terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

À hora do ‘EU TE AMO’.


Já ouvi dizer que nos primeiros dias de um ‘namoro’ ou do ‘conhecer’ alguém, são tudo flores. Está tudo bem sempre. Mas, a fase do ‘meu primeiro namorado’ passou, e o momento ‘flores’ são justamente as verbalizações feitas diretamente quando algo está mal explicado ou quando você tem um ‘canal aberto’ para se expressar diretamente com o ser amado. Para mim, isso é apaixonar-se todos os dias pela mesma pessoa: Aprender a lidar com o pânico e esse sentimento maravilhoso que você tem com o outro e vice-versa.

Geralmente quando a gente está apaixonada (o), engolimos sapos, deixamos passar algumas situações que não gostamos com medo de estragar o momento incrível que estamos vivendo. Erro grave. Pois ‘momento incrível’ é justamente você se sentir confortável para poder expor seus medos, loucuras, grilos com quem você está se relacionando sem reservas.

Entregar-se, faz parte do pacote de estar com alguém. Sem essa entrega absoluta, o relacionamento se tornar superficial. A Comunicação entre vocês vai deixando a desejar e, com o tempo, fica cada vez mais difícil entender o que se passa com o outro.

‘EU TE AMO’, sempre achei um ‘bicho de sete cabeças’. Ficava me perguntando como todo mundo consegue falar essas três palavrinhas sem perceber a importância delas. Têm uma importância gigantesca! E o medo de falar e não ser correspondido? E o medo de assustar? Quando se deve falar? Se espera partir do outro? Tem uma data específica para sentir ‘isso’? Tem algum manual de instrução que possamos ler para nos informar?

NÃO. Agora volto no que falei acima: Lembra do ‘canal aberto’ com o outro? Lembra que é preciso verbalizar sentimentos e pânicos? Pois é... ‘EU TE AMO’ nasce sem pedir licença. Ás vezes você o guarda dentro de você, para refletir sobre esse sentimento que só tem significado para quem o sente. Mas, não se pode escondê-lo por muito tempo.

Quando se consegue abrir o coração e disser tal sentimento, digo que é a hora das ‘flores eternas’. Vou explicar: Você realmente está entregue. Amar alguém é um presente eterno. Em outras palavras: Que seja eterno em quanto dure...

Têm momentos que não voltam. Não sufoque seu amor dentro de você! Fale, grite, verbalize para o outro o quanto ele tornou-se importante e único para você. Tenho certeza que por mais que role um silêncio em ouvir tais palavras, um sorriso logo se abrirá e você será o mais feliz, ou a mais feliz. E sempre que disser um ‘eu te amo’, fará o outro se sentir o homem ou a mulher mais feliz do mundo!

Verbalize seus sentimentos.

Beijos

@ludfigueira

4 comentários:

Manuela Penque disse...

Eu te amo é agradável de ouvir sempre! Mesmo quando o sentimento não é recíproco para com o que diz. Mas que faz bem escutar faz. É praticamente um abraço na alma! E pode ser de todos, namorado, marido, pai, mãe, filhos e amigos. Faz sempre bem! Lud EU TE AMO! bjocas
adorei o texto!
Manu

Natália Fontoura disse...

"EU TE AMO" às vezes é proferido de maneira irrelevante, banal e não deveria ser assim. Essa expressão tem um significado imenso, ela confirma/assegura/comprova/atesta/depõem que você realmente gosta, se importa, tem carinho, admiração e afeição por alguém. "EU TE AMO" é coisa séria e não deveria ser proferida da boca para fora apenas por gentiliza, brincadeira ou superficialidade. Seja em uma relação de namoro, de amizade ou familiar, "EU TE AMO" é uma coisa muito forte para ser dita.

Mas quando é dita de maneira sincera e honesta, não se precisa de muito para que ambas as pessoas (tanto a que disse quanto a que ouviu) sintam a felicidade invadir o coração, uma felicidade singular, ímpar. É isso que faz do "EU TE AMO" tão importante.

Mesmo que o seu "EU TE AMO" não seja correspondido da mesma maneira, você sentirá uma imensa satisfação em saber que é capaz de amar alguém de maneira tão intensa. Espero que essa satisfação também faça parte do universo da pessoa amada, mas que não corresponde.


Mais um excelente texto Lud
Meus parabens... Bjos

betto disse...

Dizer EU TE AMO não é nada difícil quando se ama. Desde quando demonstrar o que se sente ao outro é motivo de medo. Pois você ama e daí, é o que você sente e precisa dizer. Você passa anos procurando saber como é amar e quando descobre tem medo de dizer o que está preso durante anos na garganta. Fale agora, EU TE AMO, ou CALE-SE para sempre. Acho interessante é que para se xingar ninguém tem medo ou receio.

Daniel Simões disse...

Engraçado que eu assino seu feed no meu google reader, então fico atualizado toda vez que você posta algo novo aqui (e tem bastante tempo que tu nao posta nada novo, diga-se de passagem, ou meu reader não me atualiza mais, rs) de qualquer forma estava revendo os posts que achei mais interessantes que você escreveu e que havia marcado no meu reader, e esse foi um deles. Coincidência para a data ser exato UM ano depois de você ter publicado esse tópico aqui.

Bom, gostaria de comentar sobre seu conselho nessa publicação: "Não sufoque seu amor dentro de você! Fale, grite, verbalize para o outro o quanto ele tornou-se importante e único para você. Tenho certeza que por mais que role um silêncio em ouvir tais palavras, um sorriso logo se abrirá e você será o mais feliz, ou a mais feliz. E sempre que disser um ‘eu te amo’, fará o outro se sentir o homem ou a mulher mais feliz do mundo!"

Sabe Lud, concordo com você que não devemos guardar esse sentimento dentro da gente, devemos por pra fora mesmo, de várias maneiras que nos convir. O grande problema é que quando uma pessoa recebe o "EU TE AMO" ela pode ficar tão segura de si que acaba desvalorizando o que foi dito. Outro problema é quando o "EU TE AMO", ao invés de despertar a sensação de se sentir o homem ou a mulher mais feliz do mundo, desperta um medo no "alvo" do "EU TE AMO", mas um medo, como se fosse um pânico, que a pessoa se trava, silencia, evita e na pior das hipóteses, simplesmente se afasta do outro apenas porque essa pessoa não teve medo de expressar o que sente. Por quê esse pânico? o "EU TE AMO" passa uma responsabilidade muito grande pra pessoa amada que recebe essa frase de três letras mas de mil sensações e se essa pessoa tiver dúvidas quanto ao sentimento que ela própria sente pelo outro, pode querer acabar com tudo ali ou mais cruel, passa a pisar no outro porque sabe que a pessoa que a ama vai "aguentar" muita coisa "por amor".

Infelizmente vejo muito isso na maioria das vezes que me dou conta de um casal próprio onde um dá mais sentimento que o outro "suportaria" receber. Então, quando vamos saber pra quem devemos realmente expressar a "perigosa e assustadora" frase de três letrinhas sem temer um afastamento ou uma crueldade de retorno?