressuscitada? Quantas vezes nos tornamos disponíveis? Faça chuva ou faça sol, para quem gostamos nunca estamos offline.

Ás vezes me pergunto se é de um sofrimento que, na real gostamos. Porque sempre desanimamos quando não há nenhum probleminha? Quando o telefone sempre toca? Porque gostamos de uma ansiedade, de uma espera, de um encontro inesperado. Gostamos de uma noite sem limites e de uma manhã cinzenta e solitária.

O jogo fica pesado e percebemos que não vamos dar conta. Ponto para “eles” ou no caso de algum homem com o coração partido (o que é atípico) ponto para “elas”. Gostamos de uma troca de olhares e por mais que uma falta de atitude nos irrite, no final das contas até já nos acostumamos com a danada da “espera”.

Quem sabe amanhã esse cenário mude? Quem sabe amanhã “ele” ou “ela” se dê conta que “eu’ sou o que “ele” ou “ela” sempre quis... Quem sabe....Quem sabe...

Por quanto tempo vamos esperar? Por quanto tempo vamos continuar essa história de um único sentimento? Por quanto tempo teremos uma cama quente e um coração frio? Por quanto tempo? Eu não sei dizer...

Queria ser lembrada (o) por algum momento do dia pelo outro. Que a saudade sentida por minutos fosse pelo meu sorriso, meu jeito de falar, de rir, de olhar, que fosse pela falta de mim e não do meu corpo e não só pelo sexo. Queria que houvesse menos paixão e mais amor; mas carinho e menos calor.

Mas, passamos por isso tantas vezes e mesmo assim nosso coração não aprende. Será que nos acostumamos a sofrer? Será que o legal é ter unhas roídas, coração doente, mente insegura, olhos aflitos e revertérios estomacais?

O radar está quebrado. Precisamos de alguém para levar a culpa dessa mania de querer o que não podemos ter. De atrair o que não nos faz bem. De ser mimados e não aceitarmos que esse jogo já entrou em campo perdido.

Já me acostumei a gostar sozinha. Já me acostumei a viver com sua ausência. Mas ainda não me acostumei a viver sem você no meu coração.

Loucura ou não, essa relação doentia, é a mais clichê e “normal” de se encontrar do que pensamos.

Vale a pena continuar nisso?

Beijos

Lud Figueira

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

FOCO OBSESSIVO

Não tem nada que um bom desafio, uma aposta entre você e você mesma para conseguir o, até então, inatingível. Tem pessoas que fazem valer a frase: "Eu me amo mais e não aceito sofrer por quem não me quer!", tem outras pessoas (a maioria) que pensa "Eu vou virar o jogo, ele ainda vai estar aqui, na palma da minha mão, correndo atrás de mim, vocês vão ver!". Justamente é aí, que entra o foco obsessivo: Você passa os limites do amor próprio, da sensatez, não mede esforços para conseguir nem que seja uma migalha de atenção do outro, perde o respeito e o pior: Só consegue afastar mais rapidamente o outro da sua vida.

A rejeição é cruel. Lidar com isso, admitir isso é a pior parte. O pior é quando esses caras que não sabem o que querem e nos coloca em “banho Maria”. Alimenta a cada dia o fio de esperança que cultivamos e, quem sabe, fazer parte do dia a dia deles e não só da cama; lugar que conseguimos com êxito, mas que também somos facilmente substituídas. Até porque, como não tem sentimento, fica mais fácil a substituição dos corpos.

E quando sabemos que as histórias contadas são mentiras e mesmo soando aos nossos ouvidos com tanta veracidade que, mesmo sentindo o alarme da desconfiança tocando, caímos rumo a mais um papinho mole, um sorriso frouxo e outras coisinhas.

Claro que, ouvir a verdade iria despencar um mundo de ilusões construído sobre as migalhas fornecidas, mas iria nos livrar de maiores decepções. Mas quem disse que eles querem falar a verdade? Quer deixar a gente seguir o caminho? Quem que eles vão ter para encher o ego deles? Como assim eles vão deixar as disponíveis saírem da vida deles, assim? Eles precisam das fracas ( as que amam um caso difícil) para renderem para eles...

O pior é a manutenção, essa velha amiga dos homens que vivem deixando vírgulas e por insegurança pelos dias das “vacas magras” não sabe falar não e vivem no mundo das desculpas mais esfarrapadas que por incrível que pareça merecemos ouvi-las, pois caímos em todas. Acho que é até por isso que ainda exista esse tipo de homem, porque mantemos a espécie dele viva. Compactuamos com essa existência infame e mesmo reclamando não fazemos nada para mudar esse jogo; aprendemos a deixar o coração tolo falar mais alto, onde temos que ter em mente que coração na maioria das vezes possui radar errado e que um pouco de razão não faz mal a ninguém.

Quem vai dar o braço a torcer e ver que precisa largar esse foco obsessivo? Quem vai dar tchau a uma vida dramática, cheia de solidão e dar um oi a um novo mundo, cheio de possibilidades?! É bem verdade que nesse momento ficamos cegas, mas é só dar adeus e começar a olhar para os lados: De repente você está deixando de conhecer alguém que realmente valha a pena.


Beijos

Lud Figueira

@ludfigueira

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Você quer deixar o outro fazer parte da sua vida?

Era uma vez uma mulher que estava em busca de um namorado. Na segunda ela conheceu um cara, na terça, na quarta, na quinta eles saíram e na sexta ele a pediu em namoro. Rápido demais? Loucura? Não. Simplesmente duas pessoas estavam em busca das mesmas coisas e ambos cederam tempo e vontade para se conhecerem. Além do mais, quem é que não tem pressa em conhecer o outro quando se esta afim? Com o tempo as coisas ganham certa calma, mas no começo, é uma pressa entendida pela ansiedade. Claro que os dois trabalham, estudam, tem lá seus afazeres, mas esta aí, a prova que quando realmente queremos conhecer alguém, quando realmente ficamos com alguém e esse alguém não passa despercebido e investimos em conhecer mais e o outro sente o mesmo, essa entrega é incrivelmente valiosa.

Acredito que para se começar uma relação, para querer fazer parte da vida de alguém, modificações são necessárias para criar tempo e espaço para o outro. Acho o que o contato telefônico é importante, mas, creio que no início o contato visual é o determinante.

Você quer descobrir tudo sobre o outro, quer saber o que gosta e o que não gosta; o filme favorito, o lugar que mais gosta de ir, a comida favorita... A ansiedade pelo outro, é algo normal de um início de relacionamento. Além do mais, têm o sexo, algo que você possui vontade, curiosidade de conhecer cada pedacinho do ser amado em questão. Descobrir as afinidades e as diferenças faz parte desse kit de conhecer o outro.

Tudo isso é possível de acordo com as prioridades de cada um. Os espaços, ausência deixada no começo é algo que gera certa desconfiança. Ou seja, se começa uma relação com o pé atrás. Exemplos: Imprevistos geralmente em finais de semana, alguma confusão familiar, viagens a trabalho, coisas que podem até serem verdades, mas que deixam dúvidas no ar...Uma hora pode, na outra não, a pessoa fala uma coisa, depois fala outra... Mensagens, manutenções exageradas. Encontros reais que são bons, não acontecem...

O exemplo do casal acima é algo bem raro. Mas, na real, o que importa é o caminho que você vai seguir que melhor vai deixá-la (o) feliz para amar e ser amada (o).

Beijos

Lud Figueira

@ludfigueira

sábado, 6 de novembro de 2010

Eu vou, eu vou, a caça agora eu vou...

Durante as férias que tirei do blog, aconteceu tanta coisa, que eu nem sei por onde começar. Teve amizades que não sobreviveram, outras que se afirmaram e outras ainda que começaram; gente querendo desesperadamente dar e outros fugindo para não comer, decepções, lágrimas, surtos, risos, uma dose de loucura, mudança de caminho, pegando a direita ao invés da esquerda, parando com vícios, conhecendo diferentes mundos, novas pessoas e novas histórias... Realmente, tive bastante material para novos textos. Conclusão: Você quer? Então se prepare para a caçada de cada dia!

Aprender a desistir e parar de insistir com quem não quer nada com você, não é nada fácil. Não ceder a olhares sorridentes, a carinha de bom moço, e aprender a controlar essas emoções sem fundamento que, o nosso coração sente só para nos deixar mais confusas e iludidas, é algo que só é conseguido depois que você consegue enxergar e ver que essa tal situação, esse tal gostar NÃO te faz feliz, NÃO te faz bem. Até porque, estamos velhos para compactuar com essas relações nocivas, platônicas, com essas ausências e desculpinhas baratas. Vamos ACORDAR!

Cheguei à conclusão que temos o que buscamos. Se estivermos infelizes, pode ter certeza que a culpa não é de outros é só sua. Você já está bem grandinha e, quer saber: Você já sabe diferenciar o que é certo e o que é errado. Isso serve para os homens que também possuem coração e são facilmente enganados por carinha de anjo e corpo de capeta. Olho aberto!

Eu cansei de esperar pelas regras, de seguir regras, de ficar preocupada com o que um ou outro vai falar ou pensar. Eu dito minhas regras, eu faço acontecer, eu programo e mando na minha vida. Se você quiser vir comigo, ótimo; mas se não quiser, problema seu. Não sabe o que está deixando de ganhar!

