segunda-feira, 16 de abril de 2012

Nossa Aliança de Compromisso

Quase seis meses sem passar por aqui. Confesso que senti muita falta. Mas, não conseguia voltar. Passei alguns anos escrevendo sobre as aventuras de ser solteira, dizendo o que fazer ou o que não fazer, listando casos e acasos, esfriando e esquentando a loucura do que é se relacionar. Quando percebi, “deixamos de namorar e casamos”.  Troquei o ‘solteira’ para o ‘casada’ e, PRECISEI DE UMA RECICLAGEM.


Então, para começar, preciso dizer que o famoso 'Felizes para Sempre' NÃO EXISTE.


Convivência diária é matar um leão por dia,


Não dá para justificar seus erros. Você precisa encará-los e não cometê-los mais. Difícil é entender que são pequenos atos de falta de atenção que acontecem repetidas vezes que vão minando seu relacionamento.


Aceitar o outro é aprender a lidar com os defeitos. Assim como o outro lida e aceita diariamente os seus. Geralmente no namoro você faz um teste: Vou saber conviver com esse ou aquele tipo de defeito morando junto?


Casar é além de dividir cama, despesas, problemas, alegrias. É crescer com o outro, é ouvir verdades que o outro está falando para seu bem, você ser melhor, aprender. Sim, uns sabem mais que os outros. Deixar de ser o (a) 'sabe-tudo' e dar razão quando for preciso é digno!


Se livrar de vícios infantis, sair da sua zona de conforto e enfrentar a vida é regra básica para poder se assumir uma vida a dois. Um casamento sem parceria, sem respeito e confiança está fadado ao fracasso.


Brigas são normais. Casamento você não saí de casa e bate a porta. Casamento você briga e ainda por cima tem que ficar com 'cara emburrada' com o outro do lado. Casamento você aprende que não é terminando o relacionamento que você resolve as coisas e o mais importante: Você dá valor ao amor. Porque o casamento foi uma escolha, então faça valer a pena e deixe os mimos do 'papai e da mamãe' fora da sua casa e enfrente sua vida e seu relacionamento. Mas, brigas diárias ninguém aguenta. Sei que ás vezes as coisas ficam fora dos trilhos, você começa a repensar seu relacionamento...É complicado. Mas, enquanto houver dentro do peito aquele amor, sentimento avassalador onde parece insuportável viver sem o outro, PARE TUDO: Perceba hoje que uma atitude precisa ser tomada e que deste jeito seu relacionamento terá prazo de validade, e bem curto.


Vícios da sua vida de solteira também são importantes que você deixe fora da sua casa.


Não é porque você casou que as “periguetes” vão desaparecer e seu marido vai ficar cego. Não. Isso não vai acontecer. Seu marido enxerga bem e você também. Fazer showzinho de ciúmes no começo é até engraçado, depois de um tempo fica chato, insuportável e pode levar seu relacionamento ao fim. Sei que é um inferno a falta de respeito e como o 'povo' confunde... Sei também como é maravilhoso e ao mesmo tempo dramático quando o parceiro (a) é educado demais, atencioso demais, solicito demais, carinhoso demais. Fazer o quê?! Segura a onda e relaxa.


CASAMENTO: Duas pessoas com criações diferentes ‘tentando’ viver uma vida juntas.


E, o mais importante: COMPROMISSO.


Vocês têm um compromisso.  Não falte, pois não é só você que sairá prejudicado, o outro também. Quer credibilidade? Honre seus compromissos.


Nossa aliança não se baseia em um simples pedaço de metal. Firmamos uma aliança de amor, de respeito e o mais importante: Uma aliança de compromisso: Você está comigo e eu estou com você.


Acredito que muitos pensam não haver necessidade, outros acham que para quê um anel se já há um compromisso e outros rebatem dizendo ser um gesto, uma simbologia cheia de sentimentos, uma lembrança diária... E a discussão é sem fim! Um tenta convencer o outro que vale usar e o outro que é uma besteira.


Esse texto de 'volta ao blog', foi para reafirmar a aliança que tenho com vocês, que gostam dos meus textos e sentiram saudades.
.


Um beijo,

@Ludfigueira

Nenhum comentário: