segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Um pouco de cada um: relacionar-se...

Dizem que as mulheres complicam tudo: São caçadoras de problemas, adoram um drama e um romance mela-cueca, que são carentes e que nunca estão satisfeitas; Já os homens: São conhecidos pela capacidade de sempre colocar a razão acima da emoção, costumam ser bem práticos e lidam bem com a realidade espantando o mundo colorido da ilusão.

Mas, há exceções (graças a Deus). As palavras acima são rótulos que inventaram. Não são verdades absolutas, é o que a maioria fala dos homens e das mulheres.

Homens são criaturas normais. Sofrem também, se desesperam, sentem medo e choram. Eles também precisam tomar decisões, eles amam, odeiam e alguns também gostam de romance.

A questão está na maneira como resolvem seus problemas. É quando a tal da praticidade e o saber separar as coisas fazem a diferença. Já sabemos que essa história de sexo frágil não ‘cola’ mais com as mulheres, mas não podemos negar a nossa fragilidade em resolver uma questão que envolva o coração, por exemplo.

Quando o coração aperta e bate aquela dúvida ou aquele desespero, creio que tanto os homens quanto as mulheres se tornam seres ‘indefesos’: Por mais que cada um recorra há um método diferente para resolver ou aliviar a tensão, não podemos negar a existência de um sofrimento.

Têm gente que vai para o bar beber, outros vão resolver seus problemas mudando de cama, outros vão arrumar a casa, escrever, jogar bola ou até mesmo alugar um ouvido. Mas todos recorrem a alguma ‘válvula de escape’, a algum lugar onde possam relaxar, desabafar ou até mesmo encontrar alguma resposta.

Uns podem se declarar mais, outros falarem apenas o necessário, o amor não é falado é sentido. Cada um sente de uma maneira e expõe diferente do outro. Não esperar que o outro faça ou pense como você, é o primeiro passo para evitar sofrimentos e preocupações bobas.

É muito difícil a convivência a dois. Por mais maravilhoso que seja o seu relacionamento, lidar com o outro nem sempre é uma tarefa fácil e requer paciência e tempo para os dois se conhecerem e desenvolverem a cada dia um bom nível de entendimento e aprendizado (sonho dourado de um relacionamento perfeito! Mas, vale tentar!).

Saiba manter um diálogo saudável. Nada aos berros, na violência verbal, ajuda a resolver algo. Saber respeitar o espaço e a vontade do outro é outra dica válida.

Já pensou na possibilidade da ausência de afeto ou de paciência ser um problema que não tem haver com o relacionamento de vocês? Geralmente nós mulheres relacionamos tudo a nós, ao nosso relacionamento. Esquecemos que antes e depois do relacionamento há vida, trabalho, família, outras coisas.

Aprenda a gostar sem truques, sem regras, sem pensamentos negativos e principalmente, sem cobranças.

Beijos

@ludfigueira

3 comentários:

Natália Fontoura disse...

Ótimo texto Lud. Resumiu muito bem mais um capítulo da novela "amor" no qual muitos atuam. A dificuldade na convivência é uma coisa natural, não se pode (e nem se deve) viver em harmonia plena a todo estante. Como eu já comentei antes, são dos questionamentos que tiramos as maiores lições. Duvidar, ponderar, discutir, discordar, argumentar, brigar, tudo faz parte do pacote do relacionamento amoroso. Basta a cada um saber o que fazer com esses "extras".

"Não esperar que o outro faça ou pense como você, é o primeiro passo..." (excelente frase). Parabéns Lud.

Thamires Tajra disse...

Aprenda a gostar sem truques, sem regras, sem pensamentos negativos e principalmente, sem cobranças." Me achei nesse finalzinho, texto ótimo, principalmente a parte em que sim os homens também sofrem como a gente, só que cada um tem sua maneira!

betto disse...

O problema é que as pessoas construiram em suas vidas uma lista de prioridades, com data e hora certa para os acontecimentos. A hora de estudar, se formar, curtir, viajar, da realização profissional e casamento. Mas os sentimentos e principalmente o AMOR não obedece a hora, regras, truques, pensamentos, ou cobranças. Ele aparece e está aí na sua frente, e agora é hora ou não? vivo ou sofro...