Muito desperdício de energia, muita ruga de preocupação com quem não está nem aí para você! Ninguém muda, a vida é que nos ensina a ver as coisas de outros ângulos. Fique atenta!

Creio que ter objetivos, traçar metas é super importante. Mas para atingir tudo o que se deseja, não perca o foco. É extremamente importante que você não desvie seu foco para abrir exceção, fazer caridades e outros.

Andamos tão exigentes que, fazer uma caridade ás vezes pode ser uma péssima idéia. Se você sabe o que deseja, não desvie seu caminho por desejos que podem ser controlados. Além do mais, não é muito legal se arrepender depois.

Caçar ou ser caçada? É isso aí. Se renda a selva dos dias de hoje e não se preocupe com rótulos e fofocas masculinas. QUANDO SE QUER, NÃO TEM ESSA. Lembra do último texto? Gente, não há regras. Há personalidades e vontades.

Cuide antes, de seus interesses. Vale ás vezes, uma dose de egoísmo!

Beijos

Lud Figueira

@ludfigueira

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Não há regras


Qual a melhor opção:

A) Acreditar em todos

B) Não acreditar em ninguém

C) Acreditar ás vezes.

Resposta certa: A, B e C

Segue a receita:

O melhor é viver as três opções e se você prestar atenção elas não se separam. Numa noite é capaz de você as vivenciar bem e continuar aplicando-as nos próximos dias. Depende do seu momento no dia: ás vezes é bom acreditar em todo mundo, outras vezes você está de mal com a vida e não quer acreditar em ninguém e em outra ocasião você ás vezes (dependendo da pessoa, da conversa) acredita.

Nesses casos de dúvida, é sempre bom ligar o radar. Até porque acho que ele não deve ser desligado nunca. Desconfio sempre da perfeição: gentilezas demais, planos feitos no auge da emoção, sentimentos escandalosos e frases certas. Elogios nem sempre devem ser levados em consideração, mas sempre é válido encará-los com educação.

O que vai definir sua resposta sobre a melhor opção são os próximos capítulos. De primeira, acho legal a opção A. Depois, no desenrolar da história você parte para a opção C e dependendo do final você usa ou não a opção B.

Fácil? Como seguir uma receita de bolo... Mas na prática não é assim e é por isso que vivemos oscilando entre a alegria e a tristeza, a euforia e a decepção. Porque ficou tudo tão igual que não tem como saber qual opção seguir.

É igual ao xadrez, todo mundo usa, risos.

Porque eu estou falando isso? Porque estamos vivendo num baile de máscaras constante. O bonzinho de hoje pode ser o vilão de amanhã e o vilão, o bonzinho, o que serve para as mulheres também. Como adivinhar? Não sei. Mas, a parte boa é que essas máscaras eles ou elas as jogam fora de acordo com a conveniência do momento e em geral é bem rápido.

Por isso, fica a dica:

Apaixonar-se a cada dia

Gostar de alguns

Amar, só a um.

p.s. cada um tem sua definição para o amor.

Beijos

Lud Figueira

@ludfigueira

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Apenas vivendo...

"Assim que eu ela deu um basta naqueles dramas mexicanos que assombravam a vida, um novo capitulo iniciou-se.
Não tinha ideia do que viria pela frente e não se desesperar e não se preocupar, tornou tudo mais fácil. Continuou a fazer as coisas que gostava e que lhe dava prazer, não compactuou com joguinhos e sorrisos amarelos e percebeu que sua sinceridade estava no auge.
Pensando menos e agindo mais, uma porta cheia de possibilidades surgiu em seu caminho colorido.
Deparou-se com o fator escolha e pela primeira vez não se precipitou e deixou o tempo e as próximas ações revelarem o melhor caminho a trilhar.
Assim, de uma maneira leve e claro, com muito bom humor, segue colecionando momentos, sensações, sentimentos que a surpreendem de uma maneira irresistível".

Sem esperas,

Lud Figueira

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

O Príncipe Encantado


Chegou a hora de falar sobre um romance de sucesso, sobre aquelas histórias de amor que geralmente nos fazem morrer de inveja nas salas de cinema, nos romances dos livros ou até mesmo aqueles casais que vemos no metrô, no ponto de ônibus, na praia protagonizando aquelas cenas de carinho, aquelas caras idiotas lindas de “estamos apaixonados”!

Digo que é bem natural. Tanto assim que você até desconfia (quando a esmola é demais o santo desconfia...é por aí). Quando seu telefone toca na hora combinada do dia seguinte (e dentro de você o diabinho do pessimismo já está te deixando aflita, naquela angústia dizendo que isso é mais um daqueles joguinhos e essa ligação é uma ilusão) você mal acredita. Mas é claro que você deixa a naturalidade agir e relaxa. Sabe aquele cara que é gentil em todos os aspectos? Querendo apenas o seu bem estar? Aquele cara que se preocupa, que não abre mão de coisas simples como: Te buscar e levá-la em casa, diz o quanto você é linda, te surpreende com atitudes que eram para parecer algo normal, mas você se assusta porque você, na real, não está acostumada a ser bem tratada. E também não estou falando daquele cara rico e boboca, que te leva para jantar no melhor restaurante e fica se elogiando e dizendo o quanto ele é maravilhoso e o quanto você é sortuda de estar ali com ele, naquele momento.

O cara te olha com uma sede e uma fome que nada tem a ver com sexo, corpo. É pura admiração em conhecer cada pedacinho seu, cada traço da sua personalidade e se apaixona mais um pouco a cada dia. Fala da família com carinho e dá valor as coisas, mesmo que agora seja fácil tê-las, ele sabe que é fruto de muito empenho e dedicação.

Ele apóia seus sonhos e faz com que você se sinta a mulher mais amada, mais feliz. Ele fala em futuro e faz planos construídos numa base que você nunca ousou em pensar que uma relação como essas poderia acontecer, ser verdade.

O nosso príncipe encantado cumpre o que promete e, se por acaso, não pode comparecer, avisa com antecedência e te compensa maravilhosamente no dia seguinte. Ele se preocupa em ser agradável e a fazer com que você se sinta feliz e confortável nos momentos em que vocês passam juntos.

Sei que parece uma utopia, falar em príncipe encantado em quanto temos tantos SAPOS, exemplos negativos sobre relacionamentos: Namoro apenas no rótulo, brigas diárias, ciúmes e posse exagerados e negativos, ficadas sem valor, ligações eternamente esperadas, sexo mecânico, mensagens mal interpretadas e não respondidas, dificuldade em abandonar vícios como: Continuar com aquele cara que a gente sabe que não quer nada, mas é tão bom quando ele tem um momento na agenda dele para você, que automaticamente você se vê apenas por mais uma vez vivendo mais uma noite de ilusão, quase numa terapia do AA, ou você se rende numa ligação na madrugada onde o cara acha que você é uma piranha, mas na verdade você só o atende porque o seu coração ainda não aprendeu a escolher certo e ainda não aprendeu a dizer não. Ou você dá aquela tão rara e especial segunda chance e o cara mostra que na verdade, ele é um babaca e só queria dar umazinha mesmo.

Passando uma borracha nesse capítulo infame das nossas vidas, de pura desilusão, falta de amor próprio e joguinhos nocivos prejudiciais à nossa saúde física e mental, venho dizer que chegou nosso momento de sermos felizes.

Príncipe encantado é raro. Mas, você consegue encontrar. E vou te dar uma dica:

Ele pode estar numa noitada, no estilo “cafona”, com aquelas mercenárias com sede por champagne e ao ver você, larga tudo isso, tira a fantasia e se revela o príncipe dos sonhos.

Nem tudo está perdido.

Beijos

Lud Figueira

@ludfigueira

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Mundo Real


Essa semana rolou um branco. Qual próximo texto? Do que eu vou falar? Aí vem um milhão de idéias e logo desisto, encontro um defeito e vou deixando para o amanhã.

Aí eu saio atrás de inspiração, escuto histórias, freqüento grupos diferentes e volto para casa com uma sensação de fracasso e com a pergunta: Nada vai mudar? Vou ficar aqui sempre dizendo as mesmas coisas? Ninguém tem um romance de sucesso para me contar? De repente só Chico Buarque...

Gostaria de tentar explicar esse vazio que me invade a cada volta para casa de alguma comemoração, festa ou até mesmo de encontros... Sinto como se eu tivesse me tornado uma vidente pessimista das coisas: Não estou conseguindo acreditar em mais nada. Ás vezes acho que a qualquer momento vai entrar alguém dizendo: É pegadinha! Mas, não. É tudo bem real, é isso mesmo que estou vendo, é isso mesmo que estou ouvindo....

