segunda-feira, 9 de junho de 2014

Os loucos também Amam

Caro Leitor,

Estou gravando um programa e a correria está intensa. Me desculpem a ausência.

Vamos ao tema de hoje.

É preciso muita luz, muita paciência e disposição para entender o coração de um louco. Então hoje vamos refletir sobre os pensamentos do outro em mais uma crônica de amor.

"Tão fácil me render aos seus encantos, que só um sorriso no rosto é pouco para demonstrar. Realmente entendo a sua singularidade, sua radicalidade extrema e seu ponto de vista enlouquecedor. Lhe julgo incansavelmente pela maneira de se portar porque eis ai a nossa maior diferença: Eu me jogo e você calcula os riscos de se jogar. Dentro da sua loucura intensa, você ousa a brincar com estratégias e cálculos que nenhum outro se arriscaria. Você manipula e se isola dos efeitos que causa. A sua noção sobre mim também não é a mais correta, mas não posso negar que muito ao meu respeito você conhece. Talvez seja isso que me torne vulnerável a essa desventura que me aventurei. Talvez seja a sua proteção não me deixar a par, ciente de tudo ao seu respeito. Existe um mistério em torno de você que me fascina tanto quanto me repele. Até onde irá essas manobras amorosas? Até onde irá essa mania de você? Não sei te responder. Mas sei que por mais espaços, por mais tempo que venha a ter, seu lugar foi conquistado. Não sei em quantas camas você dorme e nem em quantas bocas você se encontra. Mas sei que a ligação que temos é algo de muitas vidas. Confesso que no começo o desespero tomava conta, a insônia me assombrava e a falta de notícias me deixava louca dentro da roupa. Hoje lido melhor com essa relação, digamos assim, espiritual que possuímos. Aprendi a lidar com seu jeito de aparecer e desaparecer. Não que eu concorde muito com isso, mas acredito que cada um sabe o momento que precisa sair de cena para se reconectar consigo mesmo. A pressão aqui fora é grande e ás vezes a barra fica pesada demais e a gente surta. Acho que eu fico complacente em relação a esses momentos. Mas, seu charme nato e irresistível ainda me tira de orbita. Mas, nada como lidar de perto com a intensidade para aprender a domar essa fera interior. A vontade de ser possuída novamente aumenta com o mesmo medo de saber administrar o amanhã. Sim, eu trabalho com medos. Talvez você não conheça a palavra medo. É forte demais para isso. Eu lido com meu medo interior todos os dias. Lhe digo que não é fácil, mas cada vez que o consigo driblar, me sinto um pouco mais forte. O jeito como você me lê é tão arrebatador que chego a ficar sem palavras. Não há jogos e nem máscaras entre nós. Há somente vontades e desejos. A minha vontade de você se iguala ao medo de não saber lidar com você. É um impasse interno que vivo diariamente. Lido com achismos equivocados e silêncios arrasadores. É uma mistura de enigmas, de quebra cabeça e de palavras cruzadas. Mas, não me canso de sempre me apaixonar por você em cada momento vivido. A sua pessoa me confunde, suas palavras me enlouquecem e o conjunto da obra me encanta. Talvez eu seja tão louca quanto você. Talvez nosso entendimento se dê por esse jogo insano de palavras, Talvez você seja a peça que faltava. Quem saberá? Não preciso te cercar por todos os lados, não preciso ir a sua procura. você sabe até onde estou disposta a correr os riscos de tê-lo ao meu lado, você sabe todos os segredos, você conhece o limite e além das minhas vontades. A minha espera de hoje é leve. Porque sei que em algum momento desvendaremos juntos essa grande arte de gostar de alguém."

Nem tudo é o que parece.
Paciência é uma virtude. Cultive-a.

Beijos

@ludfigueira

Nenhum comentário: