sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Amar é....

Amar é...

Há mais ou menos 28 anos atrás, quando meus pais estavam começando a namorar, meu pai recortava do jornal uma sessão em quadrinhos que tinha versinhos que começavam: ‘Amar é... ’. Ele plastificava e entregava para a minha mãe. Mas, esses versinhos foram esquecidos numa caixa qualquer e o romance durou pouco. Era amor? Não sei... De repente os versinhos foram apreciados pela beleza das palavras e não pelo coração...

Aí, me peguei pensando? Amar é o que? Dedicar-se ao outro? Pensar no outro? Suspirar apaixonadamente ao olhar para o ser amado? Se sentir insegura mesmo que se tenha segurança? Sentir saudade assim que acaba de se despedir? Demorar horas para ir embora por não conseguir dar ‘tchau’? Pensar em dois? Ligar várias vezes por dia ou mandar mensagem só para dizer o quanto o outro é amado?

Talvez. Amar é tudo de incalculável que se possa sentir por alguém. Até o ódio pode vir seguido do amor, a implicância... Amar é um sentimento poderoso, difícil de encontrar e complicado de se cuidar... O amor tem várias instruções para se manter vivo. O amor não é conquistado uma só vez e sim, várias vezes, por toda uma vida. O amor precisa de convivência diária, de brigas para reafirmar seu valor, de declarações melosas e sinceras, de cor, sol e chuva.

‘Amar é... Entregar-se ao outro’. Quanta responsabilidade! Você se entrega? Assume os riscos? Viver é arriscar, meu caro. Amar é viver, é sentir... Também é sofrer. Amar é sentir arrepios e sustos, amar é um eterno sorriso, amar é um doce que nunca se enjoa e sempre se deseja repetir.

Amar é o total, não é metade. Amor não se pede, se conquista. Amor não tem talvez, tem sim ou não. Amor nem sempre tem razão, tem sim e muito, sentimento. O amor não tem explicação; mas tem todas as estações.

No amor encontramos todos os gêneros, todos os gostos, todos os cheiros. O amor completa a vida, sacia a fome e provoca alegria.

O amor é completo e quando se encontra, encontramos respostas de uma vida inteira. O amor não tem porque, o amor não teme, o amor é corajoso, destemido e guerreiro.

Amar é encontrar o pote de ouro no fim do arco-íris.

Eu te amo.

Beijos

@ludfigueira

2 comentários:

Natália Fontoura disse...

Não há muito o que falar, pois resumistes bem esse nobre sentimento. Sentimento que não precisa ser recíproco para acontecer. Meus parabéns pelas belas palavras Ludmila. Excelente texto.

"Amar é tudo e mais um pouco."

betto disse...

Renato Russo já cantava;
O amor é bom, não quer o mal,
Não sente inveja ou se envaidece.
O amor é o fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer;
Sem amor eu nada seria;
Se amo então existo.
No final é o que vale, existir.