Confesso que depois do texto PAPO CUECA, fiquei mal. A quantidade de emails que recebi de homens dizendo que se encontrava em quase todos os exemplos foi triste. Mas um email, em particular, chamou minha atenção:

Olha, tenho vários tipos diferentes de amigos, os "Decentes", os "Canalhas", os "Sentimentais", os "Mulher da relação" (rs), os "Machões", etc..
Em conversa sobre mulheres na minha roda de amigos, a maioria dos exemplos que você deu (se não todos) ocorrem com freqüência no nosso bate-papo, é impressionante como nós, homens realmente vemos as mulheres apenas como objeto sexual.. Eu tava refletindo sobre isso e me fiz a seguinte pergunta: Em qual desses "rótulos" eu me encaixo? Pois é, achar a resposta foi difícil pra mim, mas acho que na verdade é: "Todos!!!"..
Sim, eu costumo ser um namorado decente (namorei 7 anos com uma menina e me comportei até bem para os "padrões normais masculinos", rsrs), já fui canalha, sou sentimental, machão às vezes e "mulher da relação" (no sentido de ligar, perturbar, fazer charminho pras nossas cônjuges, não no sentido sexual da palavra, rs) mas eu acho particularmente muito errado um homem estereotipar todas as mulheres num mesmo grupo, tipo aqueles que tratam tanto as "dadivosas" quanto as "pra casar" do mesmo jeito, e perdem a chance de talvez conhecerem uma garota legal, etc..
Eu acho complicado tratar as mulheres por igual, uma vez que dificilmente encontro uma igual a outra, não existe essa praticidade, então, acho bem mais fácil pra mim, tratar uma mulher "recatada" como uma do tipo "pra casar" e outra "dadivosa" (rs) como "sexo sexo sexo", rsrs
Mas não costumo ser rude com elas... Acho que todas recebem o mesmo tipo de comportamento básico de minha pessoa, o que diferencia mesmo acho que é na hora de pensar em sexo, na investida, no romance
..”


Exatamente assim que as coisas ocorrem. Nos emails que recebi, esse foi o que melhor definiu o real pensamento masculino. Queria que fosse diferente, queria deixar com vocês alguma esperança de mudança, mas não tenho nenhuma palavra legal hoje para deixar de consolo.

Mas, acredito que nada como o tempo, para fazer TODOS pensarem de uma maneira diferente.

Beijos

Lud Figueira

@ludfigueira

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Meninos e Meninas


Exemplo1:

“O Playstation (2,3,4 sei lá quantos existem) está movimentando quatro amigos na sala, cada um com a sua cerveja e a namorada de um dos jogadores está ao telefone:

-Na boa, ele não sai dessa merda! Hoje a gente tinha combinado de assistir um filme, eu chego aqui ele fala que tinha esquecido de me avisar sobre o campeonato de vídeo game?!

-Relaxa amiga, qualquer coisa vem para cá! A Fê está chegando aqui em casa e a gente vai dar um pulinho no shopping.

-Ok. Vou falar com ele e te ligo.

Tempos depois....

- A Gabi é foda. Fica reclamando do meu jogo e fica fazendo esses programas de índio, dela com as amigas!

-Pô, meu irmão, nem me fala! Nunca mais vou ao shopping com a Nanda....Desespero Brother...

Exemplo 2:

-Poxa Dudu, você vai jogar bola outra vez? Mas agora você joga quantas vezes por semana? Você não vai me ver hoje?

-Linda, eu combinei com a galera. Hoje é um treino para o jogo final no domingo.

-Domingo? Mas têm o almoço de aniversário do meu pai!Que horas você vai acabar essa merda de jogo? Eu não acredito Dudu! Você prometeu!

-Amanda, eu sei do almoço do seu pai, vou depois do jogo. Na boa, quando eu voltar do jogo eu te ligo.

-Eduardo eu ainda não acabei....

-Amanda depois. Beijos

-Não precisa me ligar!

-Beijos Amanda.

-----------------------

Exemplo3:

-Lindo, hoje vamos no niver da Ju.

- Pô linda, nem vai dar. Amanhã eu acordo cedo, tenho um projeto para entregar.

-Mas vc prometeu amor. Você nunca vai nessas comemorações! Daqui a pouco vão pensar que você é um namorado fantasma.

-Linda, para mim não dá. Alivia ai.

-Poxa! Eu sempre vou às comemorações dos seus amigos custa você fazer esse favor de me acompanhar!

-Ta bom! Mas amanhã não reclama se eu não quiser fazer nada.

---------------------------

Exemplo 4:

-Nem acredito que o Otávio não reclamou do meu chopp com vcs!

-Amiga, na boa, esse seu namorado é um mala! Ele deixou vc vir mas liga a cada 10 minutos!

-Ah! Mas é que ele fica preocupado!

-Não amiga! Ele é muito ciumento...Cuidado! Isso é atitude de quem trai....

-Jura? Será?

-Sei lá...mas fica de olho....

-Vou ficar ligada....

----------------

Exemplo 5

-Eu não sei como você deixa seu namorado ficar saindo com esses amigos dele... Nenhum presta!

-Dani na boa, eu namoro ele porque eu confio nele. O que os amigos dele fazem ou deixam de fazer realmente não me interessa!

-Vai nessa...Você confia demais...

-Mas se eu não confiar para que eu iria namorar? Dani, você para começar uma relação, você precisa confiar e não prender a pessoa...

-Eu era assim ...Até que aquele cafajeste do meu ex me colocou um lindo par de chifres! Não confio em mais ninguém!

-Dani, você não pode generalizar!

Confusões e alegrias do mundo dos casais....

Dicas:

1- Cuidado com intrigas...

2- Felicidade alheia incomoda muita gente...

3- Resolva suas dúvidas com seu namorado (a) e não com amigos...

4- Cada um tem um tipo de lazer...

5- Entender o outro é fundamental, antes de criticar...

6- Tanto solteiro ou casado, têm lá suas vantagens e desvantagens...

7- Briguinhas desnecessárias saturam qualquer relação

8- Você com certeza têm problemas mais importantes do que o futebol do seu namorado

9- Quem ama, não prende ! E ninguém possui ninguém...

10- Ame mais e sofra menos

Beijos

Lud Figueira

@ludfigueira

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

PAPO CUECA


Lobo Mau com medo de Chapeuzinho Vermelho...

Estava na hora de escrever um texto para os homens. Freqüentei muita conversa com homens dando suas opiniões sobre relacionamento, sexo e mulheres. Alguns faziam a linha machista, outros a “cabeça fria”, tinha os que se inspiravam no eterno Casanova e por ai fui criando esse texto.

O que eles desejam:

1- Que as mulheres surpreendam-os

2- Que a mulher nunca transe no primeiro encontro

3- Que trabalhem, sejam profissionais produtivas

4- Gostem de esportes, não seja sedentária

5- Sejam carinhosas e atraentes

6- Que gostem de sexo (de preferência aquele vulcão na cama e aquela lady na rua)

7- Que não gostem muito de telefone

8- Que respeitem o chopp, futebol e outros afazeres masculinos SEM COBRANÇA

9- Que as mulheres sejam práticas e que saibam resolver problemas sozinhas

10- Que parem com briguinhas bobas e sejam mais pé no chão

O que vocês fazem:

Exemplo1:

-Meu irmão, saí com uma gata ontem...

- E aí? Como foi?

-Pô! Foi show, um clima super agradável um beijo muito bom, mas a gente acabou transando.

-Qual o problema? Não foi legal?

-Foi incrível. Mas cara, ela me “deu” de primeira... Perdeu todo o clima... Ela poderia ter valorizado o passe! A mina é maneira, mas não serve para apostar... Sei lá com quantos ela fez isso....

Exemplo 2:

-O que você está fazendo?

-Pô, to mandando umas mensagens.

-Para quem?

-Para umas mulheres.... A que mandar melhor na resposta, sai comigo hj...Sabe como é, quem tem uma não tem nenhuma, mas quem tem duas, três....

Exemplo 3:

-Cara que saco! A mulher está sempre me ligando!

-Porque você não atende e diz que hoje não vai dar ou que você não quer nada?

- porque uma vez que eu disser não, vou colocar um ponto final...e esse é o preço por deixar vírgulas...nunca se sabe o dia de amanhã...

- Pô mas a gata vai ficar bolada....

-Ah! Depois passa... Nada que um encontro casual e uma conversa mole não virem o jogo! Eu me garanto.

Exemplo 4:

-Na boa, to tranqüilo solteiro. Prefiro estar com os amigos, sair, me divertir, do que uma boa foda. Porque isso, eu tenho a hora que eu quiser.

-É, to num momento livre assim irmão. Mulher é o que não falta, para comer então. Sobra.

Exemplo 5:

-Cara! Mulher é tudo igual!

-Qual foi?

-Estava saindo com a gata, mas ela começou a vir com uns papos brabos de mudar a relação, ficar mais sério...

-Ihhh! Te encostou na parede...

-Pois é. Que mania!!! Está ótimo assim: A gente sai de vez em quando, faz um sexo gostoso, se liga ás vezes...para que mudar?

-Vai entender...

Exemplo 6:

-Olha a cara dessa mulher...

-Parece aquelas profissionais do sexo que vem todo sábado aqui bater cartão, pedir para assinarem a carteira de trabalho,,,

-Essa aí, com essa roupa, está pedindo,,

-Já vi que não vou embora sozinho essa noite...

Exemplo7:

-Você ainda está ficando com aquela mulher?

-Nem... Ela me mandou umas mensagens, me ligou uma ou duas vezes, mas eu nem respondi...

-Porque?

-Ah cara! Nem to a fim de ficar ficando direto, não quero vínculos...quando eu encontrar eu invento uma desculpa, digo que eu estava viajando, ah! Sei lá... se eu quiser pegar de novo eu vejo o que faço....

