terça-feira, 4 de janeiro de 2011

A Bela e a Fera

“Era uma vez, uma menininha que não acreditava no amor. Mas, um belo dia lhe apareceu uma ‘fera’ que, contrariando suas crenças, a fez acreditar no mais belo dos sentimentos... Uma fera de outra selva. Por isso, bela ficou em êxtase ao conhecer um novo mundo cheio de possibilidades, sentimentos, gentilezas e educação. Mas, assim como nos contos de fada, na vida real a nossa Bela não conseguirá o seu tão happy end facilmente. Junto com a Fera, enfrentará grandes obstáculos, será preciso grande compreensão e tolerância para colocar um fim em suas dúvidas, dramas e medos.”

Talvez, nossa Bela dos dias de hoje nunca tenha acreditado ou vivido um amor não por uma escolha, mas pela falta de uma Fera que pudesse ensiná-la, mostrar, compartilhar tal sentimento.

Quem tem tempo para viver um amor? As conseqüências e desventuras de realmente estar com o coração em chamas por alguém? Quem corre esse risco de se entregar hoje? Alguém levantou a mão?

Pois a Fera que estou falando levantou a mão. Não segue regras, segue sim, o coração. Vive cada sentimento e não descarta as possibilidades que a vida lhe apresenta. Ela é exata, bem racional, mas sabe lidar com as emoções deixando-as fluírem com a calmaria necessária para um, quem sabe, final feliz.

A aparência da Fera causa pré-julgamentos errôneos que, em minutos com a primeira história lembrada em flashes acompanhada de um generoso sorriso, nossa Bela começa a prestar atenção e logo detecta que, ‘essa’ Fera é diferente.

Bela está experimentando situações novas, onde ela está se deixando levar, está se permitindo ser surpreendida. Esqueceu-se das receitas, dos livros de auto-ajuda, dos conselhos, do passado.

Aceitou o desafio: Tentar esquecer rótulos e ser ela mesma.

Beijos

@ludfigueira

2 comentários:

Natália Fontoura disse...

A Fera me parece o equilíbrio ideal entre razão e emoção. Não deixa o coração de lado, mas sabe administrar os sentimentos dentro de si. No caso da da Bela, acho que esse estado de "se surpreendida" é positivo. Ultrapassar os limites e romper conhecido pode ser excitante. Mas espero que nessa relação entre Fera e Bela haja troca, reciprocidade. Não adianta um apresentar coisas novas e o outro apenas embarcar.

Em um relacionamento amoroso, um não ama pelos dois.

betto disse...

Sabe, quando eu tinha 19 anos minha mãe me pegou chorando. Contei que nessas férias conheci uma garota de outra cidade pela qual me apaixonei. Mas ela se foi como chegou. Minha mãe perguntou; Você foi feliz durante esse tempo? claro, muito pois agora eu sei o que é curtir uma paixão e não poder dizer te amo. Então minha mãe respondeu; Então Agora você já descobriu que os melhores dias de nossas vidas é quando estamos com quem amamos, e é isso que importa. Então eu digo;os normais que se danem, viva a bela e a fera.