segunda-feira, 7 de março de 2011

72 horas: Loca loca loca


Verbalizações necessárias para diminuir a loucura...

Fazer amor é melhor que fazer sexo. No amor, há uma entrega total, algo que transcende, não há como explicar; no sexo há uma troca de prazer, momentânea, carnal e sem sentimento (o que faz toda diferença). Mas, um é melhor que o outro, depende do que você procura.

Rir é maravilhoso. Rir com o outro é um estado de prazer incrível. Acompanhado de beijos intermináveis, melhor ainda.

Carnaval namorando não tem bad! Tem muita animação e diversão! Ainda mais quando seu namorado entra no clima e vai para os blocos com uma camisa customizada por você onde está escrito: “Tem dona! Amo minha namorada!”. Brega, meloso e lindo, como o amor deve ser!

Dormir e acordar com quem se ama, é a melhor sensação do mundo! Quando se ama, não percebemos o passar do tempo e, ficar no quarto, horas, jogando conversa fora, ouvindo música ou apenas estar na companhia do outro é se desligar do mundo...

Acordar às sete horas da manhã, com chuva e tempo nublado, porque seu amor adora blocos de carnaval e se divertir mais que ele, não tem preço!

Brincar ao invés de brigar é uma excelente saída.

Não enjoar da companhia do outro e querer sempre mais, é o estado completo do amor.

Mas, sempre chega à palavrinha mágica chamada: PÂNICO, para trazer você ao mundo real, quer dizer: Ao seu mundo louco... Vamos para a segunda parte:

Por mais que existam milhões de manuais de instrução para diversas coisas, lamento informar, mas, para o amor, é cada um por si e Deus por todos. Então, erros e acertos trilharão seu caminho para o sucesso ou para o fracasso de seu relacionamento. Está em suas mãos à chance de ser feliz e abandonar medos e grilos e bads do passado.

Exatamente. Há uma necessidade básica de deixar comparações de lado e ser feliz. A dramatização de fatos precisa ser trancada a sete chaves e, após, ser jogada fora. Praticidade e agir de acordo com o momento e se entregar é o que se deve fazer. Sem pés atrás...

Qualquer oscilação sua, quem mais sente é o outro. Se não há dúvidas, porque as procura? Se estiver tudo bem, porque criar algo para ficar tudo mal? Inseguranças femininas sem sentido e medo do que não existe.

Cansativo. Lidar com suas loucuras de anos é um problema seu. Não os traga para sua relação que não tem nada a ver com isso.

Viva cada momento tranqüila e lembre-se: Está tudo bem e ele te ama. Não há porque desse drama que te persegue sem motivo.

Sentimentos vividos pela primeira vez são assim: Incrivelmente irracionais e maravilhosos. Mas, há sempre um “medinho” de acabar algo que você deseja sentir para sempre. Conselho: Que seja eterno e maravilhoso cada dia que você viva ao lado do seu amor e, deixe para sofrer, chorar, se preocupar, quando algo ‘bad’ de verdade acontecer!

O relacionamento é feito de duas pessoas. Então, o que acontece com um de bom ou ruim automaticamente reflete no outro, pense sempre nisso antes de ‘catar cabelo em ovo’... (ver problema aonde não tem).

Particularmente não lido bem com despedidas. Por mais que seja um ‘até logo’, sempre me causa um frio estomacal. Uma bobeira sem nexo. Talvez pelo fato de ter me despedido muitas vezes pela vida... Sei lá. Sempre quando há uma quebra de rotina, me desestabiliza, me bagunça... Mas, sei que é algo temporário. Afinal, Não há o que temer!

Abra um sorrisão, diga em alto e bom som um “EU TE AMO” seguido de um beijo daqueles que não há como resistir...

Beijos

@ludfigueira

Um comentário:

Natália Fontoura disse...

Cada texto mais apaixonado que o outro. Muito bom te ver assim. Conselho (se me permites tal ousadia): Sabe os grilos e fantasmas que carregamos durante os anos? Que tal verbaliza-los de maneira sincera com o seu amor. Compartilhar feitos positivos, bons momentos e alegrias é muito bom, mas compartilhar percalços e questionamentos tambem são importantes para a solidez de uma relação. Mas NUNCA deixe que esse compartilhamento de "negatividade" se torne maior que o amor que há entre os dois.