-Pô, se você não for mais pegar, passa o tel dela ai...

Exemplo 8:

-Ta ligando para quem. São 4hs da manhã!

-Para uma mina aí. Ela nunca me diz não, essa night não rendeu, e ela gosta de mim, vai aceitar na hora, essa é só para dar umazinha...

Exemplo 9:

-Ela é tão legal, porque você não dá uma chance para ela?

- Pô, não to numa de me envolver agora, se ela gostar mesmo, ela vai esperar meu momento...

Exemplo 10:

-Você ta mandando mal... Não basta só comer, tem que rolar uma manutenção...

-Ah! Não tenho saco para isso não meu irmão...não to a fim mais, um beijo tchau...

-Não pode ser assim irmão, teu filme fica queimado... a boa é você sempre dá uma moralzinha...assim você sempre sai ganhando...

Por que isso? Vocês vivem dizendo que odeiam jogar, mas o que vocês fazem é o que? Reclamam que as mulheres estão piores que os homens, mas também, se a gente não jogar tão pesado quanto vocês, vamos viver sendo marionete na mão de vocês.

Nossa postura pode não ser a das melhores, mas já viram a de vocês?

A gente liga vocês ao invés de dizer que não estão a fim vocês simplesmente não atendem ao telefone.

Vocês cobram sinceridade, mas são os últimos a falar a verdade!

O que na real vocês querem?

Citei dez exemplos idiotas que por incrível que pareça é o que mais rola. Tudo homens de 20, 30 anos... Desnecessário...

Alguém tem que ceder. Para que essa situação escrota entre homens e mulheres? Querem jogar? Joguem limpo!

Não gostaria de generalizar, mas assim como as legais pagam pelas escrotas, os legais também pagarão pelos escrotos.

Alguma coisa precisa mudar. Repensem no jeito que vocês tratam as mulheres e no jeito que elas pedem para serem tratadas, pois cada caso é um caso.

Como assim vocês comem uma mulher e nem para dar um sinal de vida depois? Preferem ligar dois ou três dias depois, isso é, quando ligam... Isso é ser macho?

Você podem tudo. Podem ter outras, podem sair com cada dia uma, podem transar com quem quiserem... E a gente? Ah... É piranha, puta, não serve para isso ou aquilo....

Assim não dá.

Lud Figueira

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Tudo ou "quase" tudo POR UM NAMORADO

Fórmulas, simpatias, homeopatia, florais, corte novo no cabelo, cartomantes... Desistam! Venho humildemente dizer que tudo o que vocês tentaram até agora foi em vão. Agora, pensem na pergunta que vou fazer: Porque você quer um namorado?

Acho que escutei um tímido: “Não sei”.

Vejo muita gente com um namorado só pelo rótulo. Vejo muita relação puramente comercial, relacionamento sem verdade, sem o principal: Amor. Vale ter relações assim, só para ter um namorado?

Alguns exemplos:

“De repente por que cansei de ser sozinha”, “queria alguém para compartilhar momentos, fazer planos”, “porque penso em casar e em formar uma família e nada melhor do que começar namorando”, “é bom gostar de alguém, está apaixonada, ter essa parceria”, “ah! Para aquele domingo chuvoso”, “Porque todas estão namorando menos eu!”, “Porque cansei dessa vida vazia de noitada e de camas e bocas diferentes”, “porque quero amar, quero conhecer esse sentimento, quero pertencer a uma só pessoa e construir uma relação de respeito e confiança!”.

Escuto muito de homens e mulheres: “Ah, na noitada não se tem homem e nem mulher para namorar”!, “Só namorei pessoas que foram apresentadas por amigos”, “Ninguém quer nada! É tanta oferta por aí, para quê namorar?”, “Sou solteiro moro sozinho, posso ter uma mulher diferente a cada noite, para que me prender a uma só?”, “Sou uma mulher independente, sou exigente, enquanto não aparece o certo, me divirto com os errados”... Mas, a frase que mais ganha é: “Não adianta generalizar”.

Então está bem. Não “generalizando” significa que ainda há esperanças. Então por onde será que elas andam? É, as tais esperanças? Não vejo ninguém mais otimista em relação a namorar, ser de alguém e todas aquelas coisas românticas e sonhadoras...

Não é melhor assumir que você não está pronta e ficar sozinha? Um namorado não é para dias solitários, não é alguém que você aluga só para os fins de semana e muito menos um para servir de apoio nos aniversários e para mostrar aos outros que você conseguiu desencalhar.

Um namorado não é aquele que faz tudo para te conquistar e depois fica apenas administrando a relação; mas sim, aquele que você e ele se conquistam todos os dias. Namoro é uma instituição das quais poucas pessoas ainda acreditam e valorizam. É uma fase importante, é uma etapa de conhecimento, de superação de defeitos e exaltações de qualidades. É um companheirismo absoluto, um dia triste com a compensação de dias melhores, um amadurecimento diário, uma convivência de crescimento, uma troca de conhecimentos e experiências. É ALGO RARO.

Vivemos numa época de corpos sarados e pouco intelecto. De pré julgamentos e opiniões fracas. De desistência pela dificuldade e aceitação pela facilidade. Da falta de emoção das palavras e atitudes e de muito sexo mecânico.

Dizem: “Saia, divirta-se, conheça gente nova! Mostre a sua cara, apareça!”. Eu digo, Fiquem em casa, leiam bastante, pois a cada noite vivida as esperanças são cruelmente perdidas, seja pelo vazio das pessoas ou pelo enorme vazio ao acordar no dia seguinte.

Ok. Não posso ser tão radical. Mas antes de quererem um namorado, saibam o porque. Não brinquem com sentimentos alheios, não pareça ser quem não são. Se conheçam sozinhos sem ajuda de muletas.

Encontre primeiro a felicidade em você e depois, compartilhe-a com o outro.

Beijos

Lud Figueira

@ludfigueira

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Um dia a gente cansa, no outro desiste e num próximo começa tudo outra vez, em formatos diferentes...


Quando se têm uma vida agitada, as decepções são rapidamente superadas. Porque quando se vai desmoronar, vem logo alguém e te tira correndo dessa fossa. É tudo muito rápido, muito intenso e lá está você em outra situação vivendo outras coisas, mas no fundo, você já viu esse filme antes.

Mas, quando se vive naquele marasmo total, quando o telefone parece que é só enfeite na sua vida, quando nem o mundo virtual fala com você, realmente. Difícil sair da fossa e o banzo que você se encontra. Mas, essas situações não estão acontecendo pela primeira vez e também não serão as últimas.

O jeito como você vai encarar esse novo formato, é que muda. Porque você já está PHD nesse jogo intenso do relacionamento. Mas como não sabemos tudo, tem sempre um ponto de interrogação que não conseguimos decifrar, o que na real, estimula-nos a ver aonde isso vai nos levar ou parar.

Têm horas em que a gente fala: “cansei dessa palhaçada!”, “Não quero mais primeiros encontros”, “Vou me tornar assexuada!”, “Porque é tudo tão igual”, “Não gosto da normalidade!”, “Me impressionem (nada de extravagâncias)!”, “Porque descartam tudo na primeira oportunidade?”, “Têm alguém com tempo na agenda para conhecer a gente?”.

Esses desabafos chegam ao momento do cansaço, seguido pela desistência e do pessimismo que, complicado e problemático é o quadro que você se encontra. Aí, chega um sorriso, chega à mesma proposta só que em roupas diferentes, numa altura e idade nova e lá está você, incansável, em busca de um novo amor, uma nova diversão ou mais uma decepção (porque tem a galera que possuí o pára – raio para problema).

Sempre é válido um novo começo. A esperança de se aprender com velhos erros permanece, por mais que a gente desvie do caminho certo a seguir.

Claro que chega o momento de virar bolha e se esconder em casa. Há momentos em que você não está a fim de sorrir, não está comunicativa e quer que o mundo e o sexo masculino se explodam no mármore do inferno. Mas logo você cai na real e vê que ruim com eles e PIOR sem eles!

Beijão

Lud Figueira

@ludfigueira

domingo, 19 de setembro de 2010

Uma Conversa vale mais do que uma "Ficada"?


Vale.

“Inebriada pelo champagne e pela fumaça do cigarro fui surpreendida pela chegada de três cavalheiros. Todos bem diferentes possuíam em comum a amizade. O primeiro escondia a cara de menino levado na timidez de um homem formado, o segundo possuía uma simpatia inegável e o terceiro, falava com os olhos. A noite seguia embalada por assuntos sobre relacionamentos, entre eles: “Cada homem tem uma preferência”, “Não adianta generalizar” e cada um seguia falando sobre sua opinião sobre as mulheres. Preciso confessar que o lugar não ajudava muito e por mais que a conversa e a companhia estivesse boa, dois dos três cavalheiros foram embora, deixando o cavalheiro que falava com os olhos a sós, comigo. O cavalheiro que ficou poderia ser classificado como aqueles homens fortes, sedutores e que dificilmente terminam a noite sozinho. Mas, a primeira lição da noite foi: Cuidado com julgamentos, nem sempre o que parece ser, é. Continuemos. O tal cavalheiro me afastou das outras pessoas com suas palavras, histórias que me prenderam de tal maneira que quando me dei conta já havíamos saído do lugar que estávamos e agora o cenário era um banco em frente ao mar. Eram duas pessoas desarmadas, apenas se conhecendo. Vida, família, profissão, amores. Passamos por todos os assuntos e num determinado momento me senti íntima daquele homem. Parecia que já o conhecia há séculos. Não posso deixar de falar que, ás vezes eu perdia o foco, pois o sorriso e o charme tentavam desviar as palavras que saiam daquela boca. Mas, conseguia me recuperar rapidamente. Depois de um tempo, olhei para o relógio e por mais alguns minutos, o sol ia começar a nascer. Num piscar de olhos, me levantei e disse que precisava ir embora. Acabei o deixando sem ação, diante da minha forte decisão. Fiz um sinal e rapidamente um táxi parou. Dei-lhe um abraço e parti.”

