terça-feira, 29 de março de 2011

FICAR JUNTO? Ou ESTAR PERTO?


“Gostaria de encontrar uma fórmula para nunca mais precisar me despedir de você. Acho que vinte e quatro horas não são suficientes para nós dois. Mas, quer saber a pior parte? Dormir e acordar longe de você...”

Estava conversando outro dia, e me deram a seguinte definição sobre namoro e casamento. No namoro, há o interesse de “ficar junto”, ou seja, vocês aproveitam o tempo fazendo tudo juntos, se isolam do mundo, ficam egoístas, pois o tempo de vocês é pouco para compartilhar toda hora com amigos, família. No casamento, o interesse é “ficar perto”, ou seja, um pode estar trabalhando no quarto e o outro lendo na sala, mas cada um sabe que o outro está ali...

Perfeito! Fico com os dois...

Cada etapa de um relacionamento é um degrau importante. Para se completar um caminho há que se completarem as fases, igual a um vídeo game. Você passa por fases fáceis, outras difíceis, até chegar ao final. Ou a um novo começo... Mas você só vai saber o que virá, ao passar por cada fase, ou seja, não vale pular, mesmo que a vontade seja essa...

Gostaria de compartilhar o que considero ser um namoro de verdade:

Existe o estado da paixão, existe a possível permanência desse sentimento em nossas vidas. O “amo você” cada dia conhece uma proporção maior,

Tudo que você achava ou acreditava ou pensava, esquece! Só vivendo um dia após o outro ao lado de quem se ama para ver que seus pensamentos de antes não são os mesmos... O amor modifica seu olhar, pois a todo o momento um turbilhão de sentimentos diferentes lhe invade... E não há manual de instrução, você se joga se entregue e aprende um pouco a cada dia.

O namoro é um teste, é uma convivência, é um compromisso, é uma doação. É um querer, uma curiosidade sem fim pelo outro, de querer conhecer cada pedaço, cada cheiro, cada sorriso e cada tristeza. É querer estar, compartilhar todos os momentos da vida. É ter em mente que momentos “bads” ajudam no fortalecimento do relacionamento, pois ninguém é perfeito, o que torna tudo mais humano e descontraído.

É olhar para o outro e se sentir incrivelmente completo. É saber aprender com os erros, e também reconhecer quando o outro está certo... É ter uma rotina e sair dela quando se queira, é desafiar seus limites e testar sua paciência.

Um namoro é uma entrega total de duas pessoas que se amam e que não possuem medo de arriscar, de errar, de VIVER!

Beijos

@ludfigueira

2 comentários:

Natália Fontoura disse...

Namoro não tem manual de instrução (assim como a maioria das relações humanas). Você aprende "na marra", na rotina, na inconstância das sensações. Não é matemática, não pode ser medido ou comparado. Não conheço tal relação, por isso acho que a tua definição, a tua visão sobre o que é namoro está muito boa. Creio que seja isso mesmo. E, apesar de ser um risco se jogar em meio ao desconhecido, o improvável, creio que cada relação amorosa agregue algo para a pessoa.

"Vivendo e aprendendo a jogar..." (ou seria amar?)

Parabéns pelo texto Lud, beijos

Amanda Câmara disse...

Seus posts estão a cada dia melhor, e sim, eles refletem de verdade os relacionamentos, seja quando estamos com alguém ou estamos sofrendo. E o namoro não tem regras, é convivência, é mudar o olhar e quando 'o amor acabar', a gente sofre, mas no fim, com certeza a gente demora, mas dá a volta por cima!

Depois confere o meu quando der, ok?

http://justalittegirl.blogspot.com/

E parabéns, sempre que posso leio seus posts e eles são exclentes e me ajudam muito!