A jovem do texto acima foi surpreendida pelo rumo inesperado e agradável da noite. E, naquele táxi, o sorriso estampado em seu rosto a fez companhia de volta para casa.

O texto acima mostra que geralmente “ficamos” e depois conhecemos as pessoas. Trocamos carinhos e beijos pela atração dos corpos, pelo tesão. Como deve ser bom sair dessa rotina noturna previsível, não acham?

No caso, nossos dois protagonistas poderiam até ter algo em mente, mas foram surpreendidos por uma vontade de conhecimento ao invés de “se auto explorarem”. Isso foi sem dúvida o grande diferencial da noite.

Surpresas....

Beijos

Lud Figueira

@ludfigueira

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Quer namorar comigo?

Anúncio dos Classificados:

“Mulher, procura um companheiro, que goste de aventuras, seja sociável, goste do mar, da arte e do amor. Que adore surpresas, que deteste rotina e que seja autêntico. Que goste de sair à noite e não resuma o relacionamento apenas em DVD em casa e comida por telefone. Que goste de viajar, nem que seja para a região serrana, aqui no Rio mesmo. Que faça gentilezas não só em aniversários e em datas comerciais. Que olha para mim com admiração e não só com tesão. Que esteja ao meu lado nas situações difíceis, onde eu possa encontrar não só um namorado, mas um amigo, um homem. Que estabeleça comigo uma relação de confiança, de diálogo aberto, de sinceridade e respeito. Que mal entendidos seja solucionados com olho no olho e não por outros meios de comunicação. Que num domingo chuvoso queira simplesmente ficar na cama o dia todo enrolado no edredom comendo chocolate (o chocolate pode ser negociado). Que nas minhas oscilações de humor por causa da TPM, procure entender que é apenas um estado momentâneo e que após irei recompensá-lo, pois é válido lembrar que o relacionamento não é feito só de dias felizes. Que após um briga, façamos as pazes na cama, juntos. É permitido uma dose mínima de ciúme, sempre dá um tempero a relação. Volto a repetir: Uma dose mínima. É importante o futebol ou o chopp com os amigos, assim como também preciso desses momentos com minhas amigas. Que na falta do que dizer, prefira o silêncio, que converse comigo por olhar. Que entenda meus cinco sorrisos e meu jeito pouco discreto de ser. Que não seja preconceituoso e que saiba conversar sobre todos os assuntos (política não é necessário). Que fale honestamente quando não gostar de alguma coisa que eu fizer e não guarde para despejar tudo numa briga qualquer. Que não se contamine por opiniões alheias e que não envolva terceira pessoa no relacionamento. Que haja uma divisão justa, para crescermos financeiramente. Que sejamos parceiros para todos os momentos. Que me ensine a andar de mãos dadas e que goste de abraços. Beijo é fundamental! Nada de estalinho como se fôssemos casados há anos e não nos beijássemos mais. Adoro beijo. É de extrema importância que você goste de beijos. Importante que você me ensine a fazer amor, mas que também faça sexo comigo. Se depois de algum tempo você sentir que não gosta mais de mim, que eu seja a primeira, a saber. Aviso que ainda acredito em namoros, por tanto, não o considero um passatempo para dias solitários e sim uma relação de verdade, ou seja, traição para mim é imperdoável. Sou bem econômica, um mate com limão me alegra facilmente. Para finalizar, ao começarmos essa relação, gostaria de um pedido formal.”

Quer namorar comigo?

Beijos

Lud Figueira

@ludfigueira

Blá Blá Blá...Troca o disco

Eu estava conversando com um amigo dia desses e ele me falou:

“Lud, eu não consigo me apaixonar! Eu quero uma namorada! Mas não consigo me envolver, é tudo igual, depois da conquista parece que não resta mais nada...”

Na hora eu ri, porque conheço bem o tipo do meu amigo e não disse nada. Não o levei a sério, porque cinco minutos depois que ele falou isso, já estava lá, chegando em uma garota! Mas, depois eu cheguei em casa e fiquei pensando.

É realmente tudo igual. Se a gente parar e prestar atenção, vamos ver que nada mais tem aquela emoção, é tudo calculado. Mais ou menos assim: Você conhece o cara ou uma garota, leva para sair, claro que depois você vai querer ela de sobremesa e ela ou vai fazer um daqueles joguinhos ou vai ceder logo de cara. Pronto: No final das contas, é sempre assim que termina, porque na real, ninguém dispõe de tempo para conhecer o outro. É tudo rápido. Isso quando você não sai com um cara e ele perde o “time”, manutenção- Tipo do cara que liga de duas em duas semanas....

Quantas vezes vocês saíram com um cara, ou uma garota, e no dia seguinte ligaram, naquela intensidade, com aquele frio na barriga, querendo ver o mais rápido possível o outro? Com certeza pouquíssimas pessoas dirão sim. Aí vem as desculpas: “ah! Tem que deixar rolar...”, “Pô, se eu ligar no dia seguinte, a gata vai achar que eu tô amarradão!”, “ É bom deixar o outro com gostinho de quero mais...” Essas desculpas são altamente manipuladas por nós. Mentira cabeluda se alguém disser que age naturalmente, porque não age. Mesmo que o cara ou a garota queiram ligar, se manifestar de alguma forma, eles pensam sempre no que o outro vai dizer, pensar e na maioria das vezes chegam à conclusão que o melhor é não fazer nada.

Por isso que não há mais surpresas. Por isso demoramos a nos apaixonar. Parecemos um monte de videntes e já damos um beijo sabendo o que vai vir depois. Isso é muito chato. Sem tesão, sem emoção, frio. Acho que é o medo de gostar antes que o outro mostre o sentimento, medo de sofrer uma decepção por ter se entregado, medo do vínculo, medo de sentir vontade, necessidade do outro. O que fazemos então: Boicotamos encontros, vontades, momentos. Agimos superficialmente, interpretamos personagens, rimos das mesmas frases clichês e por incrível que pareça não fazemos nada para trocar o disco e continuamos dançando a mesma e velha música de sempre. Reclamamos, choramos, mas na real, compactuamos com esse ciclo nocivo sem novidades.

Geralmente a gente se apaixona por alguma atitude do cara ou da garota que foi diferente, alguma coisa fora do nosso controle. E, quando sentimos aquele reviramento estomacal, aquele calor e frio ao mesmo tempo, aquela falta de palavras, aquela tensão, ao invés de ficarmos felizes por termos achado alguém que nos provocasse tudo isso outra vez, logo, no mesmo instante, esquecemos de todos esses sintomas e começamos a pensar no outro, a descobrir se o outro está sentindo o mesmo, se estamos ou não sozinhas nessa, se é melhor fingir e não mostrar ou se é melhor fazer e dizer o que tem vontade....São tantas dúvidas, tantas maluquices, que não curtimos o momento....

Aí vem os homens e dizem que são práticos e decididos e que isso tudo não passa de neurose feminina, que mulher é tudo complicada e etc. O que acontece é que se os homens fossem seres tão práticos, tão decididos, eles começariam a cumprir o que falam, a dizer a que veio, seriam mais diretos, não enrolariam(quer dizer a maioria acha que enrola) tanto, iriam perceber que mais vale uma boa refeição, do que fazer um lachinho a cada hora. Ou então, a nova moda do pedaço é colocar a culpa em nós, as mulheres. O que mais ouço são os homens falando que as mulheres se igualaram a eles, que as mulheres fazem pior que os homens, que as mulheres é que não querem nada, que as mulheres estão dando para todo mundo, que as mulheres...Ah, na boa! Um coloca a culpa no outro e ninguém “fode e nem sai de cima”! Ninguém merece....

Tenho uma sugestão: Que tal a gente não pensar em falsas regras e ao invés de ficarmos nos preocupando tanto com o outro, não passamos a pensar primeiro em nós? Na nossa vontade? Sairmos com o outro sem falas decoradas, sem manipulação e sem controlar movimentos?

Que tal ser você mesmo?

Beijos

Lud Figueira

@ludfigueira

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Maluquices masculinas

As vezes penso em fazer uma segunda faculdade, psicologia. Porque ou eu sou muito doida ou as pessoas é que estão cada vez mais malucas!

Na quinta feira, um dia que realmente gostaria de esquecer, riscar do meu mapa astral, que definitivamente me arrependo...ou melhor, gostaria de ter me tele-transportado para minha cama, junto com meus amigos inseparáveis: Meus queridos e confortáveis travesseiros. Mas, não aconteceu isso.

Nesse dia em diante, presenciei todos os tipos de maldade gratuita que um cara pode fazer com uma mulher. Vejamos:

1-Passar dias querendo estar com essa mulher, olhá-la como se ela fosse um delicioso Hot Filadélfia e depois de possuí-la dizer à ela: "Estou arrependido de ter transado com você!"

2- O tal cara se referir a uma mulher que ele estava pegando como "nada de importante", "um pouco chata", "não estou afim de ficar com ela" e logo depois dizer que está quase namorando.

3-Ok. Você abre mão de ir a uma festa onde metade do Rio de Janeiro iria, onde provavelmente o nosso "pica do ano" estaria, vai para outro lugar e cinco minutos depois da sua chegada (porque você é muito azarada), você presencia as cenas mais lindas de um romance: Beijo na testa, andar colado, mãos dadas, trocas de sorrisos, palavrinhas no ouvido, onde você fica perplexa e se sente num pesadelo onde impossível é acordar!

Ah! E outras bizarras onde você se pergunta o porque de tudo isso? Será que ele acha que você é prima do homem de ferro e não tem coração ou sangue correndo em suas veias? De repente....

Voltemos ao início de tudo, onde depois da frase (vale a pena repetir): "Estou arrependido de ter transado com você", o cara joga para cima de você a culpa por estar arrependido. Do tipo: "Porque você me deu?", "Você nunca vai conseguir namorar!", " você é um personagem!", "Você é muito independente"... Outras coisinhas desagradáveis, mas já foram esquecidas... Mentira, é o que você tenta acreditar todos os dias.... Mas, as palavras maldosas continuam te fazendo companhia!

Enfim, são coisas que não precisamos passar, por serem cruéis demais. Porque magoar alguém que nunca te fez absolutamente nada? Porque ser tão egoísta a ponto de só se preocupar consigo e esquecer dos demais? Cara, são tantas perguntas, que eu ficaria até amanhã aqui....Mas, não vale a pena. A não ser ter passado por situações como essa, onde as vezes não vale só passar e preciso vivenciar a dor e a decepção para jamais se permitir passar por isso novamente. Até porque, vale lembrar que mulher é um ser muito burro as vezes: Sempre esquece o sofrimento causado pelo macho, está sempre perdoando o imperdoável, está sempre dando novas oportunidades a quem não tem mais jeito.

Isso é o que mais me incomoda. Apesar de sabermos que caras assim não valem a pena, ficamos ainda um bom tempo tentando digerir tamanha maldade, tamanha falta de consideração, tamanha loucura... Ficamos realmente nos sentindo culpadas, nos sentindo as piores pessoas do mundo e o vazio no dia seguinte parece que nunca mais vai embora.

Ao levantar da dura queda, aprendemos que não somos culpados pelos julgamentos dos outros, mas sim, eles é que não dispõe de tempo para conhecer o novo, para nos conhecer mais e saem por ai julgando atitudes e corações sem antes entenderem um pouco mais sobre quem estão falando.

É muito difícil ser mulher nos dias de hoje. Se você mostra independência, atitude, vontade, você assusta, você causa julgamentos errôneos para com sua pessoa. Agora se você age como a maioria das mulheres, fazendo joguinhos, sendo ardilosa, dizendo ser alguém que você não é, fazendo ceninhas de ciúme, dando uma de mulher controladora, ai sim, você é aceita! Isso é muita maluquice para minha cabeça!!!!

Cheguei a conclusão que sem dúvida nenhuma é melhor ficar sozinha do que arranjar problemas para a sua vida!

Aceito críticas, por achar que na maioria das vezes, você aprende. Mas, dessa vez, digo:
Mulher de atitude, de personalidade forte e independente ASSUSTA, causa um terrível pânico. O homem que realmente quiser ficar com uma mulher assim, antes de essa mulher se abrir é preciso ter segurança, confiança e isso não se consegue em dias, se consegue com o passar do tempo que você estiver disposto a possibilitar para aquela pessoa que você está interessado. Mas a verdade é que é muito melhor continuar com o brinquedo que já se sabe mexer, que é aceito pelos outros, do que aprender a usar um novo brinquedo, a tentar o diferente, a se sentir seguro com o novo.

Não entendo e espero que eu consiga mais calma e compreensão para entender tamanha loucura, um dia.

Um beijo

Lud Figueira
@ludfigueira

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Que cafona! Competição por Homem....

Tudo bem que estamos numa fase de cinco mulheres para cada homem, mas não é por causa disso que vou começar a competir por homem, é um pouco demais. Faço a fina e deixo elas brigando! Ah! Ninguém merece isso! Cadê a auto confiança? Você não se garante? Um monte de mulher brigando para ver quem tem mais a atenção do cara? Ah! dou passagem para esse showzinho feminino! Digo não! E falo, pode levar!

Essa minha vida de solteira me leva a presenciar as histórias mais malucas do mundo. Eu estou falando de mulher bonita, interessante que se menospreza ao competir com a outra por um cara. Não vale a pena, não é legal e você até pode ganhá-lo o difícil é mantê-lo por perto outras vezes.

Já tivemos mil provas de que quando o homem está afim, ele corre atrás. Então, porque você vai ficar correndo atrás dele, mendigando atenção e carinho? Ou o cara tem para te dar ou não tem! Você até pode consegui-lo por uma, duas noite; mas vale a pena o sacrifício? Ficar olhando de cara feia para cada "amiga" do cara que chegar para falar com ele, ficar seguindo ele em todas as noitadas, ficar ligando e em cima você realmente vai conseguir uma grande coisa: Afastá-lo de você o mais rápido possível. Com certeza!

Ainda mais se o cara não tem nada com você, ainda mais sendo um cara solteiro, ainda mais sendo um cara que você só pega na noite! Meu amor, nesse momento ele não é seu e nem de ninguém. Não é assim que você vai chamar a atenção dele. Não mesmo.

Não é que você deva ser mal educada e não falar. Você tem que ser educada sempre, mas deixe o cara a vontade, não interfira na escolha e saiba perder.

Às vezes é preciso perder para saber ganhar.

Não quer dizer que a escolhida é mais isso ou mais aquilo do que você. Na verdade não quer dizer nada, foi uma escolha do cara e ponto final.

Agora, você saber a hora de sair de cena, evitar momentos desagradáveis e saber se portar diante dessas situações, faz toda a diferença.

Até porque não é nesse lance de competição que você vai conseguir realmente o que deseja. Pelo menos, para mim, não funciona.

Eu posso estar super afim, mas não vou ficar brigando. Não mesmo.

Beijos

Lud Figueira

@ludfigueira

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Renda-se: "Eu não quero romance eu quero só um Lance".

Dizem que essa não é uma boa época para namorar: Porque o fim do ano está chegando e com ele vem a festa de reveillon, logo em seguida o carnaval, então é melhor desencanar dessa idéia. Eu sei que milagres acontecem, até acredito nisso, mas é melhor não ficar esperando por um.

Se você estava com esperanças do seu sexo casual virar um relacionamento mais sério, tire já o seu cavalinho da chuva; pois desse mato não sairá coelhos. Pode até ser que você seja lembrada quando o "lindinho" resolver namorar, mas vou logo te avisando que quando ele resolver isso, é capaz de ele começar a namorar com a primeira que aparecer, então não crie ilusões.

Lembre-se: quem tem um, não tem nenhum. Não pense que você é a única, tem sempre mais um telefone entrando na agenda dele.

Não queira ser igual a popular ou a gostosona do pedaço, se diferencie, mesmo que você saia de mãos vazias. No futuro, você irá agradecer. Até porque, até os cafajestes tem memória. Algo diferente é sempre lembrado, ainda mais quando é uma atitude fora do comum.

Não se arrependa no dia seguinte. Até porque erros são cometidos para a gente conseguir acertar numa próxima vez. Não se preocupe, sempre tem a tal próxima vez, por mais que demore.

A simpatia é uma boa , mas ás vezes confundem sua "fofura" com algo mais. "Sou simpatica e não estou te dando mole" é sempre bom lembrar.

As vezes é melhor ligar do que mandar mensagem. Assim você evita erro de interpretação!

Nem 8 nem 80. Não vá com muita sede ao pote. Paquere, não se jogue! Um equilíbrio na paquera é bem visto.

Namorar por namorar, é melhor continuar no Lance.

Beijos
Lud Figueira

@ludfigueira





quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Ela é do Brasil e ele da Suíça..... Ai, meu Deus!!!! Amor de verão europeu!

Simples assim: ganha na mega sena e compra um avião! hehehhehe

Amor de verão europeu.

Foi com uma amiga para Espanha. Quer destino mais romântico? Nossa amiga que pede para não ser identificada, foi passar as férias, conhecer pessoas, se divertir e encontrar um flert que deixara no ano passado. Chegando lá, o flert já não era o mesmo e lhe apareceu um suiço!!!

"Estávamos no mesmo albergue, ele fazia o meu café da manhã, passeávamos juntos, juras de amor, pena que nos conhecemos no fim da minha viagem! Mas, foram 5 dias intensos! Estou apaixonada!!!!".

Ela está apaixonada! Vejam só! Apenas 5 dias... Ok. Temos que analisar a intensidade desses 5 dias. É bem verdade que quando você está em outro país, de mochilão, tudo que você vive é intenso. Apesar de não ter rolado sexo, ela está apaixonada pelo carinho e atenção dedicado à ela, somente à ela, durante esses 5 dias. Coisa rara nos dias de hoje, ainda mais numa viagem onde a sua única obrigação é se divertir conhecendo lugares!

Não vou questionar o grau dessa paixonite. Mas, acho que ela deve pôr a cabeça no lugar.

Primeiro: Deixar o tempo passar e ver se por ele é real essa paixão, ou se é só coisa da cabeça dela,

Segundo: A Suíça não é logo ali....Se ela fosse Paris Hilton ou alguma outra socialite famosa, realmente a Suíça seria logo ali, mas como simples mortal, pensando em real e não em euro, levando em consideração que a nossa amiga tem apenas 23 anos, digo: Não quero desmerecer seu sentimento, mas novas paixões surgirão nos próximos verões,

Terceiro: Tudo é muito lindo e muito romântico mas, distância é uma MERDA!!!Nos momentos mais importantes você geralmente está sozinha! A cobrança sempre se fará presente e em pouco tempo a relação se esgotará. Ou não. Mas, digamos que estatísticamente é o que ocorre em 90 %dos relacionamentos a distância.

Conselho: Viva o momento sem esperar nada. Tenha os pés no chão. Sorria ao falar dele, veja um milhão de vezes as fotos do amado, fale com ele, mas não "viaje" em planos que ás vezes o tempo destrói antes. De repente foi maravilhoso por ter acontecido daquele jeito, naquele lugar...Não é garantido que será tão maravilhoso como foi.

Claro que se ele fizer toda uma movimentação, provando para você, minha querida amiga que é real, siga seu coração! Viva, mas sem esquecer que já é difícil um relacionamento aqui do seu lado, que dirá um lá longe, lá em outro país!

Curta o momento com o coração sabedor dos riscos. Ame, não sofra. Ás vezes é melhor só lembrar, só lembrar....

beijão
@ludfigueira

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

CABEÇAS COMPLEXAS

Eu não sei nem por onde começar. Não sei se eu peço desculpas pela minha impulsividade e meu desejo incontrolável ou se eu dou graças a Deus pelo outro não ter cedido ás minhas investidas via sms.

Covardia da minha parte, procurá-lo depois do próprio me dizer que essa "situação" não era possível. Vou ser muito sincera: Minha cabeça já entendeu mas meu corpo não; e é pelo seu corpo que o meu chama. Não posso ignorar toda aquele jogo de arte e suor que houve em três míseros encontros, em três momentos inesquecíveis...

Essa falta, esse intervalo entre uma aventura e outra me mata, me consome, me engole. Ok. Já entendi que seu coração não pertence nem a você, mas decidi que não quero um romance, não quero um passeio no parque e nem uma ida ao cinema, eu quero o seu olhar no meu, quero suas mãos no meu corpo, quero me conectar por horas sem pedir para parar. Não quero mais parar.

Caralhada! Porque tem que ser tão difícil tudo?
ME SEQUESTRA?

beijos
Lud Figueira

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Não se apaixone por mim.

Ele disse: Não se apaixone por mim.
Ela disse: Desculpa, você me disse isso um pouco tarde.

Como assim?

Ah! Seria um sonho encantado se todos pudéssemos adestrar o nosso coração. Se a gente falasse: "Esse cara ou essa mulher você(no caso o coração) não pode se apaixonar!", ou "Ah, esse você pode...". O mundo seria perfeito onde todas as pessoas seriam bem resolvidas e viveriam sempre bem com seus amores!

Mas não é assim que a banda toca. Mas,as vezes é bom rolar esse balde de água fria.

Quando o cara disse para não se apaixonar por ele, leia-se: "Gosto de você, mas se você se apaixonar por mim as coisas vão desandar!" Ou seja: Para ele, o legal é esse relacionamento, se você começar a se envolver, ferrou! Ele não saberá o que fazer e a idéia de vê-la triste afastará ele ainda mais do seu caminho!

Nossa! Quanta bondade desse cara!

Páaaaaara tudo! Esse cara não gosta porcaria nenhuma de você. Ele não quer é se meter em mais problemas!Mas, por outro lado você também não quer isso, então, as palavras dele passam um tempo rondando sua cabeça e você se decide:

"Ok. Você está certo. Eu não devo me apaixonar por você e nem você por mim."

Até porque você não pode obrigá-lo a gostar de você. E nem você quer isso. Se você estava levando a situação de uma forma: Deixa a vida me levar.... Agora você está controlando ações, sentimentos, palavras...e com isso, perdendo o entusiasmo por novos encontros. Até porque "não poder isso ou não poder aquilo" é muito chato!


Enfim, o tempo sempre se encarrega de pôr as coisas no devido lugar!

Um beijão

Lud Figueira

sábado, 21 de agosto de 2010

Ele merece uma segunda chance?

Ainda faço parte do clube: Todos merecem uma segunda chance.

Eu coloquei "ainda", porque nem todas as pessoas aprendem com os erros cometidos. Então, pode ser que um dia eu escreva para vocês dizendo que não acredito mais em uma segunda chance. Como, "ainda" não chegou esse dia, vamos falar da segunda chance.

A segunda chance vale a pena depois que o outro percebeu o erro cometido (pediu desculpas, ligou, ou na oportunidade que teve conversou com você sobre o ocorrido) e pediu uma chance, um novo encontro ou se mostrou disposto a mudanças.

Claro que, não estou aqui me referindo a Traição. Realmente esse é um item que é complicado opinar. A traição é algo que só quem sente pode dizer se deve ou não dar uma segunda chance. E, nenhuma pessoa tem o direito de criticar a decisão do outro. Porque TODO MUNDO tem teto de vidro. Estou aqui, me referindo, a segunda chance dada nos seguintes casos:

1- Ao cara que perdeu o "time" mas mostrou que realmente não foi por não querer mais vê-la, mas sim por questões profissionais(ou seja lá o que tenha sido) e, mostrou que você faz a diferença na vida dele;

2- Ao cara que mal te conhecia, mentiu desnecessariamente, mas pelo rápido envolvimento ter significado alguma coisa, se mostrou "arrependido" e pediu uma nova oportunidade de mudar aquela imagem deixada;

3- Ao cara que sumiu, desapareceu, mas depois de várias investidas (porque você passou a dizer não por causa do sumiço dele; até porque um encontro não pode rolar só quando um quer, isso é algo que tem que rolar quando os dois querem e se sentem bem)você resolveu dar uma segunda chance para ver se é só "fogo de palha" ou o cara é bacana só estava com dificuldades para perceber que você não é como as outras;

4-Uma segunda chance também é válida para um cara que você descartou na primeira saída por não ter preenchido alguns requisitos. Vale a pena dar uma outra oportunidade para o cara, afinal tem pessoas que não rendem muito no primeiro encontro, mas com a intimidade e outros encontros, faz com que você se surpreenda;

5- Vale dar uma segunda chance para você. Sim, para você. Explico: As vezes saímos com um cara, que percebemos que é o tal problema, mas sem ter muita certeza, precisamos de mais uma chance para tirar a tal prova dos nove. Até para poder ser sensata na decisão de continuar ou não com o tal envolvimento.

6- Para situações mal interpretadas. Ligações estranhas(o cara não podia falar e sem querer te tratou mal, ficou sem reação com a sua ligação e não soube o que dizer e meteu os pés pelas mãos, etc.), para uma situação de estar com você numa noite e de repente se deparar com a ex e ir embora (dá para compreender e marcar um segundo encontro), para comentários mal interpretados por você "virtualmente"(conversas de msn sem exclamação, recados de facebook e derivados), fofoca de amigos (a maioria como já disse só atrapalha- felicidade alheia incomoda. Mas, fique calma, pois não são todos! Há pessoas que ficam felizes em ver outras pessoas felizes) e por último, dependendo da explicação, a justificativa de um celular desligado depois de marcar um encontro e não aparecer (essa explicação tem que ser muito boa para merecer uma segunda chance de ter um encontro com você depois do "bolão" que você ganhou).


Sei que há outros casos, mas esses são os principais que de repente, dependendo do desenrolar da justificativa, vale a pena dar a tão especial e ÚNICA segunda chance.

Cuidado com os comediantes. Aqueles que ainda não foram descobertos pelo STAND UP (comédia em pé)as explicações desses caras costumam ser as mais elaboradas e engraçadas onde você sem perceber dá uma segunda chance e geralmente se arrepende depois!


Beijos

Lud Figueira

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Como avaliar seus pretendentes: Como escolher o melhor!

Essa história de um amor numa cabana e viver de coco numa ilha deserta, deixamos com Brooke Shields em "A Lagoa Azul".

Ao detectarmos o fato: "estamos apaixonadas", é preciso coletar dados do futuro pretendente e saber se ele preenche os requisitos necessários para definitivamente ganhar nosso coração.

Claro que, nos dias de hoje, não se deve deixar impressionar pelo estado civil marcar "solteiro". Até porque isso só quer dizer que a pessoa não tem ninguém "fixo", mas também não está sozinha.

Nesse longo processo de escolha do pretendente, não analisamos só o candidato à vaga no nosso SELECIONADO E CRÍTICO coração. É claro que há um favorito, o que nem sempre quer dizer que seja o melhor candidato (cuidado com os cafajestes! eles costumam se sair bem nas entrevistas). Por isso, até que analisemos minuciosamente os currículos, todos são possíveis candidatos.

Claro e evidente, que o cara que de certa forma mexe com as nossas estruturas tem muitos pontos na frente dos outros concorrentes, mas ainda não o faz vencedor. Pois, vale lembrar que somos MULHERES DIFÍCEIS!

Exemplo:

Você está loucamente apaixonada por um cara que não mora na sua cidade, mas é tudo de bom. Em contra partida, existe um outro cara na sua cidade que seu coração dá pulos de alegria ao vê-lo, mas o tal ainda está preso no mundo do "Peter Pan" e não quer assumir nenhuma responsabilidade com nada.

Como fazer:

Coloque os nomes dos pretendentes (cara 1 e cara 2) numa folha em branco e escreva ao lado dos nomes: Pontos Negativos e Pontos Positivos.

Exemplo:

Cara 1:
P.N- NÃO TRABALHA
P.P- MUITO ATENCIOSO

CARA 2:
P.N- DIFICULDADE EM CRIAR VÍNCULOS
P.P- LIGA SEMPRE NO DIA SEGUINTE

ETC...


Depois disso, analise os currículos atenciosamente. Tente deixar o péssimo conselheiro, chamado sentimento, de lado e seja sensata.

LEMBRETES IMPORTANTES:

- Sexo pode não ser bom sempre, mas amor de verdade é para sempre;
- Beleza não dura para sempre. A velhice chega até para os sarados;
- Não mudamos ninguém;
- Amor não enche barriga;
- Esforço e atitude é sempre levado em consideração;
- O futebol não atrapalha. São os amigos que às vezes não ajudam muito;
- Personalidade é algo marcante;
- Admiração pelo outro é fundamental, repito: FUNDAMENTAL!


Bom, depois de esclarecer o real perfil dos candidatos, tire uns dias e faça sua aposta!

P.S.: Se não der certo, com certeza você terá outros currículos para avaliar!

Boa Sorte!

Beijos

Lud Figueira

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Virando a página

Preciso e necessário. Saber enxergar a luz piscando avisando:"Chegou a hora, acabou. Por favor mude o capítulo! Vamos virar a página?"

É isso que vamos fazer. Vamos pegar uma folha em branco e escrever uma nova história. Aquele capítulo já estava cansativo, os protagonistas estavam chatos e precisamos de movimento, mudanças, criar, de novidades para o nosso novo capítulo.

Para isso acontecer, precisamos resolver certas questões:

Primeiro: Livre-se da culpa por qualquer decisão que você tenha se arrependido; ou você volta atrás, procura mesmo, sem se preocupar com o que você fez antes ou então desista! A vida do outro já seguiu! Vai ficar fazendo o que ai, sozinha e ainda por cima pensando no "Se": "Se eu tivesse feito isso, falado aquilo, pensado assim ou assado." (Ah, cara, sai dessa! Abre um mate com limão!)

Segundo: É necessário querer sair desse baixo-astral, tirar esse moletom, tomar um bom banho e principalmente cuidar de você! Essa depressão pós-fora, ou término de namoro, ou mais uma briga daquelas com o namorado, ficante(seja lá que nome tenha) já deixou você mal tempo suficiente. Não dá para ficar cultivando o papel de vítima(as amigas já não aguentam mais ouvir a mesma história! Na verdade nem você aguenta mais contar!), esse papel não te pertence mais! Vai buscar a heroína e a mulher poderosa que há em você!(para algumas shopping resolve, para outras um bom sexo com um desconhecido é uma boa saída)

Terceiro: Mude o foco. EXTREMAMENTE importante que você comece a reparar em outras coisas das quais antes não eram interessantes mas, se de repente você olhar de outra forma, sua opinião pode mudar: "Nossa, pensando bem,,,,," NÃO é para você começar a fazer caridade por ai! (Madre Tereza já partiu dessa para melhor!) É para você ampliar seus horizontes (não a agenda telefônica como nossos amigos homens fazem),mas sim, conhecer lugares novos, PESSOAS novas, gente de outra tribo(larga de ser preconceituosa, os esquisitos também amam).

Bom, depois de seguir esses três "mandamentos", sua página em branco ganhará novas histórias, novas risadas e novas experiências, momentos que precisam e devem conter mais humor do que drama. Cara! A gente já complica tanto as coisas, poderíamos pegar mais leve nas questões sentimentais(que já nos consomem demasiadamente).

É importante Não cair em tentação(muito menos cobiçar o homem alheio), aprender com os erros anteriores(cometa erros novos), se libertar do passado (figurinha repetida não preenche albúm)e entender que na maioria das vezes você entra perdendo, mais sempre pode vir a ganhar!

Mais leveza e menos trabalho mental. A felicidade e o amor custa caro (não tente comprá-los numa liquidação, pois o barato sai caro).

Ah! Já ia me esquecendo do mais importante: Você precisa entender que você pode ser sua pior inimiga! Viva em paz com você e com o espelho. Assuma-se! Vista a sua camisa, acredite em você(quando a gente acredita no produto fica mais fácil vende-lo, ou seja, quando a gente acredita no que somos, no que falamos, ganhamos a credibilidade alheia).

Pronto! VocÊ já pode virar sua página.

Beijos

Lud Figueira

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Um beijo e não me liga mais

Ah! Como é difícil manter a palavra.

"É verdade. Eu menti. Menti e me preciptei para evitar um sofrimento futuro, como se eu tivesse bola de cristal. Conclusão: Meus pensamentos ainda possuem você como dono e eu, na ilusão de estar me "protegendo", questiono com o passar dos dias minha (feliz ou infeliz) decisão em me afastar de você. Me pergunto como você está. Se por acaso, meu rosto assalta seus pensamentos, se aquela noite te persegue como persegue a mim... Como um rápido envolvimento pôde me deixar assim? E as regras? E o jogo? E o lance de não se envolver? De não se apaixonar...."
(Trecho do Arquivo pessoal por Lud Figueira)


Ah! Paixão é um sentimento complexo, que não tem hora de chegada...Simplesmente vem, se instala e provoca as reações mais loucas num ser humano...É a perda do controle, é a busca incansável por mais uma noite, por "apenas" mais uma vez, tornando o ser em questão, prisioneiro de algo que não se sabe ao certo, mas perigoso de se aventurar...

De que vale a palavra dada? Mostrar amor próprio? Mais do que vale esse amor próprio se por dentro você se encontra destruída, arrasada...Será que evitamos um sofrimento ou o preciptamos?

Drama, drama, drama...

Cara certo ou cara errado?

Quem sabe...

Beijos

Lud Figueira

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

PEDE PRA SAIR

Homem come porque a mulher dá.
Mulher espera porque ainda acredita em Papai Noel. Sinto de coração informar à vocês, mas Papai Noel e coelhinho da páscoa não existem!
Se o homem tem namorada e quer ficar com você, NÃO se iluda: ELE NÃO VAI LARGAR A "FIEL" PELA "AMANTE".
Mulher que fala sobre sexo na televisão, não adianta: todos vão chamar de piranha; já se o homem falar de sexo na televisão, ele é o entendido e a pica doce do ano.
Sim, o mundo é machista. E daí?
Você saiu da night com um cara. E daí?
Você tem um pau amigo. E daí?
Você pegou mais de dois caras numa mesma noite. E daí?
O cara que você ficou não te ligou. E daí?
Vocês tiveram uma linda noite de amor trocando palavras para toda uma eternidade. Mas ele sumiu. E daí?
Você é solteira, nunca namorou e é mal vista por isso. E daí?
você é a favor do sexo casual. E daí?
E daí? E daí? E daí?

Cansei de brincar dessa palhaçada de ser a mulher perfeita, de ser a ninfa sexual, de ser a legal. Não sou legal, não somos legais e tentar consertar a fama de que mulher se igualou ao homem e agora eles tratam todas iguais, não estou nem aí.

Cansei de primeiros encontros, de sexos avassaladores, do cara musculoso, do ogro, do intelectual, do charmoso, cansei de todos.
Cansei das frígidas, das gostosonas, das bonitinhas para casar, das rebeldes.

A grande verdade é que falta tanto homem quanto mulher de verdade. E todos RECLAMAM! TODOS! Homens e mulheres RECLAMAM, mas todos ADORAM ESSA VIDA!

As festas continuam em alta. Os motéis, carros e camas espalhadas pela cidade estão cheios de arte e suor. Os celulares ganham cada vez mais espaço na agenda de telefone. As mentiras ganham cada vez mais criatividade e a manutenção está cada vez mais virtual: msn, facebook e outros sites de relacionamento acompanham o kit do blefe: "te vejo por aí!"

Pra que?

HOMENS E MULHRES continuam sozinhos, vazios e viciados em noites de ilusão.

Não tem remédio, não tem solução para esse mal do século.

Se você não aguenta, PEDE PARA SAIR!

Lud